Arquivo de etiquetas: Museus e Educação

Museu do Neo-Realismo promove reflexão sobre museus e educação

Desafios contemporâneos educação museus

O Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira, organiza uma jornada de reflexão sobre os “Desafios Contemporâneos da Educação Não formal nos Museus”, que acontece a 2 de Fevereiro (terça-feira).

Trata-se de um tema recorrente na reflexão no mundo dos museus, mas porventura a necessitar de olhares mais actualizados no contexto nacional. Como estará o panorama dos departamentos de educação e de programação dos museus portugueses com a crise que se instalou nos últimos anos? Nalguns casos, sabemos que equipas foram dispensadas ou desestruturadas com a saída de vários profissionais. Também sabemos que novos projectos tem vindo a desenvolver-se nesta área, fomentando novas dinâmicas.

De acordo com a informação veiculada pela organização do evento, esta iniciativa pretende “debater o papel da educação não formal no quadro dos programas museológicos tendo em conta a perspectiva, cada vez mais real, da transformação dos museus em agentes potenciadores de uma cidadania activa e inclusiva. Terá como objectivos principais uma reflexão sobre a formatação comum dos serviços educativos dos museus, a problematização do conceito de educação não formal no contexto museológico e a concepção de programas e projectos educativos que considerem os interesses e expectativas dos públicos e potenciem as colecções dos museus.”

O programa do evento pode ser consultado em: http://www.icom-portugal.org/multimedia/documentos/Programa.pdf 

Inscrições gratuitas, mas condicionadas à lotação do auditório; podem ser feitas na receção do Museu do Neo-Realismo pelo telefone 263.285.626 ou por correio electrónico (neorealismo@cm-vfxira.pt).

Curso de Formação para Mediadores Culturais

A empresa Mapa das Ideias ((A Mapa das Ideias, em colaboração com os Museus de Loures, foi responsável pela organização de uma conferências internacional – EMAC (European Museum Advisors Conference), que trouxe a Portugal (Maio/Junho 2012) vários profissionais de museus europeus para discutir boas práticas (cf.http://museumadvisors.wordpress.com)) (Prémio APOM 2011) está a desenvolver um projecto ligado à formação de mediadores culturais. Em baixo, encontra toda a informação relevante sobre o projecto (objectivos, actividades previstas, etc.)

“A Mapa das Ideias está a coordenar um projecto financiado pelo Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida da Comissão Europeia, que tem a criação de um Curso de Formação para Mediadores Culturais. Este curso  tem o objectivo ir ao encontro das necessidades institucionais e profissionais de Mediadores de Museus dos países europeus envolvidos no projecto, nomeadamente Portugal, Espanha, Estónia, Finlândia e Itália.

Ao desenvolver esta área de formação comum entre os profissionais de museus nos cinco países participantes, o projeto irá estimular a criação de orientações formativas e profissionais nos Serviços de Mediação e Educação dos Museus. Como resultados, pretendemos criar:

– Avaliação das necessidades de formação

– Quadro de formação com oradores europeus, conteúdos interativos que lidam com questões – transversais e específicas – em diferentes contextos nacionais.

– Publicações técnicas e website.

– Rede Europeia de Profissionais de Mediação e Educação em Museus.

– Criação de um Thinktank Europeu dedicado à Mediação Cultural e Educação nos Museus.

– Mestrado Erasmus Mundus no Instituto Politécnico de Tomar.

– As propostas específicas para os cursos de formação profissional para desempregados, adaptado para os diferentes contextos nacionais.

Deste modo, gostaríamos de pedir a sua colaboração no preenchimento e/ou divulgação do seguinte inquérito, que não demorará mais de 15 minutos e cujo preenchimento é fundamental para o êxito deste projeto. Pode reencaminhar para outros colegas envolvidos nas áreas da mediação cultural e educação nos museus.

Em Setembro de 2013 iremos lançar a acção-piloto em Portugal com 25 formandos. Caso tenha interesse em participar, sem custos associados, por favor envie um email para cristina.reboredo@mapadasideias.pt. Entraremos em contacto para as provas de selecção em Junho.

