Arquivo de etiquetas: Marta Lourenço

Estudos em Museologia na academia

 © Ana Carvalho

Eis alguns dos trabalhos desenvolvidos no âmbito de mestrados e doutoramentos em museologia em universidades portuguesas em 2012. Este não é um retrato exaustivo*.

Ana Margarida Penedo (Jun. 2012). Marionetas de teatro wayang kulit de Java do Museu Nacional de Etnologia: Proposta metodológica para documentação da coleção. Tese para obtenção do grau de mestre em Imagem e Comunicação do ISCTE. Orientador: Joaquim Pais de Brito. Tese disponível na íntegra aqui:

Ana Isabel Vieira Braga (2012). Sistemas de documentação e inventário de uma colecção de cerâmica arqueológica da Quinta do Rouxinol. Relatório de estágio apresentado para o cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de mestre em Museologia no âmbito do Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Relatório disponível na íntegra aqui.

Sofia Botelho (2o12). O material e o imaterial na colecção etnográfica de cozinha do Museu Carlos Machado: proposta de intervenção. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível na íntegra aqui.

Joana Ganilho Marques (2012). Discursos de museus: uma perspectiva transdisciplinar. Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes, Mestrado em Educação Artística. Disponível aqui:  http://repositorio.ul.pt/handle/10451/5057

Maria de Lurdes Gomes (2012). A relação escola-museu na cidade de Lisboa. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui:  http://hdl.handle.net/10451/6621

Carla Santana (2012). Parque da Pré-História da Arrábida: um caminho para uma museologia participativa. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui:  http://hdl.handle.net/10451/6533

Adelaide Duarte (Set. 2012). Da colecção ao museu. O coleccionismo privado de arte moderna e contemporânea, em Portugal, na segunda metade do século XX. Contributos para a história da museologia. Tese de Doutoramento em Letras, Área de História e Especialidade em Museologia e Património Cultural apresentada na Universidade de Coimbra. Orientação: Irene Vaquinhas (Faculdade de Letras Universidade de Coimbra) e co-orientação de Lúcia Almeida Matos (Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto). Júri: João Maria Bernardo Ascenso André (Universidade de Coimbra), Alice Semedo (Faculdade de Letras Universidade do Porto); João Carlos Pires Brigola (Universidade de Évora); António Manuel Filipe da Rocha Pimentel (Faculdade de Letras Universidade de Coimbra), Raquel Henriques da Silva (FCSH, Universidade Nova de Lisboa) e José Maria Amado Mendes (Faculdade de Letras Universidade de Coimbra). resumo disponível aqui

Ana Catarina Teixeira da Silva (Julho 2012). Património Cultural da Universidade de Lisboa: levantamento e contributo para a sua valorização. Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Orientadores: Marta Lourenço e Luís Efrem Elias Casanovas. Trabalho de Projecto apresentado para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Museologia. Dissertação disponível na íntegra aqui.

Ana Paula Ribeiro Resende Dias (Nov. 2012). ARQVA – Museu Nacional de Arqueologia Subaquática (Cartagena, Espanha). Contextualização, Enquadramento e Análise. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: João Paulo Cabral de Almeida Avelãs Nunes (presidente), Irene Vaquinhas (orientadora), Adolfo António da Silveira Martins (orientador) e José d’Encarnação (arguente, Universidade de Coimbra).

António Manuel Ribeiro Pereira da Costa (Março 2012). Museologia da Arte Sacra em Portugal 1820-2010 – Espaços, Momentos, Museografia. Tese de doutoramento em Letras, área de História, na especialidade de Museologia e Património Cultural, Universidade de Coimbra. Orientação: José Maria Amado Mendes e José d’Encarnação. Júri: Presidente: João Maria André (Director do Departamento de História, Arqueologia e Artes); arguentes principais: Fernando António Baptista Pereira (professor associado da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa) e Maria Regina Teixeira Anacleto (professora associada aposentada da Faculdade de Letras de Coimbra); e D. Manuel Clemente (professor do Pólo do Porto da Universidade Católica Portuguesa), Irene Vaquinhas (professoracatedrática da Faculdade de Letras de Coimbra), e orientadores: José Maria Amado Mendes e José d’Encarnação.

