Arquivo de etiquetas: Susana Medina

Actas “O Futuro dos Museus Universitários em Perspetiva”

Capa do livro

Semedo, Alice, Elisa Noronha Nascimento e Rui Centeno. coord. 2014. Atas do Seminário Internacional «O Futuro dos Museus Universitários em Perspetiva». Porto: Universidade do Porto. 233 páginas, ISBN 978-989-8648-23-5. Disponível aqui: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/12476.pdf

A Universidade do Porto acaba de publicar as actas (formato digital) do seminário internacional «O Futuro dos Museus Universitários em Perpetiva» que se realizou a 28 e 29 de Novembro de 2014 no Salão Nobre da Reitoria da universidade  (veja o call for papers num post anterior).

Entendida a crise em que vivemos num tempo mais longo, esta foi a oportunidade para reflectir sobre os problemas que os museus universitários enfrentam e que na universidade do Porto já vinham a ser debatidos entre alunos, professores e profissionais dos próprios museus da universidade. A discussão abriu-se à comunidade de profissionais e investigadores extra universidade do Porto e os contributos incluídos nestas actas reflectem isso mesmo.

A palavra crise tornou-se constante em nosso tempo. Seu significado aponta para tensões e conflitos, assim como desafios a serem enfrentados. No entanto, o termo “crise”, em condições genéricas, tem sido acompanhado de ambivalências e, normalmente, onde encontramos “crise” ansiamos ver também soluções para a mesma. A esperança de superação do momento da crise é sempre objetivo desejável e propõe investigação, análise e reflexão, para, a seguir, praticar as soluções em busca de momentos menos tormentosos e mais estáveis. (Lúcia Glicério Mendonça)

Alguns dos problemas que afectam os museus universitários não são diferentes dos  museus de outras tipologias, como ficou patente na leitura destas actas: a necessidade de manter as colecções preservadas, de as inventariar, documentar, estudar, de promover a sua acessibilidade, de as comunicar melhor e aprofundar (ou mesmo encetar) interacções com a sociedade (p. ex. programação); No diagnóstico traçado acrescem, ainda, os fracos recursos humanos e financeiros, tendo sido sublinhado que este é um sector pouco financiado, provavelmente quando comparado com outro tipo de museus ou colecções.

O que se destacou, na minha perspectiva, e que tem a ver com as especificidades deste tipo de museus é o desafio de integrar a actividade destes museus no quotidiano das suas universidades e nas respectivas estruturas, pois, na maioria dos casos, têm um papel e posicionamento marginal (quase invisível). A criação de redes interdisciplinares foi uma das ferramentas enunciadas (é hoje uma palavra-chave no mundo dos museus).

Um outro desafio remete para a captação de mais e diversos públicos. Sendo que este é um objectivos de qualquer museu, os museus universitários não só se debatem para captar aqueles que poderão ser os seus públicos imediatos – os estudantes, pela proximidade (estão dentro da instituição) e pelo potencial das colecções para a construção e transmissão de conhecimentos, – estes museus debatem-se, ainda, pela captação de públicos que se encontram fora da instituição. Os turistas foram apontados como um desses potenciais públicos, embora tenha ficado claro que não existem estratégias neste sentido.

A iniciativa de publicar as actas é importante, diria mesmo imprescindível, se não nos moldes tradicionais de impressão então que se faça no formato digital como aconteceu neste caso. A edição das actas poderia ter sido objecto de maior cuidado, que creio terá a ver como a urgência dos processos. Particularmente interessante foi a introdução de mapas conceptuais sobre cada uma das comunicações/textos incluídos nestas actas.

****

CONTEÚDOS

Apresentação, Lúcia Glicério Mendonça

Coleções Universitários e o Processo de Construção e Transmissão do Conhecimento

Museu de Ciência da Universidade do Porto: Transmissão, Produção e Difusão do Conhecimento, Luís M. Bernardo

O Museu da Universidade de Aveiro: Coleções, Investigação e Herança Patrimonial, Ana Bela de Jesus Martins e Ana Cristina Fernandes Cortês Justino

Primeiro passo: Documentar as Coleções, Alexandre Matos

A implementação de um Plano de Conservação Preventiva para o Acervo da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, Alice Nogueira Alves, Marta Frade e Carlos Alcobia

Pintura do Acervo da FBAUL: uma Coleção para o Futuro, Luís Lyster Franco

Repensar a Missão dos Museus Universitários no Território

Repensar a Missão dos Museus Universitários no Território, Transcrição da Conferência de Paulo Cunha e Silva

Os Museus Universitários do Porto e a sua Integração no Turismo Cultural da Cidade, António Ponte e Rui Centeno

Museus Universitários: de Legisladores do Saber a Interpretes de Culturas, Lúcia Glicério Mendonça

Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo: Contextualizações e Processos, Elisa Noronha Nascimento

