Arquivo de etiquetas: sustentabilidade

Abordar a sustentabilidade nos museus e no património: o papel das políticas públicas

A imagem apresenta 3 post-its de cor rosa, verde e amarelo com o desenho de um edifício/museu. Imagem de Ana Carvalho

O artigo “Addressing Sustainability in Portuguese Museums and Heritage: The Role of Cultural Policies” (Ana Carvalho e Clara Frayão Camacho), publicado na revista Heritage, está disponível na íntegra em: https://doi.org/10.3390/heritage6120407

Resumo:

O Grupo de Projeto Museus do Futuro (2019-2021), uma iniciativa do Ministério da Cultura português, foi criado para propor recomendações de política pública para os museus, palácios e monumentos nacionais no horizonte temporal 2030, considerando a sustentabilidade, a acessibilidade, a inovação e a relevância dos museus e do património na sociedade. Este artigo discute os resultados do projeto, nomeadamente as propostas que evidenciam uma abordagem centrada na sustentabilidade dos museus, palácios e monumentos nacionais, destacando em particular o papel da gestão de coleções, da participação e da mediação. Com base na investigação empírica realizada são discutidas recomendações concretas, destinadas tanto para os decisores políticos como para as instituições museológicas e patrimoniais. O estudo defende que as políticas públicas devem colocar a sustentabilidade no centro da sua estratégia, a fim impulsionarem e implementarem práticas de desenvolvimento sustentável no sector dos museus e do património. Além disso, num contexto de recuperação pós-pandemia e de emergência climática, é ainda mais premente que as políticas públicas apoiem os museus e as instituições patrimoniais e lhes garantam as condições e os recursos para poderem avançar de forma mais integrada, contribuindo assim para um futuro mais sustentável.

Abstract:

The Future Museums Project Group was created under the Portuguese Ministry of Culture with the mission of proposing recommendations for a 10-year public policy for museums, palaces, and monuments, considering sustainability, accessibility, and innovation issues and their relevance in society. Against this background, museums were understood as agents of change with a role to play in achieving a more sustainable future, and culture as a fundamental pillar for democracy and sustainable development. This study discusses the findings of the project, focusing on three features that highlight the approach adopted to sustainability, which included collections management, participation, and mediation. Drawn from empirical research, a series of concrete recommendations, both for policy makers and museums, are discussed. The study concludes by arguing that cultural policies must place sustainability at the core of their strategy in order to function as a framework to drive and implement sustainable development practices in museums and heritage. Furthermore, within the scope of post-pandemic recovery plans, climate emergency, and the energy crisis, it is even more pressing that cultural policies provide support for museums and heritage and ensure that they have the conditions and resources to be able to move forward in a more integrated manner, thus contributing to a sustainable future.

***

Carvalho, Ana, e Clara Frayão Camacho. 2023. “Addressing Sustainability in Portuguese Museums and Heritage: The Role of Cultural Policies.” Heritage, Special Issue Museums for Heritage Preservation and Communication—2nd Edition), 6 (12): 7742–54. ISSN: 2571-9408. https://doi.org/10.3390/heritage6120407

Publicado novo número da revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares

“Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste”, 2013, de Jonathas de Andrade
© Aurélien Mole. Conceção da capa: Elisa Noronha

Já se encontra disponível em acesso aberto um novo número da revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares: https://doi.org/10.4000/midas.4518

Este número “Varia” (17) é coordenado por Ana Carvalho (Universidade de Évora, CIDEHUS), Paulo Simões Rodrigues (Universidade de Évora, CHAIA), Pedro Casaleiro (Universidade de Coimbra) e Raquel Henriques da Silva (Universidade Nova de Lisboa, IHA).

****

MIDAS 17

Editorial
Ana Carvalho, Paulo Simões Rodrigues, Pedro Casaleiro e Raquel Henriques da Silva

Artigos

Macarena Cuenca-Amigo, Eloísa Pérez Santos e María Jesús Monteagudo
A satisfactory visitor experience: dimensions and contextual components of Spanish museums

Leonardo Gonçalves Ferreira e Letícia Julião
Um poeta em exposição: os públicos e a expografia do museu dedicado a Augusto dos Anjos

Fabiana Dicuonzo
The liminal museum. An investigation of the socio-educational processes starting from architecture

Irene Sánchez Izquierdo
Museos y territorio en la frontera hispano-portuguesa: patrimonios para el futuro en el noreste transmontano

