Que Política Museológica para Portugal?

“Contributos para uma Urgente e Necessária Política Museológica Nacional” é o título de um documento produzido pela Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional de Museus (ICOM Portugal) recentemente divulgado. Neste documento, o ICOM Portugal apresenta uma reflexão sobre o futuro dos museus, identificando problemas e apontando eixos de atuação para uma futura política museológica em Portugal.

Como refere Alexandre Matos no blogue Mouseion, este documento “reflecte bem o ponto de situação actual nos museus portugueses. Aborda o esquecimento da Rede Portuguesa de Museus (RPM), a não aplicação da Lei-quadro, a situação difícil em que se encontram vários museus em Portugal (alguns até se encontram fechados), a inexistência de estratégia, o desrespeito pelos profissionais e pelos orgãos de consulta previstos na Lei, entre outras situações. Diz, a propósito do tema do Dia Internacional de Museus, aquilo que, há uns anos, pensariamos ser indízivel, mas que infelizmente é hoje uma realidade”.

Mas para além de um diagnóstico rigoroso, o documento enuncia e reivindica também um conjunto de orientações e prioridades, nomeadamente:

  1. Autonomização do sector dos museus na orgânica da Cultura;
  2. Revitalização da Rede Portuguesa de Museus;
  3. Reactivação do Observatório de Actividades Culturais;
  4. Cumprimento da Lei-quadro dos Museus Portugueses;
  5. Flexibilização dos modelos de gestão dos museus;
  6. Dignificação dos profissionais;
  7. Internacionalização dos museus e dos profissionais de museus.

O documento está disponível no site do ICOM Portugal: http://icom-portugal.org/multimedia/documentos/2017_ICOMPT_PoliticaMuseus.pdf


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *