Arquivo de etiquetas: tese doutoramento museologia

A musealização da arte contemporânea como proposta de reflexão

Discursos e Reflexividade: Um Estudo sobre a Musealização da Arte Contemporânea (2017), da autoria de Elisa Noronha, vem engrossar as publicações de divulgação científica no campo dos estudos de museus e da museologia. Foi publicado na colecção “Teses Universitárias” (n.º 7) e resulta de uma parceria editorial entre o CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» da Universidade do Porto e as Edições Afrontamento. Trata-se da edição da tese de doutoramento da autora, que foi apresentada em 2013 à Universidade do Porto (cf. https://nomundodosmuseus.hypotheses.org/5502), e à qual foi atribuído o prémio “2013 Teses CITCEM” que lhe permitiu a publicação; o lançamento aconteceu a 19 de Setembro de 2017 na Universidade do Porto, com apresentação de Raquel Henriques da Silva.

O livro foca os museus de arte contemporânea e a Museologia, abordando as seguintes questões: que museus? Como se reinventam? Como contextualizam os discursos e as práticas que os identificam? Que novos discursos são criados, que novas maneiras de coleccionar, de expor, de conservar, de mediar são desenvolvidas? São analisados em particular três casos: o Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea (Lisboa), o Museu de Arte Contemporânea de Serralves (Porto) e o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (Brasil).

Elisa Noronha é doutora em Museologia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil) e bacharel em Artes Plásticas pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil). Professora Afiliada da Universidade do Porto, colaborando na realização das actividades de ensino e investigação dos cursos de Museologia (mestrado e doutoramento) da Universidade do Porto. Investigadora do Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» (CITCEM). Tem desenvolvido e participado em projectos/acções de natureza científica, cultural e artística, como a organização de ciclos de estudos, ciclos de palestras, seminários, publicações e exposições. O seus interesses de investigação estão relacionados com a intersecção entre a Museologia e os Estudos Artísticos (Artes Visuais), assumindo como ponto de confluência os museus e os centros de arte contemporânea nas suas diversas dimensões (coleções, exposições, espaços, público, outros agentes), e a própria arte contemporânea como uma forma profundamente importante de pensamento e de provocação ao pensamento.

****

ÍNDICE

Introdução | 17

1. Contextos e Questões | 19

1.1. Do que se fala quando se fala em musealização | 38
1.1.1. Fala-se de um processo cultural produtor de significados partilhados, o que diz respeito a sensibilidades e desejos presentes | 38
1.1.2. Fala-se de contexto museológico e dos efeitos e registos que o particulariza e o especifica | 45
1.1.3. Fala-se de discursos e reflexividade, de envolvimento crítico e agência | 52

1.2. Um percurso pelo pensamento crítico museológico | 59
1.2.1. Sobre a emancipação da Museologia | 60
1.2.2. Sobre as quatro correntes de pensamento crítico museológico  | 65

1.3. Estratégias e Desafios Metodológicos | 75

PARTE I
2. Museus de arte contemporânea: uma proposta de abordagem | 85

2.1. Esfera I: Museu de arte contemporânea: modelos paradigmáticos ou casos inspiradores | 85
2.1.1. Musée des Artistes Vivants | 87
2.1.2. Museum of Modern Art | 92

2.2. Esfera II: Museu de arte contemporânea em suspensão | 100

2.3. Esfera III: Diálogos entre o museu e o artista | 104

PARTE II
3. Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea | 111
3.1. Contextualizações | 111
3.2. Processos | 127

4. Museu de Arte Contemporânea de Serralves | 163
4.1. Contextualizações | 163
4.2. Processos | 177

5. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo | 203
5.1. Contextualizações | 203
5.2. Processos | 223

Considerações finais | 243

Referências bibliográficas | 251
Créditos das imagens | 271

****

O livro está à venda nas livrarias comerciais (ex. Fnac, Bertrand, Bulhosa, Almedina, Wook, etc.)

Credenciação, Sistemas e Redes Nacionais de Museus

Imagem da defesa

Defesa doutoramento Clara Frayão Camacho, 8 Julho 2014, Universidade de Évora © Ana Carvalho

Camacho, Clara Frayão. 2014. Credenciação, Sistemas e Redes Nacionais de Museus: Uma Panorâmica Europeia Contemporânea. Tese de doutoramento em História, Universidade de Évora.

Júri: Augusto Santos Silva (Universidade do Porto); Maria Bolaños (Museu Escultura de Valadollid); Fernando António Baptista Pereira (FBArtes/Universidade de Lisboa); Filipe Themudo Barata (Universidade de Évora) e orientadores: João Brigola (Universidade de Évora) e Raquel Henriques da Silva (FCSH/UNL); tese defendida a 8 de Julho de 2014. Disponível na íntegra no repositório da Universidade de Évora: http://hdl.handle.net/10174/11718

Resumo:

Ao longo das últimas décadas, a criação de medidas dirigidas à melhoria dos museus tem sido constante, entre as quais sobressai a credenciação de museus e a organização destas instituições em sistemas e em redes, realidades que só pontualmente têm sido alvo da investigação académica.

