Novo boletim do ICOM Portugal revisita a Lei-Quadro dos Museus Portugueses

O 10.º número do Boletim do ICOM Portugal tem como tema a Lei-Quadro dos Museus Portugueses: Balanço e Perspectivas. Passados 13 anos da aprovação e aplicação da Lei que, aliás, teve o apoio unânime do parlamento aquando da sua aprovação e reuniu o consenso igualmente entre a comunidade de profissionais de museus, que balanço pode hoje ser feito, em termos de conteúdos, aplicação e actualidade da Lei? Que aspectos podem ser alterados, aprofundados ou acrescentados? Por outro lado, incidir sobre a Lei-Quadro equivale também a reflectir sobre política museológica (ou a inexistência desta), sobre gestão, sobre estratégia e prioridades, tudo isto atendendo a uma perspectiva de longo termo, seja do que se fez, seja do que se perspectiva fazer. Além disso este é também o momento oportuno de o fazer, uma vez que na agenda política se prevêem mudanças que visam a descentralização, transferindo mais poder para as câmaras e Juntas Metropolitanas, com impactos expectáveis também para os museus.

Este número do boletim traz diferentes olhares numa perspectiva dupla: argumentos que se centram não apenas no mapeamento de problemas e desafios, mas que fazem igualmente uma análise prospectiva do que pode ser feito, incluindo pistas e soluções concretas. É este o fio condutor em várias secções deste boletim. Primeiramente, no artigo (Em Foco), através da perspectiva de Graça Filipe que reflecte sobre este panorama numa escala mais macro.

Em Perspectivas, dá-se enfoque às colecções visitáveis, uma categoria prevista na Lei-Quadro, mas que não teve desenvolvimento subsequente. Os dois textos de opinião, de Cláudia Freire e de Lúcia Almeida Matos, respectivamente, evidenciam diferentes ângulos e possíveis caminhos a trilhar.

Por fim, uma entrevista com Isabel Soares, na qual se percorre vários tópicos relativos à Lei-Quadro.

Em Museus & Pessoas destaca-se o perfil de João Alpuim Botelho, director do Museu Bordalo Pinheiro desde 2014, um museu que se encontra em fase de renovação.

Como habitual, apresentam-se vários textos de comentário sobre conferências ligadas à actividade do ICOM, nacional e internacional. E ainda uma selecção de publicações, incluindo sugestões de leitura e novas edições no panorama nacional e internacional, assim como um leque diverso de eventos em agenda para os próximos meses.

O boletim inaugura neste número uma nova secção: Opinião dos Membros, um espaço aberto onde os profissionais podem ter uma voz activa sobre tópicos da actualidade museológica.

Ficamos a saber que o próximo boletim (Fevereiro) será dedicado ao tema do Dia Internaci- onal de Museus para 2018: Museus Hiperconectados: Novas Abordagens, Novos Públicos.

O boletim está disponível no site do ICOM Portugal: http://icom-portugal.org/boletim-icom-pt/

 

****

Índice

03 | Editorial, por Ana Carvalho

07 | Mensagem do Presidente, por José Alberto Ribeiro

10 | Breves

12 | Em Foco: A Implementação da Lei-Quadro dos Museus Portugueses: Aporia de uma Política Museológica?, por Graça Filipe

Perspectivas:
18 | A colecção é visitável? (I), por Claudia Freire
22 | A colecção é visitável? (II) por Lúcia Almeida Matos

26 | Entrevista com Isabel Soares, por Ana Carvalho

Conferências: comentários
34 | Desafios Actuais e Futuros, por Maria de Jesus Monge
37 | Redesenhar os Museus. Competências Digitais para a Mudança e Inovação, por Ana Carvalho
40 | Ligando o Passado e o Presente, por Hélia Marçal e Joana Silva
43 | Documentação: Passado, Presente, Futuro… por Alexandre Matos
46 | Formação para a Inclusão: A Acessibilidade é Exequível? por Marta Ornelas
49 | Museus & Pessoas: João Alpuim Botelho, por Ana Carvalho
57 | Opinião dos Membros: A Conservação e Restauro em Portugal: ‘sem rei nem roque’, por André Varela Remígio

Publicações
59 | Sugestões de leitura
60 | Novas edições

Agenda
64 | Conferências, encontros, debates
68 | Formação

 

****

Este boletim é uma edição da Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional de Museus (ICOM Portugal) e conta com a coordenação editorial de Ana Carvalho. Em formato digital (ISSN 2183-3613), publica-se três vezes por ano (Fevereiro, Junho e Outubro). Tem como missão a partilha de informação, de ideias e de boas práticas entre os profissionais de museus, contribuindo para o desenvolvimento e dinamismo do sector. Cada número é dedicado a um tema relevante da Museologia portuguesa e internacional, combinando artigos, textos de opinião, entrevistas, notícias, comentários de conferências, sugestões de leitura e novas publicações, e ainda um leque diverso de eventos em agenda (conferências, debates, formação, etc.). O boletim foi distinguido com o prémio APOM 2017 na categoria melhor “Comunicação Online”.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *