Arquivo de etiquetas: Universidade de Évora

Chamada para contributos: VIII Fórum Ibérico de Estudos Museológicos

A 8.ª edição do Fórum Ibérico de Estudos Museológicos realiza-se a 7 e 8 de novembro na Universidade de Coimbra e dedica-se ao tema “Museologia e Ética: Práticas Atuais e Novos Dilemas”. Tem chamada aberta para contributos até 31 de Maio de 2024.

CALL FOR PAPERS
Considerando o papel central e a transversalidade da ética — como debate e como ação — no contexto dos museus, aceitam-se propostas com abordagens à investigação e às práticas atuais tendo em conta aspetos da deontologia e dos novos dilemas éticos dos museus no panorama ibero-americano. Encorajam-se apresentações que promovam novas perspetivas, bem como a intersecção de diferentes quadros interdisciplinares e áreas de estudo entre museólogos e investigadores em diferentes etapas das suas carreiras académicas e profissionais.

Convidam-se académicos, investigadores e profissionais da área dos museus a apresentar propostas de comunicação de 15 minutos, em formato presencial, em português ou espanhol. Em alternativa poderão também ser submetidas propostas de poster digital (três diapositivos, com duração de 5 minutos), também em português e espanhol.

Retomando os eixos da responsabilidade dos museus perante as comunidades, do cumprimento do papel educativo e da salvaguarda das coleções através da conservação, sugere-se um conjunto de tópicos no domínio alargado da ética e dos museus, embora não exaustivo:

– Cidadania, comunidades e ativismo
– Acessibilidade e políticas de inclusão
– Representações e memórias identitárias
– Objetos, coleções e patrimónios sensíveis
– Políticas pós-coloniais, restituição ou curadoria partilhada
– Sociedade e transformação digital
– Novas tecnologias de educação e mediação
– Educação em museus e desenvolvimento sustentável
– Sensibilização social, ambiental e cultural
– Avaliação do impacto das práticas museais
– Ética de investigação e de exposição
– Catalogação e acesso às coleções
– Técnicas e procedimentos éticos de conservação
– Gestão de reservas e equipamentos de conservação

Envio de propostas de comunicação:
As propostas de ambos os formatos, comunicação ou poster digital, devem incluir título e resumo (até 500 palavras), bem como nota biográfica do/a autor/a (até 150 palavras) e o tópico a que responde. O resumo deve apresentar o tema e o principal argumento, demonstrar qualidade científica, fazendo referência ao seu enquadramento teórico, metodologias e principais contributos. Uma breve lista de referências bibliográficas (até 10) deve ser também apresentada.

Aceitam-se comunicações em português e espanhol.

Modelo da proposta
As propostas devem ser enviadas para forumiberico8@gmail.com até 31 de maio.

Organização:

Patrícia Roque Martins | IHA – Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa / IN2PAST

Pedro Casaleiro; Fábio Monteiro e Mariana Brum | CQC – Centro de Química de Coimbra, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Mais informações: https://testesitebeta.my.canva.site/viiiforumiberico#in%C3%ADcio

Projeto InMAP aprovado para financiamento pela Fundação para a Ciência e Tecnologia

O projeto “InMAP – Memórias e Arquivos: Mapear o (In)tangível” (2024-2025) é um dos projectos aprovados para financiamento pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) no âmbito da 1.ª edição do Science4Policy 2023 (S4P-23) – Concurso de Estudos de Ciência para as Políticas Públicas.

Liderado por Ana Carvalho, investigadora Auxiliar (CEEC/FCT) no Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades (CIDEHUS) da Universidade de Évora, o projeto InMAP irá mapear e analisar a situação dos arquivos de memória criados nas últimas duas décadas por instituições ligadas ao património (e.g., museus, bibliotecas, arquivos, universidades, associações). Para além de uma caracterização destes arquivos de memória recente, é essencial compreender a escala e a extensão das barreiras à preservação e acesso destes acervos. O diagnóstico e a identificação das necessidades e desafios deste panorama irá permitir o desenvolvimento de orientações no campo das políticas públicas.

O projeto terá a duração de um ano e um orçamento de cerca de 50 000 euros. A equipa nuclear é constituída por Ana Carvalho (IR), Paulo Batista (Co-IR), Armando quintas, Dália Guerreiro e Fernando Gameiro. O projeto inclui a participação de duas instituições colaborativas: o Património Cultural, I.P (ex-Direção-Geral do Património Cultural), através de Ana Saraiva, e o Observatório Português das Actividades Culturais, através de José Soares Neves, e ainda de um consultor: Alexandre Matos (Sistemas do Futuro/Universidade do Porto). O projeto InMAP terá também o apoio da Cátedra UNESCO em Património Imaterial e Saber-fazer Tradicional: Ligando Patrimónios da Universidade de Évora.

O Concurso Science4Policy foi lançado em 2023 pela FCT, em colaboração com o Centro de Competências de Planeamento, de Políticas e de Prospetiva da Administração Pública (PlanAPP), com o objetivo estimular a produção de conhecimento científico para apoio à decisão e definição de políticas públicas.

