Arquivo de etiquetas: Emília Ferreira

Novo título da colecção “Estudos de Museus” conta a história dos antecedentes do Museu Nacional de Arte Antiga

Lisboa em Festa: a Exposição Retrospetiva de Arte Ornamental Portuguesa e Espanhola, 1882. Antecedentes de um Museu é o oitavo volume a ser lançado no âmbito da colecção Estudos de Museus, uma edição da Direção-Geral do Património Cultural em parceria com a editora Caleidoscópio.

O livro resulta da tese de doutoramento de Emília Ferreira apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa em 2010 (orientação de Raquel Henriques da Silva).

Será lançado no próximo dia 21 de Novembro (terça-feira) no Museu Nacional de Arte Antiga (Lisboa), pelas 18h30. A apresentação do livro ficará a cargo de António Filipe Pimentel.

****

Durante várias décadas do século XIX, as elites portuguesas reclamaram a organização, em Lisboa, de um Museu Nacional de Belas Artes. A sua concretização teimou em tardar. Até que, em 1881, um convite para a realização de uma exposição de arte ornamental Portuguesa e Espanhola num museu de Londres levou a comissão portuguesa envolvida na organização a pensar repetir e ampliar a iniciativa em Lisboa. Sonhava-se já com a instalação subsequente do museu, mas nem por isso a exposição foi considerada como um mero degrau para esse velho sonho. Pelo contrário: todos os pormenores da sua organização foram pensados com rigor e a ambição de se fazer o melhor que se sabia.

A 12 de janeiro de 1882, o Palácio Alvor abria as portas à Exposição Retrospectiva de Arte Ornamental Portugueza e Hespanhola. Primeira exposição em Portugal (e uma das primeiras do mundo) a contar com iluminação elétrica, catálogo com ilustrações e até um volume de fototipias da autoria de Carlos Relvas, envolveu a cidade e o país num momento de entusiasmo cultural. Inaugurada nesse frio dia de inverno, com pompa e circunstância, e contando com a presença dos reis de Portugal e de Espanha, a exposição viu ampliadas as festas às ruas de Lisboa e ao Tejo.

Os trabalhos da comissão organizadora, liderada por Delfim Guedes, proporcionaram à imprensa nacional uma apaixonada discussão sobre arte e cultura, algo inédito entre nós, e contribuíram para o conhecimento internacional da arte nacional.

Quando encerrou as suas portas ao público, em junho desse ano, a exposição tinha sido vista por várias dezenas de milhar de visitantes, transformando-se na primeira iniciativa block buster em Portugal. Dois anos depois, o Palácio Alvor abriria as suas portas ao Museu Nacional de Bellas Artes e Archeologia, atual Museu Nacional de Arte Antiga. É a história desse que, até prova em contrário, permanece o mais notável acontecimento cultural do século XIX no nosso país, que aqui se conta.

Emília Ferreira (Lisboa, 1963) é licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, é mestre e doutora em História da Arte Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Historiadora de Arte e autora de ficção, é investigadora integrada do Instituto de História da Arte (Universidade Nova de Lisboa), na linha Museum Studies, e investigadora associada aos projetos Social Sciences and Humanities Research Council (SSHRC) Connections Grant – “Gender Justice, Adult Education and Curatorial Dreaming: A Workshop and Exhibition” (University of Victoria, British Columbia, Canadá) e SSHRC Insight Grant – (En)Gendering New Narratives, Representations and Pedagogies: A Feminist Study of Adult Education and Exhibitory Praxis in Public Museums in Canada, Europe and the USA (University of Victoria, British Columbia, Canadá).

Curadora de exposições de artes plásticas e educadora, é colaboradora do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, desde 1997, e membro da equipa da Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, desde 2000.

Desenvolve investigação sobre museologia, museografia e cultura, o ensino artístico, os museus e as artes, na época contemporânea, questões de género; expressões e diversidade do desenho na arte contemporânea, curadoria e educação pela arte.

Tem organizado e participado em conferências e colóquios em Portugal e no estrangeiro e publicado artigos nas diversas áreas de interesse. Publicou várias dezenas de textos críticos e entrevistas sobre arte e artistas, nacionais e estrangeiros. Tem-se dedicado também à divulgação de temas culturais para o grande público, destacando-se o recente trabalho Guias de Museus, realizado para o Diário de Notícias (2017).