Esta tese explora as relações entre a credenciação, os sistemas e as redes de museus num conjunto de países europeus no arco cronológico compreendido entre 1985 e 2010. A primeira data foi definida em função da criação do Sistema Espanhol de Museus e dos trabalhos preparatórios do esquema britânico de credenciação, coincidindo a segunda com o arranque da investigação. Escolhidos em função de critérios geográficos, históricos e museológicos, os países estudados foram os seguintes: Espanha, França, Irlanda, Itália, Letónia, Países Baixos, Polónia, Portugal e Reino Unido.

A investigação teve como principal objetivo contribuir para a identificação, a caracterização, a sistematização e o aprofundamento do conhecimento sobre estes temas na Europa. Assumindo uma natureza exploratória, efetuou-se o levantamento dos sistemas de credenciação e dos sistemas e redes nacionais de museus dos países selecionados; identificou-se e sistematizou-se os processos de criação e o seu historial; caracterizou-se as linhas de ação, o funcionamento e a gestão; comparou-se objetivos, medidas e resultados. A concretização destes propósitos foi viabilizada pelo uso conjugado de metodologias de investigação próprias da História e de outras Ciências Sociais, designadamente a pesquisa documental e o trabalho de campo, incluindo visitas aos países estudados e a realização de entrevistas.

A abordagem histórica evidenciou o balanço entre as influências externas e internas na origem dos sistemas de credenciação, sendo as últimas determinantes na individualização de cada um. A difusão da credenciação no espaço europeu ocorreu em processos múltiplos de contaminação, se bem que as influências do modelo britânico tenham sido preponderantes. A perspetiva temporal evidenciou ainda a coexistência de ciclos longos de gestação da credenciação e processos de curta duração noutros contextos nacionais. De forma generalizada, observou-se entroncamento da credenciação, dos sistemas e das redes de museus na oficialização ou na expansão das respetivas políticas públicas.

A comparação demonstrou a existência de semelhanças institucionais, funcionais, patrimoniais e sociais, a despeito da variabilidade dos conceitos de museu e dos contextos administrativos. O exercício comparativo pôs em causa a perspetiva dicotómica do ICOM quanto à divisão entre países que se regem por sistemas de credenciação e por leis de museus, evidenciando sistemas híbridos que assentam formalmente em legislação mas integram padrões e requisitos idênticos às diretrizes dos sistemas sem força de lei. Quanto às relações entre credenciação, sistemas e redes de museus, a investigação mostrou que, no universo estudado, apenas na Letónia, na França e em Portugal o conjunto de museus credenciados coincide oficialmente com a principal rede nacional de museus, verificando-se na maioria dos restantes países a formação de redes temáticas e/ou geográficas infranacionais.

(Fonte: Clara Frayão Camacho)

Tese de doutoramento “Discursos e reflexividade: um estudo sobre a musealização da arte contemporânea”

teses e dissertações

© Ana Carvalho

Noronha, Elisa (2013). Discursos e reflexividade: um estudo sobre a musealização da arte contemporânea. Tese de doutoramento em Museologia, Universidade do Porto. Júri: Alice Semedo (orientadora), Raquel Henriques da Silva (arguente), Maria Bolaños (arguente) e Rui Homem (Presidente). Tese defendida a 31 de Maio de 2013.

****

Resumo: Esta dissertação desenvolve um estudo sobre o museu de arte contemporânea, mais especificamente sobre a musealização da arte contemporânea, abordando a musealização como um processo discursivo e reflexivo de (auto)afirmação e reinvenção do museu; processo este construído em diálogo entre o museu e o seu próprio objeto, i.e., a arte contemporânea que, seja pelas características de seus materiais e processos, seja pela sua pluralidade de momentos e práticas, tensiona e problematiza funções e conceitos sistematicamente estabelecidos ao longo da história desta instituição, desafiando o museu de arte contemporânea a desenvolver novas formas de expor, de colecionar, de conservar, a criar novos conceitos e categorias, a estabelecer outros tipos de mediações, de contato com o seu público, enfim, a confrontar-se com a sua própria genealogia, com seus próprios limites e suas representações.

Assente na metodologia dos Estudos de Caso, esta dissertação analisa três museus situados em Portugal e no Brasil: o Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea, em Lisboa, o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, na cidade do Porto, e o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, em São Paulo. Atenta às particularidades de cada caso, esta análise centra-se nos modos como estes museus se organizam e se identificam enquanto museus de arte contemporânea através da contextualização dos paradigmas, das determinações, das funções que os justificam e fundamentam, e dos processos desenvolvidos para a musealização da arte contemporânea: quais são seus modelos paradigmáticos? Qual o período abrangido pelas suas coleções? Como suas coleções são expostas? Como definem a arte contemporânea? Como os artistas são envolvidos e participam nos processos museológicos? Estas são algumas das questões que esta análise procura responder, inserindo-se na discussão sobre a identidade dos museus e refletindo criticamente sobre as ideias atuais e subjacentes do que vem a ser um museu de arte contemporânea quando uma determinada instituição se manifesta como tal.