Nesta primeira edição do Concurso Science4Policy foram identificadas 22 linhas temáticas a partir de uma consulta à Rede de Serviços de Planeamento e Prospetiva da Administração Pública (REPLAN). O projeto InMAP concorreu à linha “As Pessoas Primeiro / Património e Memória – Arquivos nacionais”.

Nesta edição do Concurso Science4Policy foram selecionadas para financiamento, a nível nacional, 18 candidaturas (num universo de 71 candidaturas), o que corresponde a uma taxa de aprovação na ordem dos 25%.

Mais informação: https://www.fct.pt/concursos/science4policy-2023-s4p-23-concurso-de-estudos-de-ciencia-para-as-politicas-publicas

***

Resumo:

Nas últimas décadas, observa-se um número crescente de novos arquivos criados por instituições de memória (museus, bibliotecas e arquivos) e outras organizações públicas ligadas ao património (universidades, escolas, associações, entre outras). Identificam-se pelo menos dois aspetos (interligados) que terão contribuído para este estado da arte: 1) o desenvolvimento da história oral reforçou a necessidade de documentar as memórias de pessoas, comunidades e participantes em eventos passados; 2) o impacto da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, de 2003, apelou à necessidade de registar e documentar práticas tradicionais, i.e., o Património Cultural Imaterial (PCI) para um futuro sustentável; 3) a necessidade de enriquecer e complementar os arquivos oficiais com as experiências e a participação das comunidades. Muitos destes arquivos de memória recente contêm registos de gravações de som e vídeo, fotografias ou outros documentos relacionados com a preservação da memória e com a documentação do PCI, quer em formato analógico quer em formato digital. 

No entanto, atualmente, em Portugal, não existe um inventário à escala nacional sobre estes arquivos dispersos e informação sistematizada que possa informar sobre a sua caraterização, desenvolvimento e impacto nas comunidades e na sociedade. Para além de uma caraterização destes arquivos de memória recente (dimensão dos recursos; capacidade de infraestruturas e competências; inventário, sistema de informação, gestão e catalogação; acesso aberto), é essencial compreender a escala e a extensão das barreiras à preservação e acesso destes acervos. Em resposta a estes desafios, o projeto InMAP irá mapear e analisar a situação dos arquivos de memória criados nas últimas duas décadas, considerando uma amostra de âmbito nacional e incidindo sobre um conjunto de instituições diversas (e.g., museus, bibliotecas e arquivos, universidades, associações). 

Este estudo combinará um conjunto de instrumentos de análise, que incluem um inquérito, trabalho de campo (entrevistas e grupos focais) e revisão da literatura. A investigação será útil para responder a vários objetivos. Em primeiro lugar, apresentará um diagnóstico da situação atual, identificando necessidades e desafios, e informará o desenvolvimento de planos para mitigar esses problemas. Desta forma, o projeto produzirá um documento final (policy brief) que incluirá também uma proposta de orientações para um quadro legislativo que tenha em conta as especificidades destes arquivos. Em segundo lugar, os resultados darão forma à conceção de um conjunto de ferramentas de preservação digital para ajudar a orientar os profissionais no desenvolvimento da sua estratégia, especialmente tendo em conta as instituições de memória de menor escala em áreas mais remotas. Por último, a investigação ajudará a sensibilizar para a valorização e importância destes recursos e contribuirá para a salvaguarda deste património. 

Abstract:

In the last decades, there is a growing number of new archives created by memory institutions (museums, libraries and archives) and other public heritage organisations (universities, schools, community associations, among others). At least two intertwined aspects have contributed to this state of the art: 1) oral history development has reinforced the need to document the memories of people, communities, and participants in past events; 2) the impact of the 2003 UNESCO Convention for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage, urged for the need to record traditional silks and practices, e.g., Intangible Cultural Heritage (ICH) for a sustainable future; 3) the need to enrich and complement official archives with community experiences and participation. Many of these recent memory archives contain collections of sound and video recordings, photographs or other documentary materials related to memory preservation and to ICH documentation, either in analogue or in digital form. 

However, at present, in Portugal, there is no national-wide inventory of these scattered archives and systematized information that can inform about their characterization, development and impact in communities and society. Besides a characterisation of these recent memory archives (resources dimension; infrastructure & skills capacity; inventory, management system & cataloging; open access), it is essential to understand the scale and extent of barriers to preservation and access. In response to these challenges, the project will map, collect and analyze information about the situation of memory archives that have been created in the last two decades, considering a national-wide sample and focusing on a set of diverse institutions (e.g., museums, libraries and archives, universities, community associations). 

The study will combine a set of analysis tools, which include a survey, fieldwork (in-depth interviews and focus groups) and literature review. The research will be valuable for several purposes. First, it will present a diagnosis of the current situation, identifying needs and challenges, and inform the development of plans to mitigate those problems. In this way, the project will deliver a final policy brief that will also include a proposal of guidelines for a legislative framework considering these archives specificities. Second, the findings will shape the design of a digital preservation toolkit to help guide professionals in developing their strategy, especially considering smaller memory institutions in more remote areas. Finally, the research will help to raise awareness of the value of these unique resources and encourage safeguarding this heritage. 