Para conhecer mais sobre este projecto que é uma importante referência do trabalho desenvolvido em Portugal no espaço Europeu, pode consultar o website oficial.”

(Fonte: Informação enviada por Inês Bettencourt da Câmara)

La médiation culturelle: le sens des mots et l’essence des pratiques

Capa do livro “La Médiation Culturelle…”. Imagem daqui.

Lafortune, Jean-Marie, dir.  (2012). La médiation culturelle: le sens des mots et l’essence des pratiques. Québec: Presses de l’Université du Québec (Collection Culture et publics). ISBN: 978-2-7605-3362-2. 222 páginas.

O livro explora o conceito de mediação cultural a partir de experiências e estudos de caso no Québec, Canadá. Este é um conceito que suscita diversos entendimentos e alguma ambivalência. Entre nós, o conceito tem pouca utilização, ainda que a mediação cultural seja uma prática recorrente em vários contextos, nomeadamente nos museus. Apesar de um enquadramento específico, o Québec tem já uma tradição forte no desenvolvimento do conceito, incluindo uma dinâmica diferente em termos de formação e de práticas, este livro pode ser de grande utilidade para quem estuda e trabalha sobre estas matérias.

O primeiro capítulo contextualiza as práticas de mediação cultural e o conceito no Québec, abordando as mudanças recentes no âmbito das políticas culturais e o papel da cultura no desenvolvimento, incluindo iniciativas locais de inclusão social. Este capítulo aborda ainda as transformações ocorridas no contexto cultural e das práticas artísticas tendo em conta a “revolução” digital e apresenta várias experiências realizadas em Montréal.

O segundo capítulo explora os desafios académicos, profissionais e políticos ligados ao aparecimento de uma nova categoria de actores – os mediadores culturais, examinado o seu perfil e competências, através de vários testemunhos de profissionais/mediadores que trabalham na área do património e dos museus.

O terceiro capítulo apresenta uma abordagem dos desafios implicados na aplicação da mediação cultural em contexto teórico, institucional e sociocultural. Esta análise inclui uma reflexão sobre os limites da acção dos mediadores culturais, debatendo-se também a questão dos “não públicos” e a necessidade de implementar acções concertadas no sentido de uma maior participação, acções que verdadeiramente ultrapassam o domínio cultural e artístico.

O quarto capítulo desenvolve o tema da avaliação, dos impactos e das metodologias e o quinto capítulo apresenta doze estudos de caso (museus, bibliotecas, centros culturais, teatros, etc.) da região do Québec, explorando diversos projectos de mediação cultural (que actores, que público alvo, que objectivos, que metodologias, que actividades, que problemas, etc.).

 Jean-Marie Lafortune, coordenador do livro,  é Professor no Departamento de comunicação Social e pública da Universidade do Québec em Montréal (Canadá) e director de programas em animação e investigação cultural. É ainda editor-chefe da revista internacional “Animation, territoires et pratiques socioculturelles” (criada em 2010).

Resumo do livro divulgado pela editora:

La médiation culturelle s’impose comme le modèle d’action privilégié au Québec depuis une décennie. Permettant de jeter des ponts entre l’art, la culture et la société, elle favorise la participation culturelle, mais aussi la culture de la participation. Les milieux institutionnels l’adoptent afin d’étendre leur audience, alors que les milieux socioartistiques s’en servent pour mieux œuvrer au renforcement de la citoyenneté. Dans notre société du spectacle et des identités, la médiation culturelle peut soutenir la mise en commun des références culturelles et l’invention de nouvelles solidarités : elle établit une relation de qualité entre les publics et les œuvres légitimes et développe les moyens de l’épanouissement légitime des populations.

Conjuguant débats théoriques et études de cas, cet ouvrage aborde les principaux enjeux que soulève la médiation culturelle à partir d’une approche sociohistorique. Le volet historique retrace les conditions d’émergence des pratiques et du concept de médiation culturelle au Québec, liées à la transformation des politiques et des pratiques culturelles. Le volet social dépeint les dispositifs de médiation mis en place et dégage les principaux défis auxquels font actuellement face les médiateurs culturels, incluant l’évaluation de leur action.

