Mouseion

João Brigola na abertura do 3.º encontro transfronteirico mouseion,
10 Dez. 2010, Castelo Branco

Mouseion é um vocábulo recorrente no mundo dos museus. Vem do grego e remete para a origem da ideia de museu, de templo das musas. As apropriações do termo ao longo do tempo são inúmeras.

Mais recentemente, Mouseion é o nome atribuído a uma rede de museus de carácter transfronteiriço. O objectivo principal é promover a colaboração entre museus na zona fronteiriça da Beira, do Alentejo e da Extremadura espanhola, através da gestão de recursos relacionados com exposições, formação de pessoal, conferências, ateliers e encontros.

Este projecto tem vindo a ser pensado desde 2002, ano em que é promovido o primeiro “encontro transfronteiriço mouseion”. Depois disso, começa a organizar-se um grupo de trabalho a partir do segundo encontro, em 2008 (Cáceres). No passado mês de Dezembro teve lugar o terceiro encontro mouseion, subordinado ao tema: “Museus para o Futuro: a fronteira que nos une”. O encontro realizou-se no Museu de Francisco Tavares Proença Júnior durante três dias (10-11-12 de Dezembro de 2010).

“No Mundo dos Museus” passou por lá tendo em conta tratar-se de um projecto transfronteiriço e de base colaborativa. O trabalho em rede é hoje mais do que uma ideia, uma necessidade. Todavia, os projectos têm o seu percurso, e no momento o “Mouseion” pode dizer-se que é ainda um projecto embrionário, à procura de respostas para o futuro: como oficializar a constituição da plataforma? que instituições assegurarão a sua formalização? como se deve organizar? qual a melhor metodologia de trabalho? como se financiar? Foram estas algumas das questões colocadas para reflexão neste último encontro. Em 2012 prevê-se a realização de um outro encontro, talvez então reflectindo sobre as actividades já desenvolvidas através do trabalho em rede.

O último número da revista espanhola “Museología” (n.º 49, 2010), editada pela “Associación de Museólogos”, dá especial enfoque à plataforma Mouseion, que é  tema de capa.

Destacamos, entre outros, a entrevista a João Brigola, director do IMC, sobre a importância de redes transfronteiriças como a plataforma Mouseion, o artigo de Ana Mercedes Stoffel, museóloga, sobre a história do projecto, o conceito e objectivos da plataforma e o artigo de Aida Rechena, directora do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, sobre as potencialidades e fragilidades do trabalho em rede a partir das percepções dos museológos e profissionais de museus com base num questionário distribuído na área geográfica de base da plataforma Mouseion. Para saber mais sobre a revista consulte o seguinte endereço: www.museologia.net

Ao que tudo indica, o projecto ainda não tem espaço na internet. Assim, para saber mais sobre esta rede ou para aderir ao projecto deve contactar:
Museu de Francisco Tavares Proença Júnior
Largo Dr. José Lopes Dias
6000-462 Castelo Branco
(00351) 2772347880 (Fax)
Mftpj.directora@imac-ip.pt


1 thought on “Mouseion

  1. Pingback: ReCose – uma rede de profissionais no facebook « No Mundo dos Museus…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.