Museu Virtual FBAUL: Work in Progress para a Coleção de Pintura, Ana Mafalda Cardeira

‘DIY’ na Universidade do Porto: Instrumentos Científicos Fabricados Localmente, Marisa L. Monteiro, José Moreira Araújo e Luís M. Bernardo

Modelos de Gestão dos Museus Universitários

Museu FEUP: Estratégias e Métodos para a Gestão de Produtos do Conhecimento, Susana Medina

O Museu de Geologia Fernando Real e Perspetivas Futuras, Elisa Gomes, Ana Alencoão, Martinho Lourenço e Carlos Coke

Museus Universitários como Mediadores

Interseções: os Recursos Digitais no Contexto da Museologia Universitária, João Carlos Carvalho Aires de Sousa

Processo Criativo de investigação no Museu da FEUP, Maria van Zeller

Investigação e Curadoria nos Museus Universitários do Porto [Depósito (2007); Rescaldo e Ressonância (2009); Edifícios & Vestígios (2012)], Inês Moreira

Curadorias Compartilhadas: um Estudo sobre as Exposições Realizadas no Museu da Universidade Federal do Rio Grande do SUL (2002 a 2009), Maria Cristina Padilha Leitzke e Zita Rosane Possamai

Apêndices

Relatórios | Mapas Conceptuais, Inês Ferreira e Vanessa Nascimento Freitas

Notas Biográficas dos Autores

 

Call for papers: “O Futuro dos Museus Universitários em Perspetiva”

Museu de Ciência da Universidade de Coimbra #2013 © Ana Carvalho

Museu de Ciência da Universidade de Coimbra #2013 © Ana Carvalho

Nos próximos dias 28 e 29 de Novembro de 2013 realiza-se na Universidade do Porto um seminário dedicado aos museus universitários. A Universidade do Porto pretende reflectir e reformular o modelo actual dos seus museus e abre a discussão à comunidade profissional. Por isso tem um “call for papers” aberto a todos os interessados entre 16 a 29 de Outubro. Encontra mais informações em baixo e no blogue do evento: http://seminariomuseusuniversitarios.wordpress.com

****

“O FUTURO DOS MUSEUS UNIVERSITÁRIOS EM PERSPETIVA”

Há muito que se tem procurado um destino comum para os museus da Universidade do Porto e, embora algumas iniciativas pontuais trabalhem nesse sentido, a verdade é que pouco se tem avançado no estabelecimento de consenso sobre uma orientação estratégica futura para este conjunto de museus.

Procurando encorajar e participar na reflexão e no debate sobre possíveis modelos para a organização dos museus universitários do Porto, o Curso de Doutoramento e Mestrado em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto convida a comunidade académica e profissional na área da museologia e afins a participar no Seminário “O Futuro dos Museus Universitários em Perspetiva” que se centrará nos seguintes temas:

1. o papel dos museus universitários e suas coleções como agentes no processo de construção, transmissão e difusão do conhecimento;

2. o enquadramento dos museus universitários no quotidiano e na realização da missão da instituição académica;

3. as grandes tendências e os modelos alternativos de gestão e financiamento dos museus universitários;

4. o museu universitário enquanto mediador entre os centros de produção científica e diferentes parceiros sociais.

As inscrições para submissão de propostas de participação com comunicação estarão abertas de 16 a 29 de outubro de 2013. Para mais informações relativas à chamada de participação consultem o seguinte link.

Local: Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Porto, Porto, Portugal.
Datas: 28 e 29 de novembro de 2013

Organização:
Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal)
Departamento de Ciências e Técnicas do Património

Comissão científica:
Alexandre Matos
Alice Semedo
Elisa Noronha
Fortunato Carvalhido
Susana Medina
Rui Centeno

Comissão Organizadora:
Alexandre Matos
Alice Semedo
Elisa Noronha
Fortunato Carvalhido
Maria Manuela Restivo
Sandra Carneiro
Susana Medina
Rui Centeno

(Fonte: Blogue do seminário)

 

Ensaios e Práticas em Museologia 02

Capa: “Ensaios e práticas em museologia”
Arranjo gráfico da capa: Elisa Noronha
Fotografia da capa © José António Lacerda, 2010

Semedo, Alice, Célia Machado, e Mariana Jacob Teixeira, eds. 2012. Ensaios e práticas em museologia. Vol. 02. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 286 páginas. ISBN: 978-972-8932-82-4.

 Foi recentemente publicado o segundo volume de “Ensaios e práticas em museologia”, uma publicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. A publicação, exclusivamente em formato digital, dá continuidade ao primeiro volume com o mesmo nome publicado o ano passado (ver aqui).