Tant les intervenants culturels que les chercheurs et les étudiants, notamment dans le domaine des arts, de la communication, de l’éducation, du loisir, de la muséologie et de la sociologie, seront intéressés par la réflexion inédite et systématique sur le renouvellement des approches et des pratiques relatives à la production et à la diffusion artistique et culturelle que propose ce livre.  (fonte: Presses de l’Université du Québec)

Conteúdos:

PRÉFACE
Jean Caune
INTRODUCTION
Jean-Marie Lafortune
SOURCES DE LA MÉDIATION CULTURELLE
Jean-Marie Lafortune et Danièle Racine
. Émergence des pratiques et du concept
. Transformation des politiques culturelles et du rôle de la culture
. Nouveaux rapports à la culture et à la création
ACTEURS ET DISPOSITIFS DE LA MÉDIATION CULTURELLE
Jean-Marie Lafortune et Caroline Legault
. Compétences nouvelles ou nouvel agencement de compétences?
. Dispositifs institutionnels et dispositifs socioartistiques
. Regards de médiateurs en milieu muséal et patrimonial
ENJEUX ET LIMITES DE LA MÉDIATION CULTURELLE
Jean-Marie Lafortune
. De la médiation comme critique à la critique de la médiation
. Les non-publics: entre bonne volonté et mauvais goût culturel
MESURES ET DÉMESURES: LES LEÇONS DE L’ÉVALUATION
Louis Jacob
. Approches de l’évaluation
. Quels impacts?
. Repères méthodologiques
. Processus et résultats
. Principes de base
LA MÉDIATION CULTURELLE EN DÉBAT À PARTIR D’ÉTUDES DE CAS
Introduction par Jean-Marie Lafortune et Jean-Marc Fontan
. La médiation culturelle entre valeurs esthétiques et valeurs sociales
. La médiation culturelle et la question identitaire
. La médiation culturelle ou l’art communautaire
. La médiation culturelle et les nouvelles formes de collaboration
. La médiation culturelle et la muséologie sociale
. La médiation culturelle et la place de la culture dans l’éducation
CONCLUSION
Jean-Marie Lafortune

Além de Jean-Marie Lafortune e Jean Caune (prefácio) participaram no livro: Anouk Bélanger, Nathalie Casemajor, Jean Caune, Jean-Marc Fontan, Louis Jacob, Louise Julien, Marie-Hélène La Mothe, Ève Lamoureux, Michel Lefebvre, Caroline Legault, Pascale Malenfant, Marie-Andrée Manseau, Maryse Paquin, Marie-Claude Plasse, Eva Quintas, Danièle Racine, Audrey Rousseau, Julie Simard e Emmanuelle Sirois.

Estudos em Museologia na academia

 © Ana Carvalho

Eis alguns dos trabalhos desenvolvidos no âmbito de mestrados e doutoramentos em museologia em universidades portuguesas em 2012. Este não é um retrato exaustivo*.

Ana Margarida Penedo (Jun. 2012). Marionetas de teatro wayang kulit de Java do Museu Nacional de Etnologia: Proposta metodológica para documentação da coleção. Tese para obtenção do grau de mestre em Imagem e Comunicação do ISCTE. Orientador: Joaquim Pais de Brito. Tese disponível na íntegra aqui:

Ana Isabel Vieira Braga (2012). Sistemas de documentação e inventário de uma colecção de cerâmica arqueológica da Quinta do Rouxinol. Relatório de estágio apresentado para o cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de mestre em Museologia no âmbito do Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Relatório disponível na íntegra aqui.

Sofia Botelho (2o12). O material e o imaterial na colecção etnográfica de cozinha do Museu Carlos Machado: proposta de intervenção. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível na íntegra aqui.

