Arquivo de etiquetas: Alcina Cortez

Novo livro da Coleção Estudos de Museus estuda o papel do som nas exposições

A imagem tem uma orelha em primeiro plano de onde sai uma onda de som

O Som como Meio de Comunicação nas Exposições (2023) é o 26.º título da Coleção Estudos de Museus, uma edição da Direção-Geral do Património Cultural em parceria com a editora Caleidoscópio.

O livro resulta da tese de doutoramento em Musicologia/Etnomusicologia, de Alcina Cortez, apresentada à Universidade Nova de Lisboa em 2020. A Coleção Estudos de Museus prossegue, assim, com novas edições, alargando os horizontes das investigações na área dos museus e da museologia.

O lançamento acontece no próximo dia 2 de fevereiro (sexta-feira) de 2024, pelas 18h00 horas, no Museu Nacional de Arte Contemporânea, em Lisboa. O livro será apresentado por Edward Ayres de Abreu, diretor do Museu Nacional da Música.

Sinopse

O século xx foi palco de vários fenómenos que conduziram a um interesse crescente, da parte dos museus, pela potencialidade comunicativa do som e à realização de exposições em que o som é o elemento central. O aparecimento das tecnologias de registo sonoro constitui um dos momentos mais importantes neste processo: o facto de permitirem que o som se estabeleça enquanto objeto físico potenciou o aparecimento de novos entendimentos e concetualizações em torno do som. O conhecimento desenvolvido pelos estudos musicais foi igualmente preponderante neste processo: tendo demonstrado o valor cultural, social, político, económico e ético do som, a etnomusicologia e os estudos do som em particular vieram estimular a vontade dos curadores em utilizar o som como material para trabalhar noções de identidade, subjetividade e comunhão. Também a crescente preocupação, da parte tanto dos estudos de museus como da prática museológica, com o público visitante acelerou o interesse dos curadores pelo som como material para construir exposições. É ainda de destacar o papel desempenhado pelo desenvolvimento de tecnologias áudio, digitais e multissensoriais (realidade virtual, realidade aumentada e realidade mista), que proporcionaram formas de lidar, nas galerias, com a imaterialidade do som e, simultaneamente, fomentaram interações museológicas de base experiencial.

De âmbito claramente multidisciplinar, englobando a etnomusicologia, os estudos do som, os estudos de museus e a semiótica social, este livro propõe pela primeira vez uma estrutura classificativa das práticas multimodais de base sonora em museus. Partindo da análise de 69 exposições que tiveram lugar nos últimos dez anos, na Europa e nos Estados Unidos da América, a autora desenvolve concetualmente cinco categorias de prática multimodal de base sonora— som como “lição”; som como artefacto; som como ambiance/banda sonora; som como arte; e som como modo de curadoria partilhada.

Na segunda parte do livro, a autora examina o potencial comunicativo do som em exposições museológicas através do estudo de caso de arte sonora The Visitors (2012), de Ragnar Kjartansson, que veio demonstrar que o som e o espaço, quando em articulação, permitem trabalhar noções de identidade, subjetividade e comunhão.

O Som como Meio de Comunicação nas Exposições em Museus visa contribuir para o desenvolvimento e o estabelecimento das práticas multimodais de base sonora em museus, quer enquanto campo de investigação multidisciplinar e coeso, quer enquanto forma de potenciar uma mudança sensorial na prática museológica.

Sobre a autora

Alcina Cortez é Curadora e Produtora de exposições desde 1996, foi Diretora de Visitas do Pavilhão do Futuro na Expo’98 e Produtora Executiva de Exposições no Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian (2001-2011). Estudou piano, violoncelo e composição no Instituto Gregoriano de Lisboa. Formou-se em Musicologia (1992) e fez cursos de pós-graduação em Estudos de Música Popular (2012) e em Acústica e Estudos do Som (2019). Obteve o grau de mestre em Etnomusicologia/Estudos de Museus (2014) e concluiu o doutoramento (2022), também em Etnomusicologia/Estudos de Museus, com a tese Communicating Through Sound in Museum Exhibitions: Unravelling a Field of Practice, sob a orientação de Salwa Castelo-Branco e Jennifer Walklate. Investigadora no Instituto de Etnomusicologia, Música e Dança da Universidade Nova de Lisboa tem-se especializado no estudo do potencial comunicativo (representacional, emocional, sensorial e estético) do som enquanto elemento integrante de exposições museológicas. A sua investigação tem-se traduzido na publicação de diversos artigos em revistas, como a Curator, Popular Music e Sound Studies. É autora do blogue objectsofsound.com selecionado para integrar a publicação The Blog Book da MuseumsETC.

Índice

9 Prefácio
13 Primeiro Capítulo – Contributos para a exposição de som em museus
18 Formulação do problema
18 Enquadramento teórico
37 Metodologia e ferramentas analíticas
53 Segundo capítulo – Caracterizando a prática de expor som em museus: cinco categorias:
59 Som como “Lição”
74 Som como artefacto
93 Som como ambiance/banda sonora
98 Som como arte
105 Som como modo de curadoria partilhada
108 Observações finais
11 Terceiro capítulo – The Visitors, de Ragnar Kjartansson: um estudo de caso de arte sonora
114 Fontes
121 The Visitors do ponto de vista da significação
157 Observações finais
159 Quarto capítulo – Práticas de escuta em museus: um caminho
175 Notas e bibliografia
193 Agradecimentos

****

A Coleção Estudos de Museus foi criada em 2015 pela Direção-Geral do Património Cultural em parceria com a editora Caleidoscópio. Os títulos da colecção Estudos de Museus são selecionados por um conselho editorial constituído por Alice Semedo, Ana Carvalho, Fernando António Baptista Pereira,  Marta C. Lourenço, Pedro Casaleiro, Raquel Henriques da Silva e Clara Frayão Camacho (que acumula também a função de revisão editorial das obras e de coordenação científica).

Nota: O livro está à venda nas lojas dos museus e palácios nacionais e no circuito comercial (ex. Fnac, Bertrand, Wook, etc.)