****

A colecção Estudos de Museus publica teses de doutoramento cujos temas se relacionem com os museus sob a tutela da Direção-Geral do Património Cultural. Foram já publicados sete volumes pela seguinte ordem: Museus, Arte e Património em Portugal: José de Figueiredo (1871-1937), de Joana Baião, Redes de Museus e Credenciação: Uma Panorâmica Europeia, de Clara Frayão Camacho, Criatividade nos Museus: ‘Espaços Entre’ e Elementos de Mediação, de Inês Ferreira, Museus e Diversidade Cultural: Da Representação aos Públicos, de Ana Carvalho, Museu Machado de Castro: Memorial de um Complexo Arquitectónico Enquanto Espaço Museológico (1911-1965) de Duarte Manuel Freitas, Da Coleção ao Museu: O Colecionismo Privado de Arte Moderna e Contemporânea em Portugal de Adelaide Duarte, e Museus (In)Capacitantes: Deficiência, Acessibilidades e Inclusão em Museus de Arte de Patrícia Roque Martins.

Os títulos a publicar são selecionados por um comité editorial constituído por Alice Semedo, Fernando António Baptista Pereira, Pedro Casaleiro, Raquel Henriques da Silva, Vítor Serrão e Clara Frayão Camacho (que acumula também a função de revisão editorial das obras).

Nota: Após o lançamento o livro estará à venda nas lojas dos museus e palácios nacionais e no circuito comercial (ex. Fnac, Bertrand, Wook, etc.)

 

****

ÍNDICE

Introdução

Capítulo I – Londres, 1881. Conhecer e reconhecer as artes ornamentais peninsulares e antecedentes de uma exposição

Capítulo II – A Península Ibérica em Londres. Bastidores e imagem de uma exposição

Capítulo III – A preparação da Exposição de Lisboa. Portugal em vias de se apresentar “desassombradamennte perante a Europa”

Capítulo IV – Sobe o pano. Lisboa em festa

Capítulo V – Antes de fechar as portas

Conclusão

Bibliografia

Índice remissivo

Agradecimentos

 

Chamada para entradas em dicionário de biografias de personalidades ligadas aos museus e à museologia

quem-e-quem

“Quem é Quem na Museologia Portuguesa” corresponde a um desafio lançado pela Linha de Investigação “Estudos de Museus” do Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Responder a esse repto envolve a criação de um dicionário de museólogos portugueses, balizado entre o século XVIII e os anos 60 do século XX que, numa primeira fase, terá edição digital.

Esta iniciativa visa ampliar e sistematizar o conhecimento sobre as personalidades ligadas à museologia portuguesa, em áreas tão diversas como a arte, a ciência, a antropologia ou a arqueologia, tendo em consideração os contextos históricos que as envolveram.

Todas as entradas do Dicionário terão a forma de biografia, segundo formato e normalização precisos. Para além dos objectivos enunciados, decorrem ainda desta iniciativa:

  • disponibilizar online e em acesso aberto os resultados de pesquisa e investigação recentes afectas à história dos museus e à museologia em Portugal;
  • contrariar a tendência de dispersão de conteúdos que caracteriza o panorama investigativo, facilitando o acesso aos mesmos;
  • constituir um corpus de conhecimento sobre o pensamento museológico e a história da museologia em Portugal
  • Apela-se, para tal, à participação de um leque de investigadores que se pretende o mais alargado possível.

As diferentes fases de desenvolvimento do projecto serão progressivamente dadas a conhecer on-line a partir do final do mês de Julho de 2017, através do site do Instituto de História da Arte da Universidade Nova de Lisboa

Prazo limite de submissão: 24 de Março de 2017

Os interessados deverão enviar um resumo de cada uma das entradas biográficas propostas (máx. de 250 palavras), num ficheiro Word, em português, acompanhado de uma breve nota curricular (máx. de 150 palavras).

As propostas serão avaliadas e a sua aceitação notificada aos autores até 15 de Maio de 2017.

Enviar por e-mail para: quemequem.iha.must@gmail.com

Coordenação: Raquel Henriques da Silva, Emília Ferreira e Joana d’Oliva Monteiro

Comissão Científica:
Raquel Henriques da Silva
Lúcia Almeida Matos
Clara Frayão Camacho
Emília Ferreira
Joana d’Oliva Monteiro
Paulo Oliveira Ramos
Sandra Leandro

Comissão executiva: Emília Ferreira, Joana d’Oliva Monteiro e Ana Paula Louro

Revista MIDAS publica 7.º número

revista MIDAS 7

Imagem da capa: “Gabinete da Politécnica − O Importantário Estetoscópio”, de Pedro Portugal. © Pedro Portugal © Foto: Pierre Guibert, conceção da capa de Elisa Noronha Nascimento

O mais recente número da revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares já se encontra disponível: http://midas.revues.org/1042

A MIDAS é uma revista científica, editada em suporte digital, de acesso aberto e com revisão por pares. Pretende dar a conhecer e promover os museus enquanto objetos de investigação científica e a Museologia enquanto área do conhecimento que congrega diferentes grupos disciplinares. Foi fundada por Alice Semedo (Universidade do Porto), Paulo Simões Rodrigues (Universidade de Évora), Pedro Casaleiro (Museu de Ciência da Universidade de Coimbra), Raquel Henriques da Silva (Universidade Nova de Lisboa) e Ana Carvalho (Universidade de Évora). Publica desde 2013.