Joana Ganilho Marques (2012). Discursos de museus: uma perspectiva transdisciplinar. Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes, Mestrado em Educação Artística. Disponível aqui:  http://repositorio.ul.pt/handle/10451/5057

Maria de Lurdes Gomes (2012). A relação escola-museu na cidade de Lisboa. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui:  http://hdl.handle.net/10451/6621

Carla Santana (2012). Parque da Pré-História da Arrábida: um caminho para uma museologia participativa. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui:  http://hdl.handle.net/10451/6533

Adelaide Duarte (Set. 2012). Da colecção ao museu. O coleccionismo privado de arte moderna e contemporânea, em Portugal, na segunda metade do século XX. Contributos para a história da museologia. Tese de Doutoramento em Letras, Área de História e Especialidade em Museologia e Património Cultural apresentada na Universidade de Coimbra. Orientação: Irene Vaquinhas (Faculdade de Letras Universidade de Coimbra) e co-orientação de Lúcia Almeida Matos (Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto). Júri: João Maria Bernardo Ascenso André (Universidade de Coimbra), Alice Semedo (Faculdade de Letras Universidade do Porto); João Carlos Pires Brigola (Universidade de Évora); António Manuel Filipe da Rocha Pimentel (Faculdade de Letras Universidade de Coimbra), Raquel Henriques da Silva (FCSH, Universidade Nova de Lisboa) e José Maria Amado Mendes (Faculdade de Letras Universidade de Coimbra). resumo disponível aqui

Ana Catarina Teixeira da Silva (Julho 2012). Património Cultural da Universidade de Lisboa: levantamento e contributo para a sua valorização. Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Orientadores: Marta Lourenço e Luís Efrem Elias Casanovas. Trabalho de Projecto apresentado para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Museologia. Dissertação disponível na íntegra aqui.

Ana Paula Ribeiro Resende Dias (Nov. 2012). ARQVA – Museu Nacional de Arqueologia Subaquática (Cartagena, Espanha). Contextualização, Enquadramento e Análise. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: João Paulo Cabral de Almeida Avelãs Nunes (presidente), Irene Vaquinhas (orientadora), Adolfo António da Silveira Martins (orientador) e José d’Encarnação (arguente, Universidade de Coimbra).

António Manuel Ribeiro Pereira da Costa (Março 2012). Museologia da Arte Sacra em Portugal 1820-2010 – Espaços, Momentos, Museografia. Tese de doutoramento em Letras, área de História, na especialidade de Museologia e Património Cultural, Universidade de Coimbra. Orientação: José Maria Amado Mendes e José d’Encarnação. Júri: Presidente: João Maria André (Director do Departamento de História, Arqueologia e Artes); arguentes principais: Fernando António Baptista Pereira (professor associado da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa) e Maria Regina Teixeira Anacleto (professora associada aposentada da Faculdade de Letras de Coimbra); e D. Manuel Clemente (professor do Pólo do Porto da Universidade Católica Portuguesa), Irene Vaquinhas (professoracatedrática da Faculdade de Letras de Coimbra), e orientadores: José Maria Amado Mendes e José d’Encarnação.

Célia Maria Gomes Pinto (Março 2012). Gestos, memórias e formas materiais legadas pelo barro: a produção olárica no Ribatejo da colecção de olaria tradicional do Museu Nacional de Etnologia. Dissertação apresentada no âmbito do Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Resumo disponível aqui.

Daniela Patrícia Ferreira de Sousa (Nov. 2012). Museu da Saúde Agostinho Albano de Almeida, em Ourém. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: Irene Vaquinhas (presidente), Pedro Casaleiro (orientador, Investigador Auxiliar do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra), Dalila Rodrigues (orientadora, Instituto Politécnico de Viseu) e José d’Encarnação (Faculdade de Letras de Coimbra).