Célia Maria Gomes Pinto (Março 2012). Gestos, memórias e formas materiais legadas pelo barro: a produção olárica no Ribatejo da colecção de olaria tradicional do Museu Nacional de Etnologia. Dissertação apresentada no âmbito do Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Resumo disponível aqui.

Daniela Patrícia Ferreira de Sousa (Nov. 2012). Museu da Saúde Agostinho Albano de Almeida, em Ourém. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: Irene Vaquinhas (presidente), Pedro Casaleiro (orientador, Investigador Auxiliar do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra), Dalila Rodrigues (orientadora, Instituto Politécnico de Viseu) e José d’Encarnação (Faculdade de Letras de Coimbra).

Genoveva Oliveira (Fev. 2012). Museus e Escolas: Os Serviços Educativos dos Museus de Arte Moderna e Contemporânea, um Novo Modo de Comunicação e Formação/Museums and schools: the educational departments on modern and contemporary art museums, a new way of communication and formation. Orientação: João Carlos Pires Brigola e Paulo Simões Rodrigues. Tese de doutoramento para obtenção do grau de Doutor a Universidade de Évora. Júri: Presidente: José Alberto Simões Gomes Machado, Professor Catedrático da Universidade de Évora, por delegação do Director do Instituto de Investigação e Formação Avançada; e Vogais: Carla Padró, Professora Associada da Universidade Barcelona (Espanha), João Carlos Pires Brigola, Professor Auxiliar com Agregação da Universidade de Évora (orientador), Alice Lucas Semedo, Professora Auxiliar da Universidade do Porto, Leonardo Augusto Verde Reis Charréu, Professor Auxiliar da Universidade de Évora,  Paulo Alexandre Rodrigues Simões Rodrigues, Professor Auxiliar da Universidade de Évora – co-orientador, Maria Emília de Oliveira Ferreira, Investigadora da Universidade Nova de Lisboa. Resumo disponível aqui.

Helena Pereira (Dez. 2o12). Biografias (s) da Coleção de Vidro do Museu Nacional de Machado de Castro ou Sobre o Claro-Escuro das Coisas. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

Hugo Miguel Sacramento Vaz (Dez. 2012). Museu Judaico Barros Basto: A conceção de uma coleção vistável da comunidade Israeli do Porto. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

Joana Beato Conde (2012). Estudo e musealização da coleção de arte sacra do Atelier-Museu António Duarte nas Caldas da Rainha. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui: http://hdl.handle.net/10451/6531

Joana Lontrão (2012). Museu efémero: estudo da Avenida Barbosa du Bocage na freguesia de Nossa Senhora de Fátima em Lisboa. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui: http://hdl.handle.net/10451/6544

Jorge Morais Torres (2012). Rede de museus do Sabugal. Memória, história e identidade de um concelho raiano. Provas públicas de 2.º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Ver mais aqui.

Joseph Rodrigues (2012). Avenida Luisa Todi, do rio á cidade: um exercício curatorial. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui: http://hdl.handle.net/10451/6528

Liliana Manuel Maia Pina (Junho 2012). O Museu das Comunicações: Contributos e perspectivas para uma proposta de gestão. Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Ver mais aqui.

Luís Ferreira Louzã Henriques (2012). Sintonias e assintonias da coleção de instrumentos musicais Manuel Louzã Henriques. Dissertação Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos – ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa. Disponível na íntegra aqui (também é possível aceder a um filme).