Ariadna Ruiz Gómez
Los debates del concepto de “museo” del Consejo Internacional de Museos en clave luso e hispanoparlante

Notações

Henrique Couto e Maria Teresa Crespo
Retrieving history: the liquid-preserved collection of the Museu do Mar – Rei D. Carlos

Cláudia Furtado
Experimente (delicadamente)! Considerações sobre a exposição de instrumentos musicais

Entrevista

Educação patrimonial: criar e conceptualizar vínculos. Uma entrevista com Olaia Fontal
Por Elisa Noronha e Patrícia Roque Martins

Recensões críticas

Giulia Lamoni
Tudo o que eu quero. Artistas Portuguesas de 1900 a 2020 [Exposição e catálogo]

Bruna Toledo Gomes
Joshua Adair e Amy Levin, ed. – Museums, Sexuality, and Gender Activism

Call for Papers para o VII Fórum Ibérico de Estudos Museológicos

VII Fórum Ibérico de Estudos Museológicos

VII Foro Ibérico de Estudios Museológicos: Por una museología sostenible a través de la educación e inclusión
Cuidad Real, Espanha, 19 e 20 de Outubro 2023

Call for papersFecha límite de presentación de propuestas: 30 de junho

El objetivo de este VII Foro Ibérico, continua con su espíritu de aportar nuevos puntos de vista, la implementación de la interseccionalidad y de perspectivas interdisciplinares, así como proporcionar un enclave para el diálogo entre museólogos en diferentes etapas académicas.

Atendiendo a estos bloques, se proponen los siguientes ejes temáticos para la llamada a contribuciones:

1. Sostenibilidad y territorio

1.1. Sostenibilidades para el museo. Diferentes estrategias en el siglo XXI.
1.2. Territorio y museos. Relación con el entorno.
1.3. El museo y su relación con el turismo. Retos para alcanzar unas buenas prácticas.

2. Educación

2.1. Públicos y comunidades. Estudios y casos de estrategias educativas en el museo.
2.2. El museo educa desde nuevas miradas. Nuevas narrativas patrimoniales en los museos.
2.3. Las colecciones revisadas. Exposiciones de ayer a hoy.
2.4. Educación y memoria. Divulgación en el museo.

3. Inclusión

3.1. Comunidades y participación de los museos.
3.2. Políticas culturales y museos. La inclusión se hace efectiva.
3.3. Museos y buenas prácticas con perspectiva de género. De la investigación a la exposición.

Organización: Universidad de Castilla-La Mancha y Universidad de Málaga.

Entidades colaboradoras: Museo Nacional del Teatro de Almagro y Museo Provincial de Ciudad Real.

Más información: https://foroiberico7.wixsite.com/foroiberico7

Novo número temático da revista MIDAS é sobre políticas culturais e museus

capa da revista MIDAS em que a imagem mostra laranjeiras

“Lição de casa: museus” (2012-2015) [fotografia criada a partir do interior do Museu Nacional de Machado de Castro, captando a sua área envolvente] © Aline Dias. Conceção da capa de Elisa Noronha Nascimento

Acaba de ser publicado o mais recente número da revista MIDAS, o dossier temático “Políticas Culturais e Museus”, coordenado por Ana Carvalho, Clara Frayão Camacho e Raquel Henriques Silva. Encontra-se disponível em acesso aberto aqui: https://journals.openedition.org/midas/2682

****

MIDAS 13 – Políticas Culturais e Museus

Sob a coordenação de Ana Carvalho, Clara Frayão Camacho e Raquel Henriques da Silva

Editorial | Políticas culturais e museus: algumas perspectivas

Artigos

José Soares Neves | Políticas culturais de museus em Portugal: ciclos e processos de reflexão estratégica participada

Graça Filipe, Conceição Serôdio, Leonor Calvão Borges e Ana Margarida Dias da Silva | Reflexão sobre políticas públicas e gestão de coleções em instituições de memória em Portugal

Ana Temudo | Current challenges to African cultural heritage: A case study of Guinea-Bissau

Carolina Silva | O impacto das políticas culturais no desenvolvimento de programas para jovens na Tate entre 1989 e 2019

Ensaios

Sara Barriga Brighenti | A cultura e a promoção da democracia: Recomendações da Carta do Porto Santo para os museus

Recensões críticas

Flora Maravalhas | Félix Dupin-Meynard e Emmanuel Négrier, ed. – Cultural Policies in Europe: a Participatory Turn?

