ICOM discute nova Recomendação da UNESCO e o papel dos museus na interpretação das paisagens culturais

Jornadasprimavera2016

O ICOM Portugal (Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional de Museus) organiza as habituais Jornadas de Primavera, que se realizam no próximo dia 28 de Março, no Palácio da Ajuda. O objectivo das jornadas é reflectir sobre a nova Recomendação da UNESCO Relativa a Museus e Colecções e sobre a Carta de Siena – Museus e Paisagens Culturais, tema do Dia Internacional de Museus. Entrada livre, mas é necessário inscrição através do email: info@icom-portugal.org

A “Recomendação Relativa à Protecção e Promoção dos Museus e das Colecções, da sua Diversidade e do seu Papel da Sociedade” foi aprovada a 17 de Novembro de 2015, em Paris, no âmbito da 38.ª sessão da assembleia-geral da UNESCO. O último documento da UNESCO referente a museus datava da década de 1960. Mais de 50 anos passados, esta nova Recomendação marca uma posição sobre quais as orientações que devem ser seguidas pelos Estados-parte em matéria de políticas museológicas.

Porquê uma Recomendação da UNESCO? Qual a sua importância? Quais as novidades? Que impacto para as políticas nacionais? Estas são algumas das questões de partida para uma conversa com Clara Frayão Camacho, que foi a perita nacional envolvida na discussão na fase preparatória do documento, e com Pedro Pereira Leite, museólogo que tem centrado a sua investigação no papel social dos museus. Eu estarei com moderadora da conversa. A Recomendação, em inglês, está disponível no seguinte endereço: http://bit.ly/1plPPqI

A Carta de Siena refere-se aos “Museus e Paisagens Culturais” que é o tema do Dia Internacional de Museus deste ano e o mote da 24.ª conferência-geral do ICOM em Milão (3-9 Julho 2016). É uma proposta italiana apresentada ao ICOM e que resultou de uma conferência internacional que teve lugar em Siena a 7 de Julho de 2014 para repensar o papel dos museus na protecção das paisagens culturais.

Entende-se que a paisagem cultural é parte integrada do património cultural e natural e que cabe também aos museus a responsabilidade de a preservar e interpretar na sua dimensão material e imaterial. Podem os museus tornar-se centros de interpretação dos lugares e das comunidades que servem? A resposta afirma-se positiva, mas como disseminar o conhecimento produzido sobre este património? Que competências e recursos são necessários? Que abordagens? Que oportunidades estão implícitas um papel mais activo dos museus no território? Estas são algumas das interrogações que o tema evoca. Joana Sousa Monteiro, secretária do ICOM Portugal e actual directora do Museu de Lisboa, e Dália Paulo, membro da direcção do ICOM Portugal e directora do Museu de Loulé apresentarão a Carta de Siena e as respectivas interpelações aos museus.

Mais informações sobre a Carta de Siena em: http://bit.ly/2286a3I.

Mais Informações sobre o Dia Internacional de Museus 2016 em: http://bit.ly/1Rd2cSg

No mesmo dia, pelas 15h, decorre a assembleia-geral do ICOM Portugal. Trata-se de um momento importante de debate e reflexão interna e uma oportunidade para todos os membros participarem na discussão de assuntos relevantes para a vida da associação e para a comunidade museológica em Portugal. A participação dos membros é essencial, uma vez que com o contributo de todos o ICOM Portugal será, cada vez mais, uma organização forte e capaz de promover as mudanças necessárias para os museus portugueses e para os seus profissionais.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.