Arquivo de etiquetas: Manuel Bairrão Oleiro

Políticas museológicas em foco no Boletim do ICOM Portugal

Fotografia a cores que revela um pormenor do exterior do Palácio Nacional da Ajuda, as arcadas

Imagem da capa: Pormenor do exterior do Palácio Nacional da Ajuda © Fotografia de Luís Pavão/Palácio Nacional da Ajuda/Direcção-Geral do Património Cultural

Começamos o ano com balanços. Balanços associativos, pois estamos no final do triénio dos órgãos sociais do ICOM Portugal em funções (2014-2017), aproximando-se novas eleições a 27 de Março. E balanços mais globais, daí a escolha do tema “gestão de museus e políticas museológicas” para este número do Boletim do ICOM Portugal dada a actualidade e a urgência de uma reflexão alargada e concertada. Sem pretender um retrato exaustivo, neste boletim procurámos trazer olhares de dentro e de fora, estimulando perspectivas várias sobre este grande “chapéu” que engloba as políticas museológicas.

O artigo de Manuel Bairrão Oleiro traça um diagnóstico assertivo sobre a realidade actual e deixa antever caminhos de futuro, elencando quais poderão ser na sua opinião as prioridades de uma política museológica nacional mais actuante. As pessoas, ou melhor dizendo, as equipas de museus foram igualmente uma das problemáticas abordadas por Oleiro, sendo esse tópico retomado por Maria de Jesus Monge e Ana Carvalho com maior enfoque na secção “Perspectivas”.

O contributo de David Santos, que desde Fevereiro de 2016 assumiu o cargo de subdirector da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), com responsabilidades em matéria de museus, é um olhar porventura mais generoso e optimista sobre a acção desta organização, mas é, até certo ponto, esclarecedor da forma como se perspectiva globalmente a situação actual.

Encontra ainda neste boletim uma selecção de notícias, comentários de conferências, sugestões de leitura, novas publicações e um leque diverso de eventos (conferências, debates, formação, etc.) para os próximos meses.

Terminamos com outro balanço, sendo este o último boletim da série iniciada em 2014 do qual sou editora. Feitas as contas somámos oito edições, mas mais do que o aspecto quantitativo, apostámos – e pensamos tê-lo conseguido – na criação de um espaço de partilha assente na diversidade de olhares e de perspectivas, como aliás caracteriza este sector. Um espaço que por si só também foi sofrendo alterações, com o contributo indelével de muitos dos nossos colegas dos actuais órgãos sociais do ICOM Portugal, e em função das aprendizagens que foram feitas pelo caminho. Porque, efectivamente, a edição deste boletim também correspondeu a um processo de aprendizagem pessoal e profissional. Bem haja!

Ana Carvalho [editorial]

****

Boletim ICOM Portugal, série III, n.º 8, Jan. 2017
Gestão de Museus e Políticas Museológicas

O Boletim está disponível online: http://icom-portugal.org/boletim_icom,156,lista.aspx

02 | EDITORIAL, por Ana Carvalho
03 | MENSAGEM DO PRESIDENTE, por José Alberto Ribeiro
05 | BREVES
08 | EM FOCO: Políticas Públicas no Sector dos Museus: O que Pode ser Feito, por Manuel Bairrão Oleiro
12 | PERSPECTIVAS: Equipas de Museu – Evolução ou Retrocesso?, por Maria de Jesus Monge; e Ana Carvalho
17 | ENTREVISTA com David Santos, por Ana Carvalho
NOTÍCIAS ICOM, vários autores
21 | Museus, Comunidade e Turismo, um Triângulo Virtuoso: Balanço, por Manuel Morais Sarmento Pizarro
23 | Museus Comunitários: Em que Ponto Estamos?, por Mário Nuno Antas
25 | O Valor Económico dos Museus: Templos do Conhecimento, Máquinas de Entretenimento ou Plataformas Participativas?, por Clara Frayão Camacho
28 | Coleccionar e Proveniências: Aplicações, Autenticidade e Propriedade, por Inês Fialho Brandão
30 | Museus e Património Local: Interacção e Desenvolvimento no Séc. XXI, por Pedro Pereira Leite
32 | Desafios Digitais para Especialistas de Museus, por Ana Fernambuco
35 | Museus Nacionais: Passado, Presente e Futuro, por Fátima Faria Roque
38 | Pilotando o MOOC: Uma Jornada Agregadora e de Reflexão, por Paula Menino Homem
PUBLICAÇÕES
40 | Sugestões de leitura
41 | Novas edições 2016-2017
AGENDA
46 | Conferências, encontros, debates
49 | Formação
50 | Chamada de propostas

****

O Boletim ICOM Portugal (ISSN 2183-3613) é uma edição da Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional de Museus (ICOM Portugal). Tem como objectivo a partilha de informação, de ideias e de boas práticas entre os profissionais de museus, contribuindo para o desenvolvimento e dinamismo do sector. Os números publicado nesta série (III) são da responsabilidade de Ana Carvalho (desde Outubro de 2014). Publica-se três vezes por ano (Janeiro, Maio e Setembro) e apresenta-se apenas em formato digital.