****

Abstract: This dissertation develops a study on the Contemporary Art Museum, more specifically on the ‘musealization’ of the contemporary art, by approaching musealization as a discursive and reflexive process of (self)affirmation and the reinvention of the museum; being this process constructed from the dialogue between the museum and its own object, i.e., the contemporary art which, by the characteristics of its materials and processes and by the plurality of moments and practices, it tensions and problematizes functions and concepts systematically established within the history and legacy of this institution, which challenges the contemporary art museum to develop new ways of exhibiting, of collecting, of conserving, of creating new concepts and categories, of establishing other types of mediation, of touching its audience, and finally, of confronting its own genealogy, with its own limits and representations.

Strong in the methodology are the Case Studies as this dissertation analyses three museums located in Portugal and Brazil: the Chiado Museum – National Museum of Contemporary Art, situated in Lisbon/Portugal, the Serralves Museum of Contemporary Art, situated in Porto city/ Portugal, and the Museum of Contemporary Art of the University of Sao Paulo, situated in Sao Paulo/Brazil. While looking at the peculiarities of each case, this analysis focuses on the approaches in which these museums organize and identify themselves as contemporary art museums through the contextualization of paradigms, of targets and goals, of the functions that will form and justify, and of the processes developed for the musealization of the contemporary art: what are their paradigmatic models? Which periods goes across their collections? How are their collections exhibited? How do they define contemporary art? How are artists getting involved and active in the museological processes? These are a few questions in which this thesis looks for answers, inserted in the discussion on museums identity while critically reflecting current and subjacent ideas of what could be a contemporary art museum when such institution manifests itself as such.

****

Resumen: En esta disertación se desarrolla un estudio sobre el museo de arte contemporáneo, más específicamente sobre la musealización del arte contemporáneo, abordando la musealización como un proceso discursivo y reflexivo de (auto) afirmación y reinvención del museo; proceso este construido en diálogo entre el museo y su propio objeto, es decir, el arte contemporáneo que, ya sea por las características de sus materiales y procesos, ya sea por su pluralidad de momentos y prácticas, tensa y problematiza funciones y conceptos sistemáticamente establecidos a lo largo de la historia de esta institución, desafiando al museo de arte contemporáneo a desarrollar nuevas formas de exponer, de coleccionar, de conservar, a crear nuevos conceptos y categorías, a establecer otros tipos de mediaciones, de contacto con su público, en fin, a enfrentarse con su propia genealogía, con sus propios límites y sus representaciones.

Basada en la metodología de Estudios de Casos, esta disertación analiza tres museos situados en Portugal y en Brasil: el Museo de Chiado-Museo Nacional de Arte Contemporáneo, en Lisboa, el Museo de Arte Contemporáneo de Serralves, en la ciudad de Oporto, y el Museo de Arte Contemporáneo de la Universidad de São Paulo, en São Paulo. Atenta a las peculiaridades de cada caso, este análisis se centra en las formas en que estos museos se organizan y se identifican como museos de arte contemporáneo a través de la contextualización de los paradigmas, de las determinaciones, de las funciones que los justifican y fundamentan y de los procesos desarrollados para la musealización del arte contemporáneo: ¿cuáles son sus modelos paradigmáticos?, ¿cuál es el período que abarca sus colecciones?, ¿cómo definen el arte contemporáneo?, ¿cómo los artistas se involucran y participan en los procesos museológicos? Estas son algunas de las cuestiones que este análisis quiere responder, insertándose en el debate sobre la identidad de los museos y reflexionando críticamente sobre las ideas actuales y subyacentes de lo que viene a ser un museo de arte contemporáneo cuando una determinada institución se manifiesta como tal.

tese dout: Museologia da Arte Sacra em Portugal 1820-2010 – Espaços, Momentos, Museografia


©Ana Carvalho

Título: Museologia da Arte Sacra em Portugal 1820-2010 – Espaços, Momentos, Museografia

Autor: António Manuel Ribeiro Pereira da Costa

Orientação: José Maria Amado Mendes e José d’Encarnação

Tese de doutoramento em Letras, área de História, na especialidade de Museologia e Património Cultural, Universidade de Coimbra

Júri: Presidente: João Maria André (Director do Departamento de História, Arqueologia e Artes); arguentes principais: Fernando António Baptista Pereira (professor associado da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa) e Maria Regina Teixeira Anacleto (professora associada aposentada da Faculdade de Letras de Coimbra); e D. Manuel Clemente (professor do Pólo do Porto da Universidade Católica Portuguesa), Irene Vaquinhas (professoracatedrática da Faculdade de Letras de Coimbra), e orientadores: José Maria Amado Mendes e José d’Encarnação.

Data: Março 2012

Aprovado com «Muito bom com distinção e louvor», por unanimidade.

Disponível no seguinte endereço: http://hdl.handle.net/10316/18833

(Fonte: Museum)