Diversidade Cultural e Museus no Séc. XXI: O Emergir de Novos Paradigmas

MWC Risk Zones - vista global da exposição 2011

Carvalho, Ana. 2015. Diversidade Cultural e Museus no Séc. XXI: O Emergir de Novos Paradigmas. Doutoramento em História e Filosofia da Ciência, especialização Museologia, Universidade de Évora. http://hdl.handle.net/10174/17778

Júri: José Alberto Machado – presidente – (Universidade de Évora); Marta Lourenço (Museu da Ciência da Universidade de Lisboa); José Sobral (Instituto Ciências Sociais, Universidade de Lisboa); Alice Semedo (Universidade do Porto); Ema Pires (Universidade de Évora), Jorge Freitas Branco (ISCTE); Filipe Themudo Barata (Universidade de Évora) – orientador -; Fátima Nunes (Universidade de Évora) – co-orientadora -; Paulo Simões Rodrigues (Universidade de Évora) – co-orientador.

Disponível no repositório da Universidade de Évora:

Resumo:

Este estudo estabelece uma análise comparativa entre três museus com colecções etnográficas: dois museus no contexto internacional: o Museum of World Culture, em Gotemburgo, e o World Museum Liverpool, e, em Portugal, o Museu Nacional de Etnologia. Na era da globalização, o multiculturalismo e a preservação da diversidade cultural representam novos desafios para os museus, em particular para os etnográficos. Não se trata só de conhecer o “Outro”, que está no centro dos museus tradicionais, mas de uma nova perspectiva sobre a diversidade, que se desenvolve também nas nossas sociedades, com as comunidades de imigrantes, que implica que o “Outro” ou “Outros” passaram a fazer parte de “nós”. Diante da emergência de novos paradigmas, este estudo procura reflectir sobre os desafios contemporâneos de uma museologia mais representativa, inclusiva e participativa. Com base na investigação realizada, concluiu-se que, pese embora as diferenças de percurso e de contexto institucional e as diferentes circunstâncias nas quais se enquadram, os três museus reconhecem a alteração do seu papel em função das mudanças sociodemográficas das sociedades em que estão inseridos, todavia, as respostas são variáveis quanto à sua operacionalização nas práticas museológicas.

Cultural Diversity and Museums in the 21st Century: Emerging New Paradigms

Abstract: This study establishes a comparative analysis between three museums with ethnographic collections: two of these museums are in the international museum scene (Museum of World Culture, in Gothenburg, and the World Museum Liverpool) and one museum in Lisbon, the National Museum of Ethnology. With globalization, multiculturalism and the preservation of cultural diversity represents new challenges for museums, especially ethnographic museums. It’s not just about knowing the “other”, which is at the center of traditional museums, it’s about a new perspective about diversity, which is being developed in our societies with the immigrant communities, meaning that the “other” is now part of “us”. Taking in consideration the emerging of new paradigms, this study reflects on the contemporary challenges of a more representative, inclusive and participatory museology. This research revealed that in spite of the differences between the case studies, the three museums recognized that their role is challenged by sociodemographic changes within the societies they operate, however different perspectives are developed.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.