Luís Miguel Pinel Banha (Dez. 2012). A utilização dos audiovisuais num projecto de comunicação expositiva sobre um sítio arqueológico – a exposição temporária “Quinta do Rouxinol: uma olaria romana no estuário do Tejo (Corroios, Seixal). Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Júri: Paulo Simões Rodrigues (presidente), Graça Filipe (co-orientador), Virgílio Hipólito Correia, André Miguel Serra Pedreira Carneiro (vogal), João Carlos Brigola (orientador).

Márcia Fernanda Silva Santos (Dez. 2012). O Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto: Olhares e Reflexões Críticos sobre um Museu de Ciência. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

 Maria Manuela Ferreira da Cunha (Nov. 2012). Caldas de Vizela. Do passado à actualidade: uma proposta de reconversão. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: Francisco Pato de Macedo (presidente), José Maria Amado Mendes (arguente), Dalila Rodrigues (orientadora) e Irene Vaquinhas (orientadora).

Maria Susana Gomes Martins Branco (Dez. 2o12). Viana ontem, a preto e branco. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

Maria Teresa Figueiredo Crespo (Abril 2012). Interpretação e comunicação do património cultural integrado em contexto museológico: o caso do Museu da Música Portuguesa – Casa Verdades de Faria. Relatório de estágio apresentado para o cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de mestre em Museologia no âmbito do Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Estão disponíveis o resumo, índice e apêndices aqui.

Purificação Maria Pinela Pereira (Junho 2012). Museu Virtual de Santa Margarida da Serra (Grândola). Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Júri: Paulo Simões Rodrigues (presidente), Alexandra Gago da Câmara (arguente, U.A) e Filipe Themudo Barata (orientador).

Rita Cid Torres Portugal Azevedo (Junho 2012). Relatório de Estágio no Serviço de Educação no Museu Nacional de Arte Antiga. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Júri: Paulo Simões Rodrigues (presidente), Alexandra Curvelo (arguente, Universidade Nova de Lisboa e João Carlos Brigola (orientador).

Rui Lopes (Nov. 2012). Museu Académico de Coimbra: evolução histórica, coleções, proposta de atualização. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: João Nunes (presidente), Irene Vaquinhas (orientadora) e Nuno Rosmaninho (arguente).

Rui Pedro de Oliveira Reis da Costa (2012). Os códigos QR em Museus. Dissertação Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos – ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Sónia Piedade Apolinário Ribeiro Gomes (2012). O Esperantismo em Portugal (1892 a 1972): origem, afirmação e repressão. Dissertação Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos – ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Veja-se também algumas dissertações defendidas na Universidade Lusófona aqui.

* Se porventura tiver conhecimento de outras dissertações de mestrado realizadas em 2012, queira enviar-nos essa informação (para: nomundodosmuseus@gmail.com), de forma a actualizar esta lista.

(actualizado a 20 de Mar. de 2013)

Conf ICOM-PT: "Museus de Ciência e Tecnologia em Portugal: o estado da arte", 10 Nov. 2010

ENCONTRO DE OUTONO | ICOM PORTUGAL
MUSEUS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM PORTUGAL: O ESTADO DA ARTE

10 DE NOVEMBRO

Para o Encontro de Outono de 2010, o ICOM-Portugal organiza um debate sobre os museus de ciência e tecnologia em Portugal.

O Encontro contará com a presença de Ana Delicado, Ana Eiró, António dos Santos Queirós, Carlos Fiolhais, Cristina Weber, Eduardo Moura, Elisa Calado Pinheiro, Graça Filipe, Isabel Victor, Jorge Custódio, Luís Bernardo, Luís Raposo, Mário Pinho da Cruz, Marta Lourenço, Paulo Gama Mota e Rosália Vargas.

Cartaz e programa completo em:
www.icom-portugal.org.

Local: Anfiteatro Manuel Valadares
Museu de Ciência da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56
Metro: Rato

Entrada livre.

Concurso para bolseiros de investigação no Museu da Ciência

Na próxima sexta-feira abre concurso (de 1 a 29 de Outubro) para dois bolseiros de investigação no âmbito de um projecto sobre a história dos gabinetes de física da Casa Real nos séculos XVIII e XIX. Esses gabinetes foram dispersos em diversos momentos e os instrumentos estão hoje espalhados por uma grande variedade de instituições, em Portugal e no Brasil.

