Credenciação, Sistemas e Redes Nacionais de Museus

Imagem da defesa

Defesa doutoramento Clara Frayão Camacho, 8 Julho 2014, Universidade de Évora © Ana Carvalho

Camacho, Clara Frayão. 2014. Credenciação, Sistemas e Redes Nacionais de Museus: Uma Panorâmica Europeia Contemporânea. Tese de doutoramento em História, Universidade de Évora.

Júri: Augusto Santos Silva (Universidade do Porto); Maria Bolaños (Museu Escultura de Valadollid); Fernando António Baptista Pereira (FBArtes/Universidade de Lisboa); Filipe Themudo Barata (Universidade de Évora) e orientadores: João Brigola (Universidade de Évora) e Raquel Henriques da Silva (FCSH/UNL); tese defendida a 8 de Julho de 2014. Disponível na íntegra no repositório da Universidade de Évora: http://hdl.handle.net/10174/11718

Resumo:

Ao longo das últimas décadas, a criação de medidas dirigidas à melhoria dos museus tem sido constante, entre as quais sobressai a credenciação de museus e a organização destas instituições em sistemas e em redes, realidades que só pontualmente têm sido alvo da investigação académica.

Esta tese explora as relações entre a credenciação, os sistemas e as redes de museus num conjunto de países europeus no arco cronológico compreendido entre 1985 e 2010. A primeira data foi definida em função da criação do Sistema Espanhol de Museus e dos trabalhos preparatórios do esquema britânico de credenciação, coincidindo a segunda com o arranque da investigação. Escolhidos em função de critérios geográficos, históricos e museológicos, os países estudados foram os seguintes: Espanha, França, Irlanda, Itália, Letónia, Países Baixos, Polónia, Portugal e Reino Unido.

A investigação teve como principal objetivo contribuir para a identificação, a caracterização, a sistematização e o aprofundamento do conhecimento sobre estes temas na Europa. Assumindo uma natureza exploratória, efetuou-se o levantamento dos sistemas de credenciação e dos sistemas e redes nacionais de museus dos países selecionados; identificou-se e sistematizou-se os processos de criação e o seu historial; caracterizou-se as linhas de ação, o funcionamento e a gestão; comparou-se objetivos, medidas e resultados. A concretização destes propósitos foi viabilizada pelo uso conjugado de metodologias de investigação próprias da História e de outras Ciências Sociais, designadamente a pesquisa documental e o trabalho de campo, incluindo visitas aos países estudados e a realização de entrevistas.

A abordagem histórica evidenciou o balanço entre as influências externas e internas na origem dos sistemas de credenciação, sendo as últimas determinantes na individualização de cada um. A difusão da credenciação no espaço europeu ocorreu em processos múltiplos de contaminação, se bem que as influências do modelo britânico tenham sido preponderantes. A perspetiva temporal evidenciou ainda a coexistência de ciclos longos de gestação da credenciação e processos de curta duração noutros contextos nacionais. De forma generalizada, observou-se entroncamento da credenciação, dos sistemas e das redes de museus na oficialização ou na expansão das respetivas políticas públicas.

A comparação demonstrou a existência de semelhanças institucionais, funcionais, patrimoniais e sociais, a despeito da variabilidade dos conceitos de museu e dos contextos administrativos. O exercício comparativo pôs em causa a perspetiva dicotómica do ICOM quanto à divisão entre países que se regem por sistemas de credenciação e por leis de museus, evidenciando sistemas híbridos que assentam formalmente em legislação mas integram padrões e requisitos idênticos às diretrizes dos sistemas sem força de lei. Quanto às relações entre credenciação, sistemas e redes de museus, a investigação mostrou que, no universo estudado, apenas na Letónia, na França e em Portugal o conjunto de museus credenciados coincide oficialmente com a principal rede nacional de museus, verificando-se na maioria dos restantes países a formação de redes temáticas e/ou geográficas infranacionais.

(Fonte: Clara Frayão Camacho)



Citar este post
Ana Carvalho (2014, 29 Setembro). Credenciação, Sistemas e Redes Nacionais de Museus. No Mundo dos Museus. Recuperado em 15 de Junho de 2024, de https://doi.org/10.58079/sdon

2 thoughts on “Credenciação, Sistemas e Redes Nacionais de Museus

  1. Pingback: Apresentação do livro «Redes de Museus e Credenciação - Uma Panorâmica Europeia» - pporto.pt

  2. Pingback: Segundo volume sobre Estudos de Museus dedicado às redes e à credenciação | No Mundo dos Museus

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.