“Antropologia, Políticas e Imagens da Cultura e Museologia”

Museu Nacional de Etnologia 2013 © Ana Carvalho

Museu Nacional de Etnologia 2013 © Ana Carvalho

No seio da antropologia nasce novo doutoramento que inclui também a museologia. O programa de doutoramento – “Antropologia, Políticas e Imagens da Cultura e Museologia” é uma parceria entre o ISCTE – Instituto Universitário e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova.

A novidade reside em que este é o único doutoramento em Portugal com menção em museologia certificado com o selo de qualidade da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). Isto significa que este doutoramento será financiado e, consequentemente, terá 8 bolsas de doutoramento apoiadas pela FCT que serão geridas autonomamente pelas universidades.

O panorama de financiamento à ciência em Portugal promovido pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC) está a alterar-se de forma significativa. Esta é uma das mudanças e que corresponde, por um lado, a uma menor margem para as candidaturas individuais a bolsas de doutoramento fora de programas de investigação específicos e, por outro lado, a uma maior definição e articulação entre as linhas de investigação e o seu desenvolvimento por investigadores/bolseiros. Isto representa, de certo modo, maior autonomia para as universidades selecionarem os candidatos que melhor servem as suas orientações programáticas e respectivos projectos.

Dos programas de doutoramento que se candidataram ao financiamento da FCT (concurso 2012), ou seja, das 238 candidaturas nos vários domínios científicos (Ciências da Vida e da Saúde; Ciências Exactas e da Engenharia; Ciências Naturais e do Ambiente; e Ciências Sociais e Humanidades) apenas 51 propostas tiveram parecer positivo.

No campo das Ciências Sociais e Humanidades, onde se insere a Museologia, foram certificados apenas 13 doutoramentos. Segundo a FCT os doutoramentos selecionados correspondem a programas de qualidade ao nível dos critérios internacionais, práticas inovadoras, e que são fruto de parcerias nacionais e internacionais ou que demostrem articulação com o tecido económico (mais informações sobre os programas de doutoramento FCT aqui). Entre os 13 doutoramentos certificados, inclui-se o programa de doutoramento em História – PIUDHIST, um consórcio entre a Universidade Católica, o ISCTE, a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e a Universidade de Évora, que conta já com várias edições e provas dadas.

O programa de doutoramento “Antropologia, Políticas e Imagens da Cultura e Museologia” é coordenado por Nélia Dias, uma das investigadoras mais internacionais no campo da antropologia-museologia (veja-se aqui o seu currículo). O doutoramento dá particular enfoque a uma linha de investigação que sublinha uma aproximação crítica ao Património Cultural Imaterial. Tem início no próximo ano lectivo.

O Programa de Doutoramento FCT Antropologia: Políticas e Imagens da Cultura e Museologia visa fornecer uma aproximação simultaneamente diversificada e crítica aos processos contemporâneos de produção e reprodução de formas culturais e formar investigadores e profissionais altamente qualificados, com particular foco no Património Cultural Imaterial.

O programa é promovido conjuntamente pela FCSH/NOVA e pelo ISCTE-IUL, em articulação com três centros de investigação – CRIA, INET/FCSH-NOVA e IELT/FCSH-NOVA – com pesquisa consolidada nas áreas da antropologia, etnomusicologia e literaturas tradicionais.

Centrado na pesquisa interdisciplinar sobre culturas expressivas, o programa abordará temas como o estudo do ritual e outras performances culturais, a articulação entre património natural e cultural, o papel dos museus e do turismo na objetificação da cultura, a circulação e reescalonamento de expressões culturais e a relação entre formas materiais e imateriais de expressão cultural.

A par da incidência nas práticas culturais e no Património Cultural Imaterial em Portugal, o programa visa também outros contextos de pesquisa em três eixos geográficos: países do Mediterrâneo, Brasil e países africanos de língua oficial portuguesa. (in site FCSH)

Este programa de doutoramento tem previstas articulações internacionais, nomeadamente: Instituto de Ciencias del Patrimonio del CSIC Madrid, Labexmed – Maison Méditerranéenne des Sciences de l´Homme, Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO).

Entre os professores deste curso de doutoramento estão nomes sobejamente conhecidos: João Leal, Amélia Frazão-Moreira, Jorge Freitas Branco, Paula Godinho, Paulo Raposo, Ana Paula Guimarães, Maria Cardeira da Silva, Salwa Castelo Branco, e ainda Nélia Dias.

Mais informações sobre candidaturas, prazos e funcionamento do doutoramento aqui e no site: http://www.fcsh.unl.pt/ensino/doutoramentos/antropologia-1/


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.