Arquivo de etiquetas: arte funcional

Novo livro da coleção Estudos de Museus é dedicado à transformação da arte funcional em objeto museal

Transformar Arte Funcional em Objeto Museal é o mais recente livro publicado no âmbito da colecção Estudos de Museus, uma edição da Direção-Geral do Património Cultural em parceria com a editora Caleidoscópio.

O livro resulta da tese de doutoramento em Arte e Design de Sofia Ponte apresentada à Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto em 2016 (orientação de Lúcia Almeida Matos).

O lançamento é no dia 6 de Abril, pelas 18h00, via Facebook da Direção-Geral do Património Cultural. A sessão inclui intervenções de Lúcia Almeida Matos, Rita Jerónimo (Direção-Geral do Património Cultural) e Jorge Ferreira (Caleidoscópio). O lançamento será transmitido em direto no facebook da Direção-Geral do Património Cultural.

Sinopse

Este livro estuda a exposição de obras de Arte Funcional em museus de arte. Arte Funcional é um segmento de arte contemporânea, relacionado com a Arte Pública recente, constituído por obras que se materializam através de uma inconfundível articulação entre as suas dimensões conceptual, social e funcional. Preenchendo uma lacuna no estudo das estratégias de exposição deste tipo de obras e através de uma análise da sua transformação em objeto museal, esta investigação toma para análise três obras e a sua respetiva vida social — The Homeless Vehicle (1988) de Krzysztof Wodiczko, paraSite (1998-) de Michael Rakowitz e Victory Gardens+ (2007) de Amy Franceschini.
O leque diversificado de situações expositivas identificadas permitiu verificar que uma exposição põe em marcha ações de recontextualização que levam à transformação conceptual e material das obras em questão. Propõe-se que a natureza híbrida e complexa da Arte Funcional tende a desafiar as condutas de exposição praticadas nos museus de arte, porque o conceito de objeto museal relativo à Arte Funcional é instável. Verificou-se que este processo tem contribuído, e simultaneamente beneficiado, da “desmodernização” do contexto museal, um fenómeno recente mas com fervorosos seguidores, que tem potenciado uma atividade curadorial cada vez mais reflexiva.

Sobre a autora:

Sofia Ponte é natural de Lisboa. Doutora em Arte e Design pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP) e mestre em Visual Studies pela School of Architecture and Planning do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Membro integrado do Instituto de Design, Media e Cultura (ID+). Foi professora auxiliar convidada na FBAUP entre 2011 e 2020. Atualmente é professora auxiliar no IADE – Universidade Europeia.

Índice

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 – QUANDO A ARTE CONTEMPORÂNEA É ARTE FUNCIONAL
Variantes do Conceito de Arte Pública
O Crescimento da Estética da Participação Social
Dilemas Relativos à Esfera Social
Heranças da Arte Conceptual
Discussão do Conceito Funcional

CAPÍTULO 2 – ARTE FUNCIONAL – SELEÇÃO DOS CASOS DE ESTUDO
Enquadramento Metodológico
Campo Empírico

CAPÍTULO 3 – QUANDO A ARTE FUNCIONAL SE TORNA OBJETO MUSEAL
Musealizar Arte Contemporânea
A Musealização do Ponto de Vista dos “Céticos dos Museus”
Da Obra de Arte Instável ao Objeto Museal Instável
A Exposição de Arte Funcional
Recentes Desafios da Atividade Curadorial
A “Desmodernização” do Contexto Museal

CAPÍTULO 4 – TRAJETÓRIAS DA ARTE FUNCIONAL
Arte Funcional em Coleções de Arte
A Exposição da Coleção do Baltimore Museum of Art
Arte Funcional em Exposições Temporárias
O Pioneirismo de Krzysztof Wodiczko e The Homeless Vehicle em Exposição
As Diversas Versões Museais de paraSite
As Iterações de Victory Gardens 2007+ A Plan for Subsidized Urban Gardens

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Contributos da Investigação
Limitações e Dificuldades da Investigação
Investigação Futura

Notas
Siglas, acrónimos e abreviaturas
Fontes e bibliografia
Índice remissivo
Agradecimentos

****

Os títulos da colecção Estudos de Museus são selecionados por um comité editorial constituído por Alice Semedo, Fernando António Baptista Pereira, Pedro Casaleiro, Raquel Henriques da Silva, Vítor Serrão e Clara Frayão Camacho (que acumula também a função de revisão editorial das obras).

Nota: O livro está à venda nas lojas dos museus e palácios nacionais e no circuito comercial (ex. Fnac, Bertrand, Wook, etc.)

****