Perspectivas da Conservação Preventiva

imagem de figura no interior da tese

imagem de figura no interior da tese 

Homem, Paula Menino. 2013. Corrosão Atmosférica da Prata: Monitorização e Perspetivas de Conservação Preventiva. Tese de doutoramento em Museologia, Universidade do Porto. Disponível na integra no repositório da Universidade do Porto.

Defendida há pouco mais de um ano, destacamos a tese de doutoramento de Paula Menino Homem no âmbito da conservação preventiva. Professora na Universidade do Porto, onde é directora do curso de mestrado em museologia, Paula Menino Homem concluiu com esta tese uma etapa de um trabalho de vários anos. Tratou-se de uma investigação aplicada visando um melhor entendimento do processo de corrosão atmosférica conducente ao escurecimento dos artefactos em prata, para sua prevenção.

Resumo: A corrosão atmosférica da prata e suas ligas conduz ao seu escurecimento e constitui um problema, com especial interesse para o impacte no setor do património cultural. Neste contexto, estudou-se o processo, com o objetivo de melhor o entender e perspetivando a sua prevenção. Considerou-se a prata pura (Ag 999‰) e a liga conhecida por prata portuguesa ou esterlina (Ag 925‰). Numa primeira fase, investigou-se o seu comportamento recorrendo a ensaios laboratoriais em atmosferas controladas de NaCl e de H2S, permitindo testar a aplicação de diferentes técnicas de monitorização e análise, obter referenciais relativos a produtos de corrosão e estabelecer parâmetros para sua identificação, através de microscopia eletrónica de varrimento acoplada à microanálise por raios X, voltametria cíclica e de varrimento linear e espetroscopia de fotoeletrões de raios X. O recurso a câmara fotográfica digital como colorímetro tristimulus e ao programa Adobe Photoshop®, explorando o sistema CIELab, revelou-se simples e eficiente na monitorização das alterações colorimétricas. Estudou-se caso aplicado a espaços naturalmente ventilados, de exposição em ambiente não confinado/confinado em vitrina, ambos na Catedral do Porto. Usaram-se amostradores metálicos para mimetizar e investigar reações dos artefactos, em função de condições ambientais sazonais e de exposição anual. O processo revelou-se complexo, influenciado pelas condições termohigrométricas e pela qualidade do ar, tendendo a desacelerar com o tempo. Dele, sobressaem a presença e reações de partículas salinas, mormente cloretos e sulfatos. A Ag 925‰ manifestou-se mais reativa que a Ag 999‰. Detetaram-se óxidos e cloretos de prata e óxidos, hidróxidos, cloretos e hidroxicloretos de cobre. Sulfuretos de prata, só após exposição anual, maioritariamente na Ag 999‰ e em contextos não dominados por cloretos, mas por partículas de sulfatos, em especial de amónio.

Abstract: The atmospheric corrosion of silver and its alloys leads to its tarnishing and is a problem, with particular interest for the impact in the cultural heritage sector. In this context, the process was studied, aiming its better understanding and envisaging its prevention. Pure silver (Ag 999‰) and the alloy known as Portuguese or Sterling silver (Ag 925‰) were considered. In a first stage, its behavior was investigated by means of laboratory essays with controlled atmospheres of NaCl and H2S, allowing to test the application of different monitoring and analysis techniques, to obtain referential concerning corrosion products and setting parameters for their identification by scanning electron microscopy coupled with X-ray microanalysis, cyclic and linear sweep voltammetry and X-ray photoelectron spectroscopy. The use of a digital still camera as a tristimulus colorimeter and Adobe Photoshop® software, exploring the CIELab system, proved to be simple and efficient in monitoring colorimetric alterations. A case has been studied, applied to naturally ventilated exhibition spaces, not confined/confined to showcase, both in Porto Cathedral. Metal samplers were used to mimic and investigate reactions of artifacts, in function to seasonal environmental conditions and annual exposure. The process proved to be complex, influenced by thermohygrometric conditions and air quality, tending to slow down with time. From it, the presence and reactions of salt particles, mainly chlorides and sulphates, stand out. The Ag 925‰ is more reactive than Ag 999‰. The corrosion products detected were silver oxides and chlorides and copper oxides, hydroxides, chlorides and hydroxichlorides. Silver sulphides were detected only after one year exposure, mainly in the Ag 999‰ and in contexts not dominated by chlorides, but by particles of sulphates, especially ammonium.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.