Arquivo de etiquetas: Museology

Incorporação e Desincorporação em Museus


© Ana Carvalho

Incorporação e Desincorporação em Museus: História, Realidade e Perspectivas Futuras

Autora: Maria Isabel Soares Luna
Orientação: Nélia Dias
Dissertação submetida para obtenção do grau de Mestre em Museologia: Contextos Expositivos, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa
Nota: 18 valores
Data: 14 de Dezembro

A tese está disponível na íntegra no repositório científico do ISCTE:

http://repositorio-iul.iscte.pt/handle/10071/3129

 

Resumo: «A presente dissertação aborda e define os processos de incorporação e de desincorporação de objectos nos museus, entendendo o museu enquanto conceito universal, isto é, atravessando tipologias museais e fronteiras geográficas. As questões que envolvem a incorporação, a permanência e a desincorporação de objectos no museu são aqui examinadas, bem como analisados os seus conceitos. Com base numa análise teórica, pretendem encontrar-se respostas para questões como “o que guardam os museus?”, “porque razões o guardam?” e “para que servem e a quem interessam os objectos de museu?”.

São analisados dois sistemas museológicos aparentemente opostos, em que o maior ou menor grau de “desprendimento” relativamente aos objectos, revela dois modos diferentes de ver e interpretar a instituição museal: o sistema anglo-saxónico, centralizado nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, caracterizado pela visão do museu enquanto museu-escola, e o sistema latino, centralizado na França, caracterizado pela visão do museu enquanto museu-templo. Sensivelmente entre os dois situa-se o modelo português. Claramente derivado da tradição francesa, por óbvias razões culturais, seria contudo marcado pela tradição britânica. Assim, percebe-se, pela análise do estatuto das colecções públicas portuguesas que, não obstante a enunciação inequívoca – mas não enfática – da sua inalienabilidade, se tenham previsto tantas portas de saída para os objectos.»

Abstract: This dissertation discusses and defines the processes of accession and deaccession of objects in museums, here seen as a universal concept, that is, it crosses all museum types and geographic boundaries. The issues concerning accession, permanence and deaccession of objects in the museum institution are here examined and its concepts analyzed. Based on a theoretical analysis, it is intended to find answers to questions like “what do museums keep?”, “Why do they keep it?” and “what are museum objects for and to whom do they interest?”.

Two seemingly opposite museological systems are analyzed, in which a greater or lesser degree of “detachment” in relation to objects, reveals two different ways of seeing and interpreting the museum institution: the Anglo-Saxon system, centered on the United States and Great Britain, characterized by the vision of the museum as a museum school; and the Latin system, centered in France, characterized by the vision of the museum as a museum-temple. More or less between the two lies the Portuguese model. Clearly derived from the French tradition, for obvious cultural reasons, it would, however, be marked by the British tradition. Thus, it can be seen by analyzing the status of the Portuguese public collections which, despite the unequivocal – but not emphatic – statement of their inalienability, has provided so many output-doors for the objects.

Museus e seus vizinhos, redesenhando limites cidadinos

 
© Ana Carvalho

Museus e seus vizinhos, Redesenhando limites citadinos
Autora: Célia Dulce Godinho Machado
Orientação: Alice Semedo
Relatório de Projecto para obtenção do Grau de Mestre em Museologia na Universidade do Porto
Dezembro 2011

Resumo: Numa contemporaneidade em que os museus que se assumem como fóruns de Animação Sociocultural e de Mediação entre a humanidade e as suas colecções, o Museu do Papel Moeda, localizado em Aldoar, inicia um caminho desafiante de aproximação à sua vizinhança.
Este relatório de projecto situa-se no arranque desse percurso, quando surge a necessidade de conhecer que traços caracterizam essa vizinhança, compreender a qualidade das suas relações, perceber que representações detém do Museu e entender como este lhe poderá oferecer suporte social.
Perfilando-se como um estudo de caso, o documento divide-se em três capítulos, ao longo dos quais é construído um corpus teórico e metodológico e apresentada a práxis, na qual se baseiam as principais reflexões e conclusões da investigação. Como resultado obtém–se uma análise do território de Aldoar e das suas representações face ao Museu, tendo por base entrevistas aplicadas à vizinhança e grupos de discussão, onde se reuniram diversos líderes comunitários. O processo culmina numa proposta facilitadora do envolvimento bilateral Museu/Vizinhança, intitulada “Fórum Aldoar: plataforma de reflexão, discussão e acção”, em que o Museu é encarado como elemento facilitador das relações intra-institucionais intercomunitárias, de partilha de recursos e amplificador de potencial comunitário.
Este género de trabalho diagnóstico revela-se extremamente importante no core de uma Museologia que se esforça por esboçar, aplicar e avaliar estratégias de aproximação comunitária, que incorpora a polémica dos ideais e a discussão das ideias e que constrói museus onde a vizinhança não é apenas visitante mas, finalmente, habitante.

Palavras-chave: museologia, mediação, urbanidade, vizinhança, colaboração, desenvolvimento.