Trata-se de uma colectânea de 16 artigos que resulta dos trabalhos de investigação realizados por alunos no âmbito do curso de mestrado em museologia na Universidade do Porto entre 2008 e 2011. A diversidade das temáticas abordadas caracteriza este volume (bem como o anterior) e é, de certo modo, indicativo do desenvolvimento de várias linhas de investigação em torno deste campo de estudos, atendendo também a uma “abordagem integradora” que é claramente assumida pela Universidade do Porto, tal como se sublinha no texto de apresentação da publicação:

“O Curso de Museologia tem procurado desenvolver (…) [uma] abordagem ‘integradora’ de diferentes temas-chave (temas-paradigma) que se concretiza em diferentes disciplinas e o seu aproveitamento em termos de avaliação, relaciona-se plenamente com a abolição das fronteiras disciplinares tradicionais que cada vez são menos relevantes para as competências interdisciplinares do mundo contemporâneo e da museologia, em particular. Com esta abordagem integradora dos conhecimentos, espera-se estimular o pensamento crítico e criativo, competências cada vez mais necessárias para prosperar num mundo complexo e global que desafia os limites disciplinares” (p. 5).

 No momento actual, de grande asfixia orçamental das universidades (agora alcançando situações agonizantes e que por via das circunstâncias obriga à reinvenção e posicionamento das universidades) como tem sido mais que evidente nas últimas notícias, o surgimento de iniciativas como esta, note-se de baixo orçamento e sustentadas a partir das redes informais existentes entre alunos e professores (sublinhe-se aqui o papel fundamental de Alice Semedo), é exemplar pela sua capacidade de resiliência aos constrangimentos actuais (que não são apenas de carácter económico).

 Por outro lado, esta iniciativa reflecte também a emergência de novas dinâmicas por parte das universidades com relação à investigação em museologia, no sentido de promover e divulgar a produção científica que se desenvolve neste campo. Na mesma lógica veja-se, por exemplo, a publicação de um número dedicado aos “Museus e Investigação” (vol. 8) pela Revista de História da Arte (Universidade Nova) em 2011, e que incorpora a investigação que se tem produzido na linha de “museum studies” do Instituto de História da Arte desta universidade (ver os conteúdos aqui)[1]. E ainda a nova revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares (um projecto inter-universitário), cujo primeiro número está no prelo (cf. http://revistamidas.hypotheses.org/).

“Ensaios e práticas em museologia” está disponível na íntegra no seguinte endereço: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/10507.pdf (vol. 02)

 Veja também o primeiro volume: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/8926.pdf (vol. 1)

 

CONTEÚDOS:

[Ensaios e práticas em museologia. 02]

Apresentação, p. 5
Alice Semedo, Célia Machado e Mariana Jacob Teixeira

A inclusão da emoção na comunicação museológica – contributos do marketing de serviços, p. 10
Alexandre Beites

Museu ibérico da máscara e do traje: inventário da coleção museológica, p. 24
Ana Luísa Barreira Afonso Brilhante

Epistemologia do conhecimento em Michel Foucault: os museus e as suas coleções, p. 37
António Manuel Passos Almeida

Museu da resistência: lugar de memória e instrumento da memória, p. 57
Carlos Mendes

Museus e vizinhança – o desafio de partilhar território, p. 70
Célia Machado

Avaliação e redução do risco de dano associado à luz solar em duas novas galerias do Victoria and Albert Museum, p. 92
Diana Ornellas Bencatel

Entre a arte e a ciência – um projeto de educação na Casa-Museu Abel Salazar, p. 111
Filipa Leite

Práticas e políticas de conservação preventiva no English Heritage: modelo de uma política integrada de gestão de coleções, p. 127
Geraldine Garcia

Arquitetura de Museus: entre tradição e modernidade. A Casa das Histórias da Paula Rego, p. 143
Gilson Fernandes

Dos “públicos” nos museus: ensaio sobre os fundamentos teóricos que antecedem a definição de metodologias de trabalho, p. 163
Joana Almeida Ribeiro

Dos armazéns de armas aos atuais museus militares da Direção de História e Cultura Militar – análise de um percurso evolutivo, p. 182
Mariana Jacob Teixeira

Ensaio sobre o AAT – Art & Architecture Thesaurus, p. 201
Natália Jorge

Coleções e colecionadores de arte na revista Ilustração Moderna (1926-1932), p. 218
Ricardo Manuel Mendes Baeta

Ciência e Tecnologia: mensagem e meio na prática museológica, p. 233
Sandra Santos

Ligações on/off. Reflexões sobre a construção de redes de colaboração entre museus e produtores de ciência e técnica na Universidade do Porto, p. 252
Susana Medina

A poética do colecionador – um caso de estudo, p. 268
Teresa Pinhal

 


[1] Note-se porém algumas diferenças. O volume publicado pelo Instituto de História da Arte assume o sistema de arbitragem científica por pares na base da selecção e edição dos textos, enquanto na publicação da Universidade do Porto isso não se verifica.