Laura Castro | Robert R. Janes e Richard Sandell, eds. – Museum Activism

Sofia Carvalho | Alejandra Alonso Tak e Ángel Pazos-López (eds.)  – Socializing Art Museums: Rethinking the Publics’ Experience

André de Soure Dores | Luís Filipe da Silva Soares – O Palácio Nacional da Ajuda e a sua Afirmação como Museu

José Gabriel Andrade | Diana Marques – Realidade Aumentada em Exposições de Museu. Experiências dos Utilizadores

Miguel Ferrão | Sofia Ponte – Transformar Arte Funcional em Objeto Museal

Museus participativos, um olhar…

Reflexão, partilha, participação, inclusão, emoções, manifestos, identidade, pós-modernismo, educação, pedagogias actuais, investigação, políticas, envolvimento, museus e universidade, novos paradigmas, territórios participativos, colaboração, redes, sustentabilidade, projectos, TRANSFORMAÇÃO, questionamento permanente, aprendizagem, dinâmicas colaborativas, museu como lugar performativo, felicidade, colecções, Paixão, mediadores, utopias, valores, INTERVENÇÃO, impactos sociais, indicadores de impacto, MUDANÇA, educação financeira, MUSEU RELEVANTE, Identidade de lugar, avaliação, representações

…são algumas das palavras-chave das reflexões à volta do seminário “Museus Participativos: Questões de acessibilidade, sustentabilidade e outros manifestos (7 de maio 2012), organizado pela Universidade do Porto e pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, onde se realizou esta jornada de reflexão crítica em torno das práticas museológicas nos museus do Porto.

Este seminário insere-se no âmbito do projecto de investigação “Museus do Porto: desafios para a construção de territórios colaborativos” (coord. Alice Semedo) (sobre o projecto ver post anterior), sendo que este seminário foi uma sessão aberta ao público.

Depois de uma breve apresentação e contextualização do projecto de investigação (por Alice Semedo e Inês Ferreira), seguiu-se Jocelyn Dodd da Universidade de Leicester, que deu a conhecer algumas experiências inglesas em matéria de inclusão e acessibilidade.

Maria Amélia Cupertino de Miranda (Fundação dr. António Cupertino de Miranda), em cima na foto, apresentou aquele que pode ser considerado um exemplo de boas práticas desenvolvido pelo museu na área educativa, partilhando os sucessos e os fracassos de um processo de mudança que o museu encetou numa perspectiva de se tornar mais relevante, através da construção de (novos) territórios. A partilha de experiências tem sido parte integrante do projecto de investigação “Museus do Porto: desafios para a construção de territórios colaborativos”.

Fará sentido, hoje, falar de manifestos? João Teixeira Lopes (Universidade do Porto) falou de manifestos e da sua construção a partir de “10 mandamentos”.

Cerca de 100 pessoas foram distribuídas em diversos grupos (círculos de conversas) para pensar nos manifestos e na sua construção. Depois, foi “meter as mãos na massa” e criar…

O que nos liga?

O que nos distingue?

E…

Momentos particularmente férteis para a reflexão sobre os museus foram proporcionados por Alexandre Quintanilha  (Universidade do Porto), Silvia Berény (OSMPE-Organização Social do Movimento das Pontes Educativas), Pedro Lamares (Actor, encenador, formador), com a moderação de Paulo Azevedo (Cleo Sonae). Um olhar de fora dos museus foi extremamente prolífico para repensar posicionamentos sobre o que pode ser o museu e, a todos nós quanto aquilo em que acreditamos ser o papel do museu. Momentos Out of the box

A rEDUvolucion nos museus? María Acaso (Universidad Complutense de Madrid) e as suas “pedagogías tóxicas” vs “pedagogías actuais”, num tom muito particular, sempre provocador e revolucionário. María Acaso tem vários livros publicados. Merece particular atenção um dos últimos livros que tem aplicação nos museus de arte contemporânea:

Acaso, María, coord. 2011. Perspectivas: Situación actual de la educación en los museos de artes visuales. Madrid: Editorial Ariel. Também disponível em pdf: http://mariaacaso.blogspot.pt/search/label/publicaciones (blog de María Acaso)

O que queremos que seja o museu?

Este seminário foi um encontro feliz no sentido em que promoveu a discussão sobre temas que são centrais para a (re)definição do museu (afinal, que museus queremos?, que profissionais queremos ser?) E já que nos aproximamos do dia internacional dos museus (18 de Maio), dedicado este ano ao tema: Museus num Mundo em Mudança: Novos Desafios, Novas Inspirações”, este encontro não poderia estar mais em sintonia!!!!