Cátedra UNESCO de Património Imaterial na Universidade de Évora

Colégio do Espírito Santo, Universidade de Évora

Colégio do Espírito Santo, Universidade de Évora, © Ana Carvalho

Recentemente a UNESCO atribuiu à Universidade de Évora a Cátedra em património imaterial. A Universidade de Évora, que em 2006 era pioneira em Portugal no desenvolvimento de um projecto sobre património imaterial (cf. MEDINS) em linha com o enquadramento da Convenção 2003, tem com esta iniciativa a possibilidade de aprofundar um projecto de investigação em torno da valorização deste património.

“Trata-se de uma cátedra com o título “Intangible Heritage and Traditional Know-how: Linking Heritage” e, como o nome indica, tem como ponto central o património imaterial e o saber fazer tomados num sentido alargado. Há uma equipa da Universidade de Évora que apoia o trabalho da Cátedra, uma rede que se vai formando, linhas de investigação previstas e formação avançada que se perspectiva. De certeza, um enorme trabalho pela frente.” (Entrevista com Filipe Themudo Barata, 4 Março 2013).

Para desenvolver este projecto na Universidade de Évora (CIDEHUS-Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades) foi constituída um equipa multidisciplinar: Filipe Themudo Barata (responsável pela cátedraDepartamento de História, CIDEHUS), João Rocha (Departamento de Arquitectura), Sofia Capelo (Departamento Paisagem, Ordenamento e Território), Fernando Branco Correia (Departamento de História) e Cyril Isnart (Departamento de História, CIDEHUS).

No âmbito da cátedra estão previstas várias actividades ligadas à investigação nesta área, à formação (cursos, seminários, workshops, etc.), estabelecimento de redes com vários parceiros, partilha e divulgação de conhecimento sobre PCI, cooperação com o Mediterrâneo e com África, etc.

Os objectivos da cátedra são os seguintes:

– Estabelecer uma rede de investigadores e instituições na região do Mediterrâneo e em África para apoiar a investigação, a formação, os alunos e a mobilidade de profissionais, bem como a partilha de conhecimento nas áreas do património material e imaterial, e saber-fazer tradicional.

– Desenvolver e implementar, juntamente com outros parceiros, um programa de cooperação para apoiar, do ponto de vista científico, a criação de um centro de investigação de excelência na Universidade de Cabo Verde (UNICV).

– Fornecer formação pós-graduada nas áreas do património imaterial e do saber-fazer tradicional, bem como oferecer acções de formação de curta duração suportadas em TIC, dirigidas não só a profissionais, assim como para grupos frágeis e marginalizados.

– Implementar actividades que visem melhorar o conhecimento de jovens investigadores e profissionais sobre património material e imaterial, bem como no saber-fazer tradicional, visando desenvolver as competências dos actores públicos e privados a nível local, regional e nacional nas áreas em foco.

– Promover boas práticas na aplicação de património cultural imaterial e saber-fazer tradicional no âmbito da conservação do património; desenvolver um modelo de interacção e partilha de boas práticas para grupos académicos e investigadores de países do Sul; organizar seminários internacionais e workshops temáticos.

– Cooperar com a UNESCO em vários programas e actividades de relevo.

(Fonte: UNESCO, tradução minha)

***

Filipe Themudo Barata é Professor Associado na Universidade de Évora, onde lecciona nas áreas da História, Paisagem Cultural, Património e Museus.  É membro da Comissão Científica e Pedagógica do Mestrado Erasmus Mundus TPTI – Techniques, Patrimoines, Territoires de l’Industrie; membro do Comité de Direção da Associação HERIMED (Palermo); Professor convidado na Universidade de Cabo Verde; e membro associado do Centre d’Histoire des Techniques (Paris Sorbonne – Panthéon). Tem estado ligado a instituições com valências museológicas, tais como a Fundação Cidade de Ammaia ou a Fundação Arquivo Paes Teles, entre outras (Foundation Orient-Occident, etc.). Tem coordenado vários projectos internacionais: INTERREG III B MEDOCC – MEDINS (Identity is future: Mediterranean Intangible Space) (2006-2009); INTERREG III B MEDOCC – MERCATOR (Routes des Marchands, Villes des Marchés en Méditerranée) (2006-2009); COST A27 Landmarks(Understanding pre-industrial structures in rural and mining landscapes) (2005/2009); e Erasmus Mundus EMMAWEST Project (desde 2012). Destaca-se, ainda, a sua participação no projecto de inventário do património de influência portuguesa, desenvolvido a partir de 2007 pela Fundação Calouste Gulbenkian (cf. HPIP). Cv completo aqui.

***

Outros posts neste blogue sobre património imaterial:

O Lugar do Património Cultural Imaterial nas Políticas do Património

Le Patrimoine Culturel Immatériel, Premières Expériences en France

Intangible Heritage and the museum: new perspectives on cultural preservation

Entrevista com Filipe Themudo Barata (sobre os museus e o património)

Património imaterial: desafios e perspectivas



Citar este post
Ana Carvalho (2013, 24 Março). Cátedra UNESCO de Património Imaterial na Universidade de Évora. No Mundo dos Museus. Recuperado em 15 de Junho de 2024, de https://doi.org/10.58079/sdms

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.