Genoveva Oliveira (Fev. 2012). Museus e Escolas: Os Serviços Educativos dos Museus de Arte Moderna e Contemporânea, um Novo Modo de Comunicação e Formação/Museums and schools: the educational departments on modern and contemporary art museums, a new way of communication and formation. Orientação: João Carlos Pires Brigola e Paulo Simões Rodrigues. Tese de doutoramento para obtenção do grau de Doutor a Universidade de Évora. Júri: Presidente: José Alberto Simões Gomes Machado, Professor Catedrático da Universidade de Évora, por delegação do Director do Instituto de Investigação e Formação Avançada; e Vogais: Carla Padró, Professora Associada da Universidade Barcelona (Espanha), João Carlos Pires Brigola, Professor Auxiliar com Agregação da Universidade de Évora (orientador), Alice Lucas Semedo, Professora Auxiliar da Universidade do Porto, Leonardo Augusto Verde Reis Charréu, Professor Auxiliar da Universidade de Évora,  Paulo Alexandre Rodrigues Simões Rodrigues, Professor Auxiliar da Universidade de Évora – co-orientador, Maria Emília de Oliveira Ferreira, Investigadora da Universidade Nova de Lisboa. Resumo disponível aqui.

Helena Pereira (Dez. 2o12). Biografias (s) da Coleção de Vidro do Museu Nacional de Machado de Castro ou Sobre o Claro-Escuro das Coisas. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

Hugo Miguel Sacramento Vaz (Dez. 2012). Museu Judaico Barros Basto: A conceção de uma coleção vistável da comunidade Israeli do Porto. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

Joana Beato Conde (2012). Estudo e musealização da coleção de arte sacra do Atelier-Museu António Duarte nas Caldas da Rainha. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui: http://hdl.handle.net/10451/6531

Joana Lontrão (2012). Museu efémero: estudo da Avenida Barbosa du Bocage na freguesia de Nossa Senhora de Fátima em Lisboa. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui: http://hdl.handle.net/10451/6544

Jorge Morais Torres (2012). Rede de museus do Sabugal. Memória, história e identidade de um concelho raiano. Provas públicas de 2.º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Ver mais aqui.

Joseph Rodrigues (2012). Avenida Luisa Todi, do rio á cidade: um exercício curatorial. Mestrado em “Museologia e museografia”, Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes. Disponível aqui: http://hdl.handle.net/10451/6528

Liliana Manuel Maia Pina (Junho 2012). O Museu das Comunicações: Contributos e perspectivas para uma proposta de gestão. Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Ver mais aqui.

Luís Ferreira Louzã Henriques (2012). Sintonias e assintonias da coleção de instrumentos musicais Manuel Louzã Henriques. Dissertação Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos – ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa. Disponível na íntegra aqui (também é possível aceder a um filme).

Luís Miguel Pinel Banha (Dez. 2012). A utilização dos audiovisuais num projecto de comunicação expositiva sobre um sítio arqueológico – a exposição temporária “Quinta do Rouxinol: uma olaria romana no estuário do Tejo (Corroios, Seixal). Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Júri: Paulo Simões Rodrigues (presidente), Graça Filipe (co-orientador), Virgílio Hipólito Correia, André Miguel Serra Pedreira Carneiro (vogal), João Carlos Brigola (orientador).

Márcia Fernanda Silva Santos (Dez. 2012). O Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto: Olhares e Reflexões Críticos sobre um Museu de Ciência. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

 Maria Manuela Ferreira da Cunha (Nov. 2012). Caldas de Vizela. Do passado à actualidade: uma proposta de reconversão. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: Francisco Pato de Macedo (presidente), José Maria Amado Mendes (arguente), Dalila Rodrigues (orientadora) e Irene Vaquinhas (orientadora).

Maria Susana Gomes Martins Branco (Dez. 2o12). Viana ontem, a preto e branco. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade do Porto.

Maria Teresa Figueiredo Crespo (Abril 2012). Interpretação e comunicação do património cultural integrado em contexto museológico: o caso do Museu da Música Portuguesa – Casa Verdades de Faria. Relatório de estágio apresentado para o cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de mestre em Museologia no âmbito do Mestrado em Museologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Estão disponíveis o resumo, índice e apêndices aqui.

