Em nome das artes ou em nome dos públicos?

Em nome das artes ou em nome dos públicos é o título de uma conferência internacional no âmbito dos museus e da educação, uma das áreas com mais dinamismo na cena museológica portuguesa na actualidade. O evento é organizado pela Culturgest (Lisboa) e realiza-se a 13, 14 e 15 de Dezembro de 2011 (terça, quarta e quinta-feira).

Os oradores convidados são figuras conhecidas do panorama nacional, mas o programa conta também com algumas personalidades bem conhecidas internacionalmente. John Falk é uma delas. Quem nunca ouviu falar dos livros de Falk: “Museum Experience” (1992) (com Lynn D. Dierking) ou “Learning from museums: visitor experiences and the making of meaning” (2000) (também com Lynn D. Dierking)? O programa é certamente promissor!

Sobre a conferência:

De que modo os museus e os centros culturais estão a lidar com as exigências e as necessidades dos seus públicos? A emancipação dos públicos é verdadeiramente promovida ou é sobre a falta dela que se constrói a mediação cultural na actualidade? Que grau de partilha e de participação é solicitado aos públicos dos museus? É a interpretação do público uma forma de completar o objecto artístico? E onde começa a prática artística com comunidades e termina a mediação cultural? É o mediador cultural um agente isento e transparente ou a sua presença condiciona a interpretação dos objectos? Partilha com os seus públicos dúvidas honestas ou, na maior parte das vezes, já tem as respostas?

Sem deixar de indagar mas sem respostas à vista, convidámos artistas, filósofos, críticos e profissionais de museus de diferentes países para, em conjunto com o público, reflectirem sobre a importância e a validade da mediação cultural nos espaços museológicos da actualidade. Para mote de discussão de cada dia elegemos os conceitos de equipa, ética e erro.

Às equipas nos museus devemos o reconhecimento de serem a alma comunicante da maior parte das instituições. À ética devemos a reflexão constante sobre as formas de captação e comunicação com os públicos. Ao erro devemos o privilégio da aprendizagem e do crescimento constantes.
E porque acreditamos na riqueza da comunicação sem rede, optámos por correr o risco de apresentar três dias preenchidos com debates abertos ao público, mesas redondas com um só porta-voz, speed meetings e workshops orientados por artistas.

Pode encontrar mais informações no site da Culturgest (programa, inscrição):
http://www.culturgest.pt/actual/30-emnomedasartes.html



Citar este post
Ana Carvalho (2011, 29 Novembro). Em nome das artes ou em nome dos públicos? No Mundo dos Museus. Recuperado em 22 de Maio de 2024, de https://doi.org/10.58079/sdk9

Um comentário em “Em nome das artes ou em nome dos públicos?

  1. Gearte

    A conferência ocorrerá na Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest, na cidade de Lisboa, em Portugal e será transmitida simultaneamente para instituições parceiras nas cidades brasileiras de Recife, São Paulo e Porto Alegre, além de outras cidades portuguesas.

    Para quem desejar assistir à transmissão simultânea deste evento em Porto Alegre, o texto de apresentação, o programa completo da conferência com os horários da transmissão e a ficha de inscrição estão disponíveis em nosso site (http://www.gearte.ufrgs.br/eventos_inscricao.html)

    Atenciosamente,
    Gabriela Bon
    GEARTE – UFRGS

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.