Encontro Ibero-Americano de Museus e a Declaração de Lisboa

Museu Nacional de Etnologia

Museu Nacional de Etnologia, Lisboa

Nos dias 13, 14 e 15 de outubro decorreu em Lisboa, no Museu Nacional de Etnologia, o 8.º Encontro Ibero-Americano de Museus, promovido pelo Programa Ibermuseus e pela Direção-Geral do Património Cultural.

Subordinado ao tema “Caminhos de futuro para os museus: tendências e desafios na diversidade”, o Encontro reuniu representantes de 17 países do universo ibero-americano que apresentaram reflexões e experiências nacionais, enquadradas por conferências de personalidades portuguesas que introduziram os painéis programáticos. Estes foram estruturados em torno de quatro temáticas principais: cooperação e redes; cidadania; era digital; políticas públicas e crise. A introdução a este último painel foi efetuada por uma representante da Network of European Museum Organizations (NEMO), assim estabelecendo uma articulação com organizações museológicas do espaço europeu.

As apresentações e os debates revelaram preocupações em torno da sustentabilidade das instituições museológicas, da evolução digital e da passagem à sociedade do conhecimento, das estratégias utilizadas pelos museus na busca de parcerias e cooperações e da institucionalização e formalização do sector.

Se bem que as realidades em presença fossem muito diversificadas, importa realçar o trabalho de investigação, recolha de dados e edição que o próprio Programa Ibermuseus tem vindo a realizar e de que constitui um feliz exemplo a recente edição do Panorama dos Museus na Ibero-América, pelo Observatório Ibero-Americano de Museus.

No final do Encontro foi celebrada a Declaração de Lisboa. O documento representa o compromisso dos países presentes, no sentido do aprofundamento de ações conjuntas de cooperação horizontal, do fomento da comunicação e do acesso para potencializar a participação cidadã na gestão de políticas públicas para os museus e da ênfase nas políticas públicas em todo o contexto ibero-americano para a institucionalização do campo dos museus. A Declaração de Lisboa está disponível em http://www.patrimoniocultural.pt/static/data/docs/2014/10/16/Declaracao_de_LisboaDEF.pdf e transcreve-se em baixo:

****

Declaração de Lisboa

VIII Encontro Ibero-Americano de Museus: caminhos de futuro para os museus ibero-americanos: tendências e desafios na diversidade.

Lisboa, Portugal, Museu Nacional de Etnologia

13, 14 e 15 de outubro de 2014

Os representantes dos países ibero-americanos participantes do VIII Encontro Ibero-Americano de Museus, reunidos sob o tema “Caminhos de futuro para os museus: tendências e desafios na diversidade”,

RECONHECENDO

a relevância dos princípios enunciados na Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais (UNESCO, 2005) para a orientação de políticas públicas no campo do patrimônio cultural;

as referências dispostas na Carta Cultural Ibero-Americana (2006), que reconhecem a Ibero-América como um complexo sistema composto por um patrimônio cultural tangível e intangível comum, diverso e excepcional, cuja promoção e proteção são indispensáveis;

os valores e princípios emanados da Declaração de Salvador, aprovada durante a celebração do I Encontro Ibero-Americano de Museus, Salvador de Bahia, Brasil, 2007, que orientam as políticas públicas para a área dos museus e da museologia, bem como a compreensão dos museus como ferramentas de desenvolvimento integral;

a importância dos encontros dos representantes de museus da Ibero-América como espaço de intercâmbio, formação de redes, troca de experiências e saberes e como espaço para reflexão e o fortalecimento das políticas públicas para os museus da região;

a necessidade de aprofundar o conhecimento mútuo das realidades museológicas dos países ibero-americanos em ocasiões de reflexão em torno do estado da questão das políticas públicas para museus;

a necessidade do debate sobre ideias e linhas de futuro para a evolução dos museus ibero-americanos que promovam a cooperação, a colaboração, a inclusão social e digital e a sustentabilidade,

DECLARAM SER METAS PRIORITÁRIAS

Cooperação, parcerias e redes 

O compromisso em aprofundar ações conjuntas no campo museológico, mediante um modelo de cooperação horizontal, de intercâmbio de saberes e experiências, e com respeito às diversidades culturais.

A consolidação de iniciativas de cooperação interinstitucional, intersetorial e internacional.

A adoção de politicas publicas integradas para promover mecanismos de sustentabilidade social para os museus.

Cidadania, acesso e participação 

O fomento de canais de comunicação e acesso para potencializar a participação cidadã na gestão de politicas publicas para os museus.

O reconhecimento do papel dos museus para a inclusão social e a construção da cidadania, o que favorece o pleno exercício dos direitos culturais.

Era digital 

A promoção do trabalho dos museus em redes baseadas em tecnologias digitais e o reconhecimento do valor das redes na construção, difusão, interpretação, uso e multiplicação do conhecimento como uma outra via para a sustentabilidade social dos museus.

Enfrentando as crises: políticas públicas para os museus

A construção de estratégias de gestão criativas e proactivas para o enfrentamento de diferentes contextos de mudanças e detecção de novas oportunidades. A realização de estudos para o conhecimento das perspectivas e tendências para os museus na Ibero-América, que permitam identificar formas de sustentabilidade. A ênfase nas políticas públicas em todo o contexto ibero-americano para a institucionalização do campo dos museus.

AGRADECEM

A presença e as valiosas contribuições dos especialistas convidados: Sr. Antonio Pinto Ribeiro, Programador-Geral do Próximo Futuro – Fundação Calouste Gulbenkian, Sra. Clara Frayão Camacho, Museóloga, Direção-Geral do Património Cultural (Portugal), Sr. Augusto Santos Silva, Professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Sra. Inês Fialho Brandão, Museóloga, Doutoranda na National University of Ireland, Sra. Sofia Tsilidou, Membro da Direção da Network of European Museum Organizations e Assessora da Direção-Geral de Museus, Exposições e Programas Educativos do Ministério da Cultura da Grécia.

A organização, a Direção-Geral do Património Cultural de Portugal, e o apoio do Museu Nacional de Etnologia pela hospitalidade durante os dias do VIII Encontro.

Lisboa, Portugal, 15 de outubro de 2014.



Citar este post
Ana Carvalho (2014, 27 Outubro). Encontro Ibero-Americano de Museus e a Declaração de Lisboa. No Mundo dos Museus. Recuperado em 19 de Maio de 2024, de https://doi.org/10.58079/sdor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.