O projecto está a ser desenvolvido desde 2006 e tem as suas origens na investigação sobre um núcleo de 53 instrumentos provenientes do Palácio Nacional da Ajuda que se encontram no Museu de Ciência da Universidade de Lisboa.

Desde Março deste ano, o projecto é financiado pela FCT e chama-se ON THE INSTRUMENTS’ TRAIL (PTDC/HIS-HCT/098970/2008), ver página do CIUHCT em: http://ciuhct.com/index.php/en/research/227-no-trilho-dos-instrumentos-os-gabinetes-reais-de-filosofia-natural-em-portugal-seculos-xviii-xix.html

Como sublinha Marta Lourenço: “Precisamos de bolseiros com mestrado (980 euros), inteligentes, autónomos, com experiência de pesquisa em arquivos, formação em história da ciência e, para um deles, experiência de trabalho com colecções de instrumentos científicos.”

Uma bolsa é de 12 meses (prolongável por mais 12) e outra de 9 meses. Data de início: 1 de Janeiro de 2011.

Os bolseiros vão trabalhar directamente sob a orientação de Marta Lourenço, no Museu de Ciência da Universidade de Lisboa.

Editais do concurso:

BI1 GabineteReal_Anuncio_FCT

BI2 GabineteReal_Anuncio_FCT

Seminário: "Museu de Marinha: Contributos para a definição de um projecto cultural", 15 Abr. 2010

No âmbito dos Seminários de Estudos de Caso de Cultura Material do Museu de Ciência da Universidade de Lisboa (MCUL), José Vale apresentará esta quinta-feira o tema do seu projecto de mestrado: “Museu de Marinha: Contributos para a definição de um projecto cultural”.

Dia 15 de Abril (quinta-feira), pelas 17h00.
Anfiteatro Manuel Valadares
MCUL
Entrada livre

Informação ICOM.PT (Nº 8, Mar-Maio 2010)

Já está disponível o oitavo número do boletim da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM (Nº 8, Mar-Maio 2010)

A responsável pela edição desta publicação trimestral é Maria Vlachou. (mariavlachou.pt@gmail.com). Neste número colaboraram: Ana Margarida Ferreira, António Filipe Pimentel, Graça Filipe, Maria Vlachou, Marta Lourenço, Tiago Boavida

Conteúdos:

Editorial, Maria Vlachou
Artigo, Os Museus, o Património e as Dinâmicas Urbanas: O caso de Coimbra, Tiago Boavida
Opiniões, Colecções vs Público? Conservação vs Comunicação? António Filipe Pimentel
Novos, Recentes e Renovados, Museu de Aveiro, Ana Margarida Ferreira
Entrevista com…Rita Fazenda
Notícias ICOM
Novas Publicações
Calendário de Iniciativas

O boletim esta inteiramente disponível no site do ICOM PT:
http://www.icom-portugal.org/

Concurso para bolseiro no Museu de Ciência da Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa está na iminência de abrir concurso para uma bolsa de 12 meses, entrada imediata (equivalente em valor às da FCT).

A bolsa está integrada nas Comemorações dos 100 Anos da Universidade de Lisboa e o trabalho inclui:
– Levantamento do património científico, artístico e arquitectónico da UL;
– Apoio à pesquisa de arquivo e levantamento iconográfico para estudos de caso sobre o património da UL.
– Carregamento de dados sobre o património da UL na página Web das Comemorações.
– Apoio à edição de publicações relativas ao património da UL.

O/a bolseiro/a trabalhará durante 12 meses directamente sob minha orientação e terá o seu local de trabalho no Museu de Ciência da Universidade de Lisboa.