Purificação Maria Pinela Pereira (Junho 2012). Museu Virtual de Santa Margarida da Serra (Grândola). Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Júri: Paulo Simões Rodrigues (presidente), Alexandra Gago da Câmara (arguente, U.A) e Filipe Themudo Barata (orientador).

Rita Cid Torres Portugal Azevedo (Junho 2012). Relatório de Estágio no Serviço de Educação no Museu Nacional de Arte Antiga. Provas Públicas de Mestrado em Museologia da Universidade de Évora. Júri: Paulo Simões Rodrigues (presidente), Alexandra Curvelo (arguente, Universidade Nova de Lisboa e João Carlos Brigola (orientador).

Rui Lopes (Nov. 2012). Museu Académico de Coimbra: evolução histórica, coleções, proposta de atualização. Provas públicas de 2º Ciclo em História, Especialização em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Júri: João Nunes (presidente), Irene Vaquinhas (orientadora) e Nuno Rosmaninho (arguente).

Rui Pedro de Oliveira Reis da Costa (2012). Os códigos QR em Museus. Dissertação Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos – ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Sónia Piedade Apolinário Ribeiro Gomes (2012). O Esperantismo em Portugal (1892 a 1972): origem, afirmação e repressão. Dissertação Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos – ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Veja-se também algumas dissertações defendidas na Universidade Lusófona aqui.

* Se porventura tiver conhecimento de outras dissertações de mestrado realizadas em 2012, queira enviar-nos essa informação (para: nomundodosmuseus@gmail.com), de forma a actualizar esta lista.

(actualizado a 20 de Mar. de 2013)

Tese de doutoramento: “Museus e Escolas: Os Serviços Educativos dos Museus de Arte Moderna e Contemporânea”


© Ana Carvalho

Museus e Escolas: Os Serviços Educativos dos Museus de Arte Moderna e Contemporânea, um Novo Modo de Comunicação e Formação

Museums and schools: the educational departments on modern and contemporary art museums, a new way of communication and formation

Autora: Genoveva Oliveira
Orientação: João Carlos Pires Brigola e Paulo Simões Rodrigues
Tese de doutoramento para obtenção do grau de Doutor a Universidade de Évora
Júri: Presidente: Doutor José Alberto Simões Gomes Machado, Professor Catedrático da Universidade de Évora, por delegação do Director do Instituto de Investigação e Formação Avançada; e Vogais:

  • Doutora Carla Padró, Professora Associada da Universidade Barcelona (Espanha)
  • Doutor João Carlos Pires Brigola, Professor Auxiliar com Agregação da Universidade de Évora – orientador
  • Doutora Alice Lucas Semedo, Professora Auxiliar da Universidade do Porto
  • Doutor Leonardo Augusto Verde Reis Charréu, Professor Auxiliar da Universidade de Évora
  • Doutor Paulo Alexandre Rodrigues Simões Rodrigues, Professor Auxiliar da Universidade de Évora – co-orientador
  • Doutora Maria Emília de Oliveira Ferreira, Investigadora da Universidade Nova de Lisboa

Data: 24 fev. 2012

Resumo: A parceria escola-museu é uma relação importante. A maioria das pessoas fazem a sua primeira visita a um museu com um grupo escolar e essas experiências iniciais ajudam a moldar as suas atitudes para com os museus. Esta parceria assume um novo significado à medida que a nossa sociedade expande a sua definição de “educação”para descrever um processo de desenvolvimento permanente de conhecimentos, competências e carácter que ocorre não apenas no espaço da sala de aula, mas numa variedade de contextos formais e informais. Museus e escolas figuram nessa rede de aprendizagem e há muito que têm trabalhado juntos em direcção a metas comuns de educação. Esta tese de doutoramento focaliza a questão sugerindo que, para alcançar o potencial da parceria, os educadores do museu e os professores devem desenvolver uma compreensão mais aprofundada da natureza do ambiente do museu de aprendizagem, como ela difere da sala de aula e como as duas definições são complementares.