****

MIDAS 07 | Varia

Artigos

Carla Ribeiro
Da arte rústica à arte nacional: O Museu de Arte Popular

Roberto Vaz, Rui Raposo e Mário Vairinhos
Expositor interativo para a comunicação de amostras geológicas do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

Eduardo Brito
O Lugar obscuro: A representação dos museus no cinema e o caso de Museum Hours

Emília Ferreira
O Museu Portuense, um projecto pedagógico

Filipa Coimbra e Joana Baião
O que quer que se diga sobre Rui Mário Gonçalves não é tudo…

Heloisa Olivi Louzada
O museu como laboratório: Análise da exposição VI Jovem Arte Contemporânea

Notações

Adelaide Duarte
Colecionar arte: Conversas a partir de coleções particulares

Recensões críticas

Duarte Manuel Freitas
Baião, Joana – Museus, Arte e Património em Portugal: José de Figueiredo (1871−1937)

Elsa Peralta
Sharon Macdonald – Memorylands: Heritage and Identity in Europe Today

Graça Filipe
Clara Frayão Camacho – Redes de Museus e Credenciação: Uma Panorâmica Europeia

MIDAS 03 | 2014 Varia e dossier temático: Museus e Participação Biográfica

capa do terceiro número da revista MIDAS na qual se vê uma árvore de duas crianças

Imagem: Detalhe de intervenção, exposição Museu em Ruínas, Museu de Arte Contemporânea de Elvas, 2011 © Alexandre Farto aka Vhils . Arranjo gráfico da capa por Elisa Noronha Nascimento

O terceiro número da revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares acaba de ser publicado. Este número organiza-se em torno de duas secções principais: a secção Varia, que inclui cinco artigos de temáticas diversas e o dossier temático: «Museos y participación biográfica: Introduciendo lo personal como alternativa a lo hegemónico», que contou com a coordenação das espanholas María Acaso e Andrea De Pascual. Além disso, este número incorpora ainda as secções habituais: notações (pequenos textos) e recensões críticas.

A MIDAS apenas publica em formato digital. Todos os números encontram-se disponíveis no website da revista: http://midas.revues.org.

****

Conteúdos MIDAS 03| 2014

Varia

Elisa Noronha Nascimento
A musealização da arte contemporânea como um processo discursivo e reflexivo de reinvenção do museu

Emília Ferreira
A Casa da Cerca, um projeto de autor: 20 anos de programação para o diálogo

Teresa Azevedo
Entre a criação e a exposição: o museu como ateliê do artista. Breve introdução ao tema

Rui Mourão
O Carnaval é um palco, a ilha uma festa: Da performance cultural à exposição da sua metaperformance videográfica

Irene Vaquinhas
Museus do feminino, museologia de género e o contributo da história

Dossier temático: «Museos y participación biográfica: Introduciendo lo personal como alternativa a lo hegemónico»

Sob a coordenação de María Acaso e Andrea De Pascual

María Acaso e Andrea De Pascual
Museos y participación biográfica: Introduciendo lo personal como alternativa a lo hegemónico

David Lanau e Eva Morales
Un quehacer cotidiano: Proyecto de mediación de la exposición hacer en lo cotidiano

Luciano Parreira Buchmann
Escolares nos museus: Ensaio do novo público como ato político de educadores intelectuais

Manuelina Duarte Cândido e Nei Clara Lima
Ocupe o museu (com) memórias de Goiânia: O público como construtor de conteúdos

Célia Gonçalves Tavares e Roberto Leite
O projeto Picar o Ponto: Memórias orais de operários da Fábrica Robinson

Notações

Andreia Fernandes, Andrea Monteiro Vicente, Alice Batista e Cláudia Silva
Projeto LUPA: Laboratório urbano pela arte

Margarida Mata
Do Museu das Comunicações ao Bairro da Madragoa: Considerações sobre a relação entre um bairro e um museu

Daniela Rodrigues do Rosário
Entroncamento de histórias: Registo de testemunhos orais

Recensões críticas

Susana Gomes da Silva
María Acaso, coord. – Perspectivas: Situación actual de la educación en los museos de artes visuales

Dália Paulo
Maria Vlachou – Musing on culture: Management, communications and our relationship with people

Alexandre Matos
Juan Carlos Rico, ed. – Museos del templo al laboratorio: La investigación teórica