Abstract: In a contemporary world in which museums identify themselves as forums for Sociocultural Animation and Mediation between humanity and its collections, the Museum of Paper Money, located in Aldoar, begins a challenging path to move closer to its neighbours.
This project report is located at the start of this journey, when arises the need to know what characterizes this neighbourhood, to understand the quality of their relationship, to realize what representations are held towards the Museum and to comprehend how the Museum may be able to offer social support.
Profiling as a case study, the document is divided into three chapters, which present the theoretical, methodological and practical structure of the project. As a result we get an analysis of the territory of Aldoar and of its representations towards the Museum, based on interviews applied on the surrounding neighbourhood and discussion groups, where several community leaders met. The process culminates in a facilitator proposal of bilateral involvement Museum/Neighbourhood entitled “Forum Aldoar: platform for reflection, discussion and action,” in which the Museum is regarded as an inter-institutional relationship mediator, a sharing of resources facilitator and a community potential amplifier.
This form of diagnostic work is extremely important in the core of a Museology that struggles to create, implement and evaluate strategies for community work, which incorporates the controversy of ideals and the discussion of ideas, and builds up museums where the neighbourhood is not just another visitor but, hopefully, an inhabitant.

Keywords: museology, mediation, urbanity, neighbourhood, cooperation, development

Résumé: Dans une contemporanéité où les musées se posent comme des forums d’Animation Socioculturelle et de Médiation entre l’humanité et ses collections, le Musée de la Monnaie de Papier, situé à Aldoar, débute un parcours défiant d’approche à son voisinage.
Ce rapport de projet se trouve au départ de ce parcours alors que surgit le besoin de connaitre les caractéristiques de ce voisinage, prendre conscience de la qualité de leurs relations, percevoir quelles représentations détient-il du musée et comprendre de quelle façon celui-ci pourra lui offrir un soutien social.
Présenté comme une étude de cas, le document se divise en trois chapitres au long desquels se construit un corpus théorique et méthodologique et se présente l’utilité sur laquelle reposent les principales réflexions et conclusions de cette recherche. Le résultat obtenu est une analyse du territoire d’ Aldoar et de ses représentations face au musée, à partir d’entrevues destinées au voisinage et de groupe de discussions, où se sont réunis plusieurs dirigeants communautaires. Le processus culmine par une proposition complaisante de l’engagement bilatéral Musée/Voisinage, intitulé « Forum Aldoar: plateforme de réflexion, discussion et action », où le musée est perçu comme un élément qui facilite les relations intra-institutionnelles intercommunautaires de partage des ressources et qui augmente le potentiel communautaire.
Ce genre de travail diagnostique se révèle extrêmement important au coeur d’une muséologie qui s’éforce de tracer, appliquer et évaluer des stratégies d’approche communautaire, qui associe la polémique des idéaux et la discussion des idées et qui construit des musées où le voisinage n’ai pas que visiteurs mais, en définitive, habitant.

Mots-clés: muséologie, médiation, urbanité, voisinage, collaboration, développement.

Tese: "A Museologia na ilha de S. Miguel:1974-2008"

A Museologia na ilha de S. Miguel:1974-2008
Autora: Sílvia Maria Borba Fonseca e Sousa
Orientação: Prof. Doutor Rui Américo de Sousa Martins
Dissertação apresentada à Universidade dos Açores no âmbito do Curso de Mestrado em Património, Desenvolvimento e Museologia
Ano: 2009

A tese está disponível na íntegra no repositório da Universidade dos Açores:
http://hdl.handle.net/10400.3/620

Resumo:
“[…]. No século XX, a partir da década de setenta, e à semelhança do que aconteceu por todo o país, nos Açores assistiu-se a um acentuar da consciência e valorização patrimoniais, que se reflectiram em novas experiências museológicas locais. De registar o papel de relevo que assumiram desde logo a Universidade dos Açores e as autarquias, na salvaguarda e valorização do património cultural. Em São Miguel, a maior ilha do arquipélago dos Açores, situada no grupo oriental, esta realidade é marcante, verificando-se, desde a década de setenta do século XX, um acentuado crescimento por toda a ilha de instituições de carácter museológico. Será portanto no período de 1974 a 2008, que centraremos a nossa análise, considerando o conjunto de espaços museológicos existentes no contexto micaelense. Da diversidade de realidades que encontrámos em São Miguel, e independentemente da sua designação, considerámos aquelas que se enquadravam no âmbito do conceito de museu, segundo as orientações do International Council of Museums (ICOM), e da Lei-quadro dos museus portugueses, tendo ainda em conta as recentes orientações da Nova Museologia. Ou seja, associada à acção de recolha e preservação patrimonial, apresentavam, de forma mais ou menos desenvolvida, funções museológicas de investigação, conservação e comunicação, bem como acções de promoção do desenvolvimento da comunidade em que se inseriam e, em alguns casos, da sua participação nas dinâmicas museológicas. Seleccionado o nosso objecto de estudo, definidas as realidades museológicas a observar e delineado o período temporal a considerar, orientámos a nossa pesquisa no sentido de analisar os diferentes processos museológicos, […]” (da Introdução)