Preciso de alguém inteligente, com autonomia e maturidade, sensibilidade para o património e muita vontade de trabalhar. O património científico, artístico e arquitectónico da UL é riquissimo, muito diverso e, em larga medida, muito desconhecido das pessoas. Estou convencida não só que será um trabalho muito motivador como trará resultados surpreendentes.

Esse concurso VAI ESTAR ABERTO APENAS TRES DIAS e agora mete-se o Carnaval, por isso estou a escrever.
Estejam atentos.

(informação de Marta Lourenço, retirado da rede social museologia.porto)

Projecto Thesaurus de Instrumentos Científicos em Língua Portuguesa

Apresentação do “Projecto Thesaurus de Instrumentos Científicos em Língua Portuguesa”.
Museu de Ciência da Universidade de Lisboa
Anfiteatro Manuel Valadares
18 Nov. 2009

Teve lugar ontem, tal como havíamos anunciado aqui no blogue, a apresentação pública do “Projecto Thesaurus de Instrumentos Científicos em Língua Portuguesa”.

Coube a Marta Lourenço algumas notas introdutórias sobre os aspectos fundamentais desta iniciativa e de seguida Marcus Granato (Museu de Astronomia e Ciências Afins, Rio de Janeiro) desenvolveu com maior detalhe aspectos concretos do projecto.

Património Científico Português – um património a ser preservado! De facto, como bem sublinhou Marta Lourenço este tem sido um património negligenciado em Portugal. Falta um plano à escala nacional que proteja e promova este património, envolvendo vários ministérios. Sobre o que tem sido feito nesta área pelo Museu de Ciência da Universidade de Lisboa, Marta Lourenço (coordenadora) destacou algumas linhas de intervenção:

-Desenvolvimento de Investigação e Ensino Pós-graduado em Património Científico e Cultura Material da Ciência (Hist. da Ciência) (2006)

-Levantamento do Património Cientifico Português (UC+ UP) (2006). O conhecimento sobre as colecções existentes no país, que dimensão e características é muitas vezes inexistente. Neste sentido é necessário desenvolver metodologias que permitam sistematizar a informação e promover o seu conhecimento.

-Divulgação do Património Científico Português na esfera internacional (2007)

-Programa de apoio a instituições com património científico (2008). Neste momento nove instituições portuguesas estão a receber apoio.

-Normas Gerais de Inventariação e Conservação de Instrumentos Científicos – Thesaurus de Instrumentos Científicos de Língua Portuguesa (+ MAST)

O que é afinal um thesaurus?

Sumariamente, pode dizer-se que um thesaurus cumpre três propósitos. Primeiramente, serve para controlar a terminologia, refere os termos que deverão ser utilizados e os que não deverão ser utilizados. Para além disso, explica o que significa cada um dos termos usados na lista. Finalmente, permite hierarquizar a informação (para uma explicação mais aprofundada consulte a página do ministério da cultura francês sobre a base de dados JOCONDE e onde se apresenta uma breve explicação sobre o que é um thesaurus: (http://www.culture.gouv.fr/)

Marta Lourenço sublinhou que em Museus de Ciência, ao contrário do que acontece com outras tipologias de museus, não se conhecem muitos exemplos de thesaurus publicados. Sobre esta matéria a conferencista fez referência ao thesaurus publicado pelo Museu do Índio (+IPHAN), cuja referência é a seguinte:

Motta, Dilza Fonseca da – Tesauro de cultura material dos índios no Brasil. Colaboração de: Leandra de Oliveira. Rio de Janeiro: Museu do Índio, 2006. 249 p. ISBN 8585986085.

E fez-se ainda menção a um thesaurus criado no seio dos museus de França (Thesaurus des objects mobiliers?) que inclui os instrumentos científicos.

Como um dos exemplos mais importantes de thesaurus na área dos museus foi referido o instituto Getty, que tem um thesaurus online para a arte e arquitectura (http://www.getty.edu/) (entre outros thesaurus) (No menu deste blogue, na categoria “Documentation & Cataloguing” pode encontrar um conjunto de links interessantes para esta área).

