Hoje: Museus e Sustentabilidade Financeira, no Porto

Decorre hoje uma conferência sobre “Museus e Sustentabilidade Financeira”, no Museu Soares dos Reis.

Sobre a Conferência:

Não é segredo que a gestão dos museus requer um avultado investimento financeiro. No entanto, os museus em Portugal, e nomeadamente os museus públicos e ou apoiados financeiramente pelo Estado, têm vindo a sofrer um congelamento, e em alguns casos até, um decréscimo acentuado do orçamento operacional que lhes é atribuído. Por outras palavras, os museus têm que procurar fontes de rendimento autónomas.

O programa do recém-eleito governo apresenta para os museus uma linha estratégica: reavaliar a política de gratuitidade dos museus públicos. Será este posicionamento suficiente para resolver a situação, por muitos qualificada de penúria, de alguns dos nossos maiores museu? Qual é o impacto (financeiro e identitário) desta revisão? Que soluções têm os museus aplicado para compensar a falta de investimento das tutelas? Qual o peso do rendimento das vendas de loja, restaurantes e cafetarias e do aluguer de espaços no orçamento dos nossos museus ? Os programas de voluntariado vieram alterar o mapa financeiro dos museus? De que modo? Com que custos éticos? E quais as implicações destas políticas financeiras na missão do museu? Estará o museu a comprometer a sua essência identitária ao preocupar-se com a rendibilidade?

Neste Encontro procuramos respostas para estas questões e dar a conhecer práticas e modelos orçamentais que funcionam e que permitem aos museus almejarem um verdadeiro desenvolvimento estratégico.

Maria Vlachou e Inês Fialho Brandão estão de parabéns pela organização do encontro, que será certamente um importante balanço sobre este tema em Portugal. Para aqueles que não podem assistir ao encontro, é possível consultar as sinopses das apresentações no site da ICOM-PT:

http://www.icom-portugal.org/


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.