Museologia.pt, n.º 5, 2011

O 5.º número da museologia.pt referente ao ano de 2011, chega-nos na primavera de 2012. (sinal da crise?). Recorde-se que a revista é publicada anualmente desde 2007 (em versão impressa, mas tem os dois primeiros numeros totalmente disponíveis na internet: http://issuu.com/imc-ip/docs/museologia_n1), tutelada pelo Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) (Ministério da Cultura, Portugal), e dirigida (com muita competência) por Clara Frayão Camacho* desde o seu início.

Uma vez extinto o IMC, questiona-se a continuidade desta revista no futuro. Seja como for, a relevância de revistas com esta, sejam de perfil institucional, profissional ou académicas, são ferramentas imprescindíveis para a divulgação da actividade museologia em Portugal, cuja visibilidade se promove também através de espaços de reflexão crítica sobre as experiências e práticas museológicas.

Quanto a este (último?) número da revista (n.º 5), está organizado em 5 secções temáticas: projectos e experiências; Exposições; História e Memórias; Internacional; e Recensões.

Índice

 Apresentação, p. 7

Editorial, p. 8

PROJECTOS E EXPERIÊNCIAS

O património dos antigos hospitais de Lisboa: que fazer com esta herança?, Célia Pilão, p. 10

A área de conservação e restauro do Museu Nacional de Etnologia, Joana Amaral, p. 24

Acerca da sustentabilidade do Museu do Côa, Fernando Real, p. 34

A Casa da Freira do Arcano. De Casa a Museu: breve reflexão sobre uma experiência museológica, Mário Moura, p. 46

A parceria como forma de articulação dos museus da Rede Portuguesa de Museus, Jorge Alves dos Santos, p. 58

 EXPOSIÇÕES

Primitivos Portugueses (1450-1550). O século de Nuno Gonçalves, Sofia Lapa, p. 68

 HISTÓRIA E MEMÓRIAS

Entrevista a José Luís Porfírio, Margarida Lima de Faria, p. 80

DOSSIÊ MUSEUS NACIONAIS

Museus nacionais, um tópico necessário, Raquel Henriques da Silva e Clara Frayão Camacho, p. 86

O povo no museu, João Leal, p. 90

Museus nacionais: um olhar sobre o seu passado e presente, Manuel Bairrão Oleiro, p. 108

O Museu Nacional de Arte Antiga: necessidade da visão de um século, Paulo Henriques, p. 122

Mesa Redonda: vozes do terreno.  Vocações e missões dos museus nacionais, p. 134

INTERNACIONAL

Les musées nationaux et les usages du passé, Dominique Poulot, p. 166

Naciones y ficciones sobre los museos nacionales en España, p. 176

Amgueddfa Cymru – National museum wales: having the vision to face current challenges, Judith Ingram e David Anderson, p. 184

 RECENSÕES

Simon Knell  et alli (ed.) National Museums. New studies from around the world, Clara Frayão Camacho, p. 196

Françoise Cousin e Christian Pelras (dir.) Matières, manières et sociétés. Hommage à Hélène Balfet, João Azenha da Rocha e Daniela Araújo, p. 198

*Clara Frayão Camacho é Doutoranda em História/Museologia na Universidade de Évora (2010-2013). Mestre em Museologia e Património pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com a dissertação Renovação Museológica e Génese dos Museus Municipais da Área Metropolitana de Lisboa (1974-90). Curso de pós-graduação em Museologia Social pela Universidade Autónoma de Lisboa “Luís de Camões”. Licenciada em História pela Faculdade de Letras de Lisboa. Docente do Mestrado em Museologia da Universidade de Évora, desde 2001. Subdirectora do Instituto Português de Museus/Instituto dos Museus e da Conservação (2005 a 2009). Coordenadora da Rede Portuguesa de Museus (2000 a 2005) e de Janeiro a Agosto de 2010. Dirigiu o Museu Municipal de Vila Franca de Xira (1985 a 2000). (fonte: site SIAM 2011)

Debate: “Os desafios da política de museus em tempo de crise”

No próximo dia 9 de Novembro de 2011, terá lugar um debate sobre os desafios da política de museus em tempo de crise, no Museu da Electricidade, em Lisboa (pelas 18h00). Este encontro é organizado pelo ICOM-Portugal.