Está previsto que o Thesaurus de Instrumentos Científicos em Língua Portuguesa seja publicado em livro, em DVD e apresentado num portal web para consulta de todos. A configuração do portal ainda está a ser discutida, mas tudo indica que terá um motor de busca, um fórum, um banco de imagens e acesso às bases de dados das instituições que participam no projecto.

Marcus Granato começou a sua comunicação por dar a conhecer os antecedentes do projecto, que recuam a 1999 e explanou sobre as motivações subjacentes ao projecto. O objectivo geral deste projecto é efectivamente a criação do thesaurus, mas em concreto pretende-se:

1. Levantar, identificar e pesquisar os termos utilizados pelas instituições detentoras de acervo científico de carácter histórico
2. Classificar, padronizar, controlar e relacionar as terminologias utilizadas
3. Pesquisar e definir imagens padrão a serem utilizadas nos instrumentos (Como vamos fotografar?)
4. Produzir o thesaurus com notas explicativas e procedimentos de utilização
5. Disponibilizar os resultados do trabalho

Em Portugal fazem parte da rede as seguintes instituições:

Museu de Ciência da Universidade de Lisboa (Instituição Coordenadora)
Museu da Ciência da Universidade de Coimbra
Museu de Ciência da Universidade do Porto
Museu da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto
Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto
Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

No Brasil:

Museu de Astronomia e Ciências Afins, Rio de Janeiro (Instituição Coordenadora)
Museu de Ciência e Técnica da Universidade Federal de Ouro Preto
Museu Dinâmico de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de Juiz de Fora
Museu da Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Colégio Pedro II, Rio de Janeiro
Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Ministério de Ciência e Tecnologia

“No Mundo dos Museus” felicita Marta Lourenço e toda a equipa pelo projecto e excelente trabalho que têm feito neste domínio. Este é um exemplo de que o trabalho em equipa e em rede pode trazer bons resultados. Talvez este projecto possa inspirar outras iniciativas na área da normalização em Portugal.

"Thesaurus de Instrumentos Científicos", divulgação do projecto, 18 Nov. 2009

Transcrevemos, em baixo, email de Marta Lourenço e Marcus Granato sobre o projecto de thesaurus para colecções de instrumentos científicos. O tema suscita muito interesse, já que em Portugal não temos trabalhado muito na área da normalização, nomeadamente a criação de thesaurus, sobretudo na área dos museus.

Projecto ‘Thesaurus de Instrumentos Científicos em Língua Portuguesa

Apesar de existirem vários thesauri para museus, nunca foi desenvolvido um instrumento sistemático de referência para controlo e uniformização terminológica de colecções de instrumentos científicos em língua portuguesa (nem em outras línguas, de resto).

O ‘Thesaurus de Instrumentos Científicos em Língua Portuguesa’, um projecto de cooperação internacional iniciado em 2006 e envolvendo uma rede de 12 instituições de Portugal e do Brasil (ver lista em baixo), pretende dar resposta a esta necessidade.

De âmbito lusófono e pioneiro na sua natureza e na metodologia, o projecto tem um interesse múltiplo para a comunidade científica, para os profissionais de museus e para a sociedade em geral. Permitirá, por um lado, contribuir para o conhecimento nas áreas da museologia da ciência e da história da instrumentação. Constituirá um instrumento simples para os profissionais de museus, facilitando a gestão de colecções e as novas acessibilidades através da sociedade da informação. Finalmente, possibilitará uma maior visibilidade e reconhecimento do património científico, quer através da sua organização e acessibilidade a investigadores quer através da sua divulgação ao público em geral.

O Projecto é coordenado pelo Museu de Ciência da Universidade de Lisboa (MCUL) e pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins do Rio de Janeiro (MAST).

