Em nome das artes ou em nome dos públicos?

Em nome das artes ou em nome dos públicos é o título de uma conferência internacional no âmbito dos museus e da educação, uma das áreas com mais dinamismo na cena museológica portuguesa na actualidade. O evento é organizado pela Culturgest (Lisboa) e realiza-se a 13, 14 e 15 de Dezembro de 2011 (terça, quarta e quinta-feira).

Os oradores convidados são figuras conhecidas do panorama nacional, mas o programa conta também com algumas personalidades bem conhecidas internacionalmente. John Falk é uma delas. Quem nunca ouviu falar dos livros de Falk: “Museum Experience” (1992) (com Lynn D. Dierking) ou “Learning from museums: visitor experiences and the making of meaning” (2000) (também com Lynn D. Dierking)? O programa é certamente promissor!

Sobre a conferência:

De que modo os museus e os centros culturais estão a lidar com as exigências e as necessidades dos seus públicos? A emancipação dos públicos é verdadeiramente promovida ou é sobre a falta dela que se constrói a mediação cultural na actualidade? Que grau de partilha e de participação é solicitado aos públicos dos museus? É a interpretação do público uma forma de completar o objecto artístico? E onde começa a prática artística com comunidades e termina a mediação cultural? É o mediador cultural um agente isento e transparente ou a sua presença condiciona a interpretação dos objectos? Partilha com os seus públicos dúvidas honestas ou, na maior parte das vezes, já tem as respostas?

Sem deixar de indagar mas sem respostas à vista, convidámos artistas, filósofos, críticos e profissionais de museus de diferentes países para, em conjunto com o público, reflectirem sobre a importância e a validade da mediação cultural nos espaços museológicos da actualidade. Para mote de discussão de cada dia elegemos os conceitos de equipa, ética e erro.

Às equipas nos museus devemos o reconhecimento de serem a alma comunicante da maior parte das instituições. À ética devemos a reflexão constante sobre as formas de captação e comunicação com os públicos. Ao erro devemos o privilégio da aprendizagem e do crescimento constantes.
E porque acreditamos na riqueza da comunicação sem rede, optámos por correr o risco de apresentar três dias preenchidos com debates abertos ao público, mesas redondas com um só porta-voz, speed meetings e workshops orientados por artistas.

Pode encontrar mais informações no site da Culturgest (programa, inscrição):
http://www.culturgest.pt/actual/30-emnomedasartes.html


1 thought on “Em nome das artes ou em nome dos públicos?

  1. Gearte

    A conferência ocorrerá na Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest, na cidade de Lisboa, em Portugal e será transmitida simultaneamente para instituições parceiras nas cidades brasileiras de Recife, São Paulo e Porto Alegre, além de outras cidades portuguesas.

    Para quem desejar assistir à transmissão simultânea deste evento em Porto Alegre, o texto de apresentação, o programa completo da conferência com os horários da transmissão e a ficha de inscrição estão disponíveis em nosso site (http://www.gearte.ufrgs.br/eventos_inscricao.html)

    Atenciosamente,
    Gabriela Bon
    GEARTE – UFRGS

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.