Abstract: The museum-school partnership is an important institution. Most people make their first visit to a museum with a school group, and these experiences help to shape their attitudes toward museums. This partnership takes on new significance as our society expands its definition of “education” to describe a lifelong process of developing knowledge, skills, and character that takes place not just in the classroom, but in a variety of formal and informal settings. Museums and schools both figure in this learning network, and they have long worked together toward common educational goals. This doctoral tesis recommended that to achieve the potential of the partnership, both museum educators and teachers should develop a fuller understanding of the nature of the museum learning environment, how it differs from the classroom, and how the two settings are complementary.

Em nome das artes ou em nome dos públicos?

Em nome das artes ou em nome dos públicos é o título de uma conferência internacional no âmbito dos museus e da educação, uma das áreas com mais dinamismo na cena museológica portuguesa na actualidade. O evento é organizado pela Culturgest (Lisboa) e realiza-se a 13, 14 e 15 de Dezembro de 2011 (terça, quarta e quinta-feira).

Os oradores convidados são figuras conhecidas do panorama nacional, mas o programa conta também com algumas personalidades bem conhecidas internacionalmente. John Falk é uma delas. Quem nunca ouviu falar dos livros de Falk: “Museum Experience” (1992) (com Lynn D. Dierking) ou “Learning from museums: visitor experiences and the making of meaning” (2000) (também com Lynn D. Dierking)? O programa é certamente promissor!

Sobre a conferência:

De que modo os museus e os centros culturais estão a lidar com as exigências e as necessidades dos seus públicos? A emancipação dos públicos é verdadeiramente promovida ou é sobre a falta dela que se constrói a mediação cultural na actualidade? Que grau de partilha e de participação é solicitado aos públicos dos museus? É a interpretação do público uma forma de completar o objecto artístico? E onde começa a prática artística com comunidades e termina a mediação cultural? É o mediador cultural um agente isento e transparente ou a sua presença condiciona a interpretação dos objectos? Partilha com os seus públicos dúvidas honestas ou, na maior parte das vezes, já tem as respostas?

Sem deixar de indagar mas sem respostas à vista, convidámos artistas, filósofos, críticos e profissionais de museus de diferentes países para, em conjunto com o público, reflectirem sobre a importância e a validade da mediação cultural nos espaços museológicos da actualidade. Para mote de discussão de cada dia elegemos os conceitos de equipa, ética e erro.

Às equipas nos museus devemos o reconhecimento de serem a alma comunicante da maior parte das instituições. À ética devemos a reflexão constante sobre as formas de captação e comunicação com os públicos. Ao erro devemos o privilégio da aprendizagem e do crescimento constantes.
E porque acreditamos na riqueza da comunicação sem rede, optámos por correr o risco de apresentar três dias preenchidos com debates abertos ao público, mesas redondas com um só porta-voz, speed meetings e workshops orientados por artistas.

Pode encontrar mais informações no site da Culturgest (programa, inscrição):
http://www.culturgest.pt/actual/30-emnomedasartes.html

Edição de fascículos e DVD's no âmbito do Património

museu-de-vila-franca-de-xira.jpg

O Museu Municipal de Vila Franca de Xira, através de uma candidatura ao Programa Operacional de Cultura (POC), Eixo 2 – Medida 2.2.- Acção I – Inventariação e Digitalização do Património Móvel e Imóvel e sua Divulgação, desenvolveu ao longo de 2006-2007 o projecto Conhecer o Património de Vila Franca de Xira, Património Móvel: As colecções do Museu Municipal. Património Imóvel: Monumentos e Sítios Arqueológicos.

No seguimento desse trabalho vai o Município de Vila Franca de Xira proceder à divulgação das edições desse Projecto 6 fascículos e 5 DVD’s no próximo dia 1 de Março de 2008 nas instalações do Auditório do Museu do Neo-Realismo, pelas 16h00 em Vila Franca de Xira.

Mais informações:
http://www.museumunicipalvfxira.org/
http://www2.cm-vfxira.pt/

Fonte: Lista de Discussão “Museum”