Será apresentado publicamente, dia 18 de Novembro, no Museu de Ciência da Universidade de Lisboa, pelas 17 h (Anfiteatro Manuel Valadares),

Marta Lourenço, MCUL
Marcus Granato, MAST

REDE

Portugal
Museu de Ciência da Universidade de Lisboa (Instituição Coordenadora)
Museu da Ciência da Universidade de Coimbra
Museu de Ciência da Universidade do Porto
Museu da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto
Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto
Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Brasil
Museu de Astronomia e Ciências Afins, Rio de Janeiro (Instituição
Coordenadora)
Museu de Ciência e Técnica da Universidade Federal de Ouro Preto
Museu Dinâmico de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de Juiz de Fora
Museu da Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Colégio Pedro II, Rio de Janeiro
Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Ministério de Ciência e Tecnologia

O Projecto Thesaurus de Instrumentos Científicos é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) e pelo Conselho Nacional para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Conta com o apoio do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT – Pólo da Universidade de Lisboa).
Fonte: Lista de discussão MUSEUM

CONF sobre Património Imaterial: "Saberes e Técnicas: entre o registo e a transmissão", 27 Junho 2008

Procissão dos Pendões
©Ana Carvalho, 2007

A 4.ª conferência de um ciclo de colóquios dedicado ao Património Cultural Imaterial irá ter lugar no póximo dia 27 de Junho de 2008 no Ecomuseu Municipal do Seixal, desta vez subordinado ao tema: “Saberes e Técnicas: entre o registo e a transmissão”

Para além da salvaguarda de testemunhos físicos da actividade humana, o Museu tem por missão essencial a documentação dos processos que estão na origem desses objectos, constituindo tal conhecimento condição frequente para a adequada conservação dos mesmos.

Em determinados casos, o Museu assume-se mesmo como único garante da transmissão de saberes e modos de fazer relativos à utilização de equipamentos marcados pela obsolescência tecnológica e cuja relevância os deslocou em definitivo do domínio produtivo para o da história das técnicas.

Tais são os desafios com que se defronta um crescente número de museus, não apenas os dedicados ao universo da cultura tradicional popular em sentido estrito, o que mais directamente se constitui como objecto da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, mas muitos outros, na esfera da ciência das técnicas, da arqueologia industrial e da história local.

Constituindo a documentação e o registo de conhecimentos e técnicas uma das componentes primaciais da salvaguarda do Património Cultural Imaterial, no Colóquio serão colocados em confronto temas, projectos e metodologias de âmbito diverso, com vista à interrogação dos desafios, das possibilidades, mas também dos limites que se colocam a esse mesmo processo de salvaguarda.

Local: AUDITÓRIO MUNICIPAL DO FÓRUM CULTURAL DO SEIXAL

Programa:

09h30 | Recepção aos Participantes
10h00 | Abertura
10h20 | E se elas nunca tivessem existido? Reflexões sobre a Importância das Colecções de Ensino e Investigação nas Universidades, Marta Lourenço (Museu de Ciência-UL)
10h40 | ð < ACT: do Programa Interministerial de Tratamento e Divulgação do Património ao Arquivo Científico Tropical, Maria da Conceição Lopes Casanova (IICT)
11h10 | Técnicas Populares e sua Aprendizagem: o Caso da Etnomatemática, Darlinda Moreira (Universidade Aberta)
11h20 | Intervalo
11h40 | O Museu Anima-se: Vozes e Rostos dos Operários da Fábrica da Pólvora de Barcarena, Rogério Abreu e Laura Domingues (Antropólogos)
12h20 | Debate
12h40 | Intervalo para Almoço

EXTENSÃO DO ECOMUSEU MUNICIPAL DO SEIXAL
NA ANTIGA FÁBRICA DE PÓLVORA DE VALE DE MILHAÇOS

15h00 | Herança de um Meio Técnico e Valorização de um Capital de Saber-Fazer: da Pólvora à Vitalidade do Património Industrial em Vale de Milhaços, Graça Filipe (Directora do EMS), Fátima Sabino (EMS) e Fátima Veríssimo (EMS)