Fátima Alves
Regina Cohen, Cristiane Duarte e Alice Brasileiro – Acessibilidade a museus

Graça Filipe
Hugues de Varine – As raízes do futuro: O patrimônio a serviço do desenvolvimento Local

Ana Carvalho
Michelle Stefano, Peter Davis e Gerard Corsane, eds. – Safeguarding intangible cultural heritage: Touching the intangible

Tese de doutoramento: “Museus e Escolas: Os Serviços Educativos dos Museus de Arte Moderna e Contemporânea”


© Ana Carvalho

Museus e Escolas: Os Serviços Educativos dos Museus de Arte Moderna e Contemporânea, um Novo Modo de Comunicação e Formação

Museums and schools: the educational departments on modern and contemporary art museums, a new way of communication and formation

Autora: Genoveva Oliveira
Orientação: João Carlos Pires Brigola e Paulo Simões Rodrigues
Tese de doutoramento para obtenção do grau de Doutor a Universidade de Évora
Júri: Presidente: Doutor José Alberto Simões Gomes Machado, Professor Catedrático da Universidade de Évora, por delegação do Director do Instituto de Investigação e Formação Avançada; e Vogais:

  • Doutora Carla Padró, Professora Associada da Universidade Barcelona (Espanha)
  • Doutor João Carlos Pires Brigola, Professor Auxiliar com Agregação da Universidade de Évora – orientador
  • Doutora Alice Lucas Semedo, Professora Auxiliar da Universidade do Porto
  • Doutor Leonardo Augusto Verde Reis Charréu, Professor Auxiliar da Universidade de Évora
  • Doutor Paulo Alexandre Rodrigues Simões Rodrigues, Professor Auxiliar da Universidade de Évora – co-orientador
  • Doutora Maria Emília de Oliveira Ferreira, Investigadora da Universidade Nova de Lisboa

Data: 24 fev. 2012

Resumo: A parceria escola-museu é uma relação importante. A maioria das pessoas fazem a sua primeira visita a um museu com um grupo escolar e essas experiências iniciais ajudam a moldar as suas atitudes para com os museus. Esta parceria assume um novo significado à medida que a nossa sociedade expande a sua definição de “educação”para descrever um processo de desenvolvimento permanente de conhecimentos, competências e carácter que ocorre não apenas no espaço da sala de aula, mas numa variedade de contextos formais e informais. Museus e escolas figuram nessa rede de aprendizagem e há muito que têm trabalhado juntos em direcção a metas comuns de educação. Esta tese de doutoramento focaliza a questão sugerindo que, para alcançar o potencial da parceria, os educadores do museu e os professores devem desenvolver uma compreensão mais aprofundada da natureza do ambiente do museu de aprendizagem, como ela difere da sala de aula e como as duas definições são complementares.

Abstract: The museum-school partnership is an important institution. Most people make their first visit to a museum with a school group, and these experiences help to shape their attitudes toward museums. This partnership takes on new significance as our society expands its definition of “education” to describe a lifelong process of developing knowledge, skills, and character that takes place not just in the classroom, but in a variety of formal and informal settings. Museums and schools both figure in this learning network, and they have long worked together toward common educational goals. This doctoral tesis recommended that to achieve the potential of the partnership, both museum educators and teachers should develop a fuller understanding of the nature of the museum learning environment, how it differs from the classroom, and how the two settings are complementary.

Sugestão de Leitura: "40 Anos do Instituto José de Figueiredo"

capa-livro-jose-de-figueiredo.jpg

40 Anos do Instituto José de Figueiredo
Autores: José Alberto Seabra Carvalho, Alexandra Curvelo, Emília Ferreira, Sandra Leandro, Alexandre Nobre Pais, Mário Pereira, Isabel Ribeiro, Paulo Simões Rodrigues, Pedro Sousa, Maria Helena Souto
Publicação: Lisboa, IPM, 2007
Descrição Física: 144 p.
ISBN: 972-99476-6-X

A publicação que aqui damos destaque foi lançada recentemente pelo Instituto dos Museus e da Conservação no contexto do dia internacional de Museus.

Resumo:
O Instituto Português de Conservação e Restauro, antigo Instituto José de Figueiredo, organismo de referência na área da Conservação e Restauro em Portugal, celebrou recentemente 40 anos de actividade. Entre os projectos comemorativos, elaborou-se uma monografia que procurou dar visibilidade ao trabalho desenvolvido por este organismo e promover uma reflexão crítica sobre as teorias e práticas da conservação e restauro em Portugal. Para o efeito foram contactados dez investigadores especializados em cada uma das áreas em estudo que, apoiados pelo acervo do I.P.C.R., traçaram um percurso desta actividade no nosso país.

Fonte: Site RPM