Para o debate foram convidados algumas personalidades do panorama museológico: Luís Raposo, no papel de Presidente do ICOM Portugal e João Neto, que é para quem não conhece o Presidente da APOM – Associação Portuguesa de Museologia, há já alguns anos. Foram ainda convidadas outros intervenientes: Graça Filipe, Joana Sousa Monteiro, José Alberto Ribeiro, Manuel Bairrão Oleiro e Raquel Henriques da Silva.

Como ponto de partida para a discussão pode ler-se o documento que o ICOM-PT divulgou recentemente (ver post sobre o documento aqui)

A entrada é livre!

Mais informações: http://www.icom-portugal.org/

Museologia.pt, n. 2/2008

museologiapt-2

O segundo número da revista Museologia.pt foi recentemente publicado. Sobre este número transcrevemos a informação veiculada no website do Instituto dos Museus e da Conservação.

O 2º número da revista Museologia.pt – que se pretende seja um fórum de debate de questões e de problemas dos museus e da Museologia, lugar de divulgação de práticas inovadoras e reflexo de tendências culturais contemporâneas – vive de um conjunto de contributos, em que, a par da autoria de directores e de profissionais de museus, de responsáveis de organismos da área da Museologia e de gestores, de pessoas ligadas ao terreno, ganha mais espaço a investigação sobre os museus, fascinantes lugares de cruzamento interdisciplinar.

Dedicado à Gestão de Museus, o Dossiê central da revista abre com um artigo de enquadramento sobre os museus na contemporaneidade, de João Brigola, e incorpora artigos de Manuel Bairrão Oleiro, Filipe Serra, Silvana Bessone, Pedro Lapa, Graça Filipe, Odete Patrício e José Arnaud, cujas diferentes perspectivas, inovadoras propostas e, nalguns casos, polémicas posições, estimularão certamente o debate sobre esta problemática.

Entre os muitos contributos carreados para a revista, destacamos o do uso das imagens em movimento nos museus, a partir das experiências e práticas de Catarina Mourão e de Catarina Alves Costa, cineastas com provas dadas na realização de documentários em colaboração com um significativo conjunto de museus. Paulo Ferreira da Costa aborda a documentação do património imaterial nos museus. Inscrito desde 2007 nas competências do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC), o património imaterial encontra na nova orgânica do Ministério da Cultura um lugar adequado, que se espera poder contribuir para um melhor conhecimento dos acervos dos museus portugueses, os quais frequentemente já dedicavam a este domínio uma especial atenção.

Da área da conservação e restauro, artigos de Mercês Lorena, uma proposta de abordagem das pinturas flamengas do retábulo da Sé de Évora; de Alexandrina Barreiro e de Alexandre Pais, “O Divino Salvador”, remete-nos para as singulares etapas da vida deste objecto artístico, que se vem a converter em bem arqueológico e em potencial objecto museológico. No contexto da investigação universitária, João Pedro Fróis apresenta um actualizado e abrangente ponto de situação conceptual sobre a educação nos museus de arte; Helena Santos aborda o tema dos públicos culturais e dos públicos dos museus e António Ponte lança novos olhares sobre as Casas-Museu, na sequência da sua dissertação de mestrado em Museologia.

Na rubrica Exposições optou-se por eleger como tema único os museus e centros de arte contemporânea recentemente abertos ao público no nosso País, preenchido com um artigo de Raquel Henriques da Silva, que analisa as colecções, os edifícios, as actividades e os modelos de gestão de sete novos museus que vieram enriquecer o mapa museológico nacional.

História e Memórias prossegue o objectivo de contribuir para a construção da História da Museologia Portuguesa, através da realização de uma entrevista a Fernando Bragança Gil, antigo Director do Museu de Ciência da Universidade de Lisboa, numa viva conversa guiada por João Brigola e Luís Raposo. Dóris Santos reflecte sobre o Museu José Malhoa, acrescentando importantes contributos ao conhecimento do percurso museológico português do século XX.

Em cerimónia decorrida no passado dia 12 de Dezembro, a Associação Portuguesa de Museologia (APOM) distinguiu a Revista Museologia.pt (1.º número) com o Prémio APOM 2007 na Categoria Melhor Trabalho de Museologia, ex-aequo com Marta Rocha Moreira com a tese “Da Casa ao Museu”.