Visita conduzida por Graça Filipe (Directora do EMS) e Francisco Moura (Maquinista)

17h00 | Encerramento

Inscrição Gratuita (No entanto, é necessário proceder à inscrição)

Organização | Inscrições:
Instituto dos Museus e da Conservação
Departamento de Património Imaterial
Tel: 21-365 08 26/ Email: dpi@imc-ip.pt / www.ipmuseus.pt

Programa Ciclo
Programa Coloquio
Ficha Inscrição

————————–

As próximas conferências:

Terrenos Portugueses: O que Fazem os Antropólogos?
Faculdade de Ciências e Sociais e Humanas – 13 OUTUBRO 2008

Museus Globais: Colecções Etnográficas e Multiculturalidade
Museu Nacional de Etnologia – 28 NOVEMBRO 2008

Nova Direcção no ICOM Portugal

No passado dia 14 de Março, além da 6.ª edição de mais umas Jornadas promovidas pelo ICOM, teve lugar da parte da tarde a Assembleia-Geral da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM, com o objectivo de realizar a eleição dos corpos gerentes para 2008-2011, e que passamos a divulgar:

Direcção:
Presidente: Luís Raposo (Museu Nacional de Arqueologia)
Secretária: Marta Lourenço (Museu de Ciência, Universidade de Lisboa)
Tesoureira: Isabel Tissot (Conservadora-restauradora)
Vogais: Graça Filipe (Ecomuseu Municipal do Seixal), Paula Menino Homem (Departamento de Ciências e Técnicas do Património, Faculdade de Letras, Universidade do Porto)

Mesa da Assembleia Geral
Presidente: João Castel-Branco Pereira (Museu Calouste Gulbenkian)
Vice-Presidente: Silvana Bessone (Museu Nacional dos Coches)
1ª secretária: Maria Vlachou (Museóloga)
2ª secretária: José Manuel Oliveira (Casa de Camilo – Museu. Centro de Estudos)

Conselho Fiscal
Presidente: Filipe Mascarenhas Serra (IGESPAR e Universidade Católica)
Vogais: Clara Vaz Pinto (Museu Nacional do Traje) e Francisco Pedroso de Lima (Museu de Angra do Heroísmo)

Objectivos da nova Direcção ICOM-Portugal:

Das linhas programáticas constantes da candidatura dos Corpos Gerentes agora eleitos merece ser destacada a vontade da maior afirmação pública do ICOM Portugal, entendida como um meio necessário à maior dignificação dos museus e dos profissionais de museus. Convém recordar que o ICOM Portugal constitui uma entidade privilegiada e independente para os assuntos relacionados com os museus em Portugal, sendo a única com reconhecimento internacional, pelo que as suas posições devem em todas as circunstâncias ser tida na devida conta. Neste sentido a Direcção ora eleita comprometeu-se a desenvolver esforços para que se reúna no mais curto prazo a Secção de Museus e Conservação do Conselho Nacional da Cultura, que se considera indispensável à correcta formulação das políticas governamentais de museus.

Refiram-se igualmente os propósitos expressos quanto à organização de actividades científicas e profissionais, domínio em que para além da Jornadas anuais se procurará dar início a um novo tipo de acções, a ter lugar no Outono, os Encontros do ICOM. O Primeiro destes Encontros terá como tema o “Ensino Universitário e Museus: Encontro nacional de Docentes Universitários e Profissionais de Museus”.

Anote-se finalmente a intenção da nova Direcção do ICOM Portugal em promover a cooperação interinstitucional com todas as associações profissionais e cívicas com intervenção da área dos museus e do património cultural, com especial relevo para a APOM (Associação Portuguesa de Museologia), com a qual se esperam reforçar os laços de cooperação e de conjugação de sinergias em prol do maior reconhecimento social dos museus portugueses.

———————————-
Fonte: Lista de discussão MUSEUM
Mais informações:
http://www.icom-portugal.org/