CFP: Políticas e agendas de investigação para o património e para a sustentabilidade

Encontra-se aberta chamada para contributos para a Conferência Internacional “Europe and the Changing Mediterranean: Policies and Research Agendas for Culture, Heritage, and Sustainability”, que se irá realizar nos dias 28 e 29 de novembro de 2024, na Universidade de Évora.

Prazo limite para envio de propostas de comunicação: 30 de abril de 2024

Aceitam-se propostas sobre os seguintes tópicos:

– Políticas europeias para a cultura, património cultural e sustentabilidade
– Novas agendas europeias de investigação para a região mediterrânica nos domínios da cultura, do património e da sustentabilidade
– O papel da cultura no projeto de integração europeia e nas relações com o Mediterrâneo
– Valores europeus, migração, multiculturalismo e diversidade cultural
– Estratégias, iniciativas e projectos de salvaguarda do património cultural e natural na região mediterrânica (incluindo o património cultural imaterial)
– Digitalização do património cultural e transformação digital das instituições do património na região euro-mediterrânica
– Os desafios das paisagens culturais no Mediterrâneo
– Estratégias e políticas para o desenvolvimento sustentável no Mediterrâneo
– Desafios societais no Sul da Europa e no Mediterrâneo
– Turismo sustentável na região mediterrânica
– Instituições e iniciativas de cooperação na região mediterrânica
– Adaptação às alterações climáticas e globais no Mediterrâneo
– Política externa da UE num Mediterrâneo em mudança

As propostas devem centrar-se ou estar diretamente ligadas a questões de cultura e património cultural (incluindo o património cultural imaterial e os museus), bem como centrar-se na região euro-mediterrânica.

Esta Conferência insere-se no âmbito do projeto internacional MEDHEUS – Mediterranean Cultural Heritage in EU Policies (2022-2025).

Encontra mais informações em: https://www.medheus.uevora.pt/index.php/international-conference/

Novo número da revista MIDAS: “Museologia: Encontros e Diálogos Ibéricos”

Capa da revista, em que em baixo se identifica uma imagem a preto e branco e que consiste numa estrada onde 5 camiões seguem carregando 5 letras que formam a palavra "museu"

“Museu”, 1999 © Luis Asín. Arquivo Mansilla + Tuñón Arquitectos. Conceção da capa: Elisa Noronha Nascimento

Foi publicado o mais recente número da revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares, o dossier temático “Museologia: Diálogos e Encontros Ibéricos”, coordenado por Ana Carvalho e Susana. S. Martins. Encontra-se disponível em acesso aberto aqui: https://journals.openedition.org/midas/3700

****

MIDAS 16: | “Museologia: Diálogos e Encontros Ibéricos

Coord. de Ana Carvalho e Susana S. Martins

Editorial | Diálogos e encontros ibéricos sobre museologia.
Notas para um campo em construção

Artigos

Raquel Henriques da Silva
Memória e mitos. O touro na obra de Jorge Vieira. A exposição como campo alargado

María Bolaños
La mirada de Georges Salles

Ana Cristina Martins
A importância de estagiar em Madrid: uma nova visão sobre os museus de arqueologia em Portugal (anos 50 do séc. XX)

Filipa Coimbra
Por um “arquivo vivo”: uma abordagem decolonial à coleção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian

João Luís Fernandes
A coleção Marciano Azuaga: Gaia e Porto na segunda metade do século XIX e primeira década do século XX

Joana Miguel Almeida
Memórias e experiências para além da exposição: (re)visitar o passado no Museu do Aljube

Sara Castellano Sansón
Los museos de La Raya y sus proyectos educativos: una herramienta de diplomacia cultural

Inês Silvestre
O Centro de Arte Contemporânea e o Museu Nacional de Soares dos Reis. Análise de uma parceria institucional

Notações

Gemma Domènech i Casadevall
El impacto de la Guerra Civil española en la configuración de los museos. El caso del Museu d’Art de Girona

Diana Zárate-Zúñiga, Lourdes Prados Torreira e Francesca Romagnoli
El proyecto de investigación VEMOS: una propuesta para visibilizar a los grupos marginados en los museos arqueológicos

Ensaios

Marta Branco Guerreiro
Escrito na areia: notas para um arquivo da participação

Recensões críticas

Graça Filipe
Dóris Santos – Arte, Museus e Memória – A Imagem Marítima da Nazaré

Sara Albuquerque
Luís Ceríaco – Zoologia e Museus de História Natural em Portugal (Séculos XVIII-XIX)

Rita Salgueiro
The Perpetuation of Site-Specific Installation Artworks in Museums: Staging Contemporary Art

Helena Barranha
Visionárias [Exposição]

Ana Lúcia Luz
Topomorphias [Exposição]

Gonçalo de Amaro Carvalho
Naturaleza Observada. Arte y Patrimonio e Trabajos de Campo – Field Works [Exposições]

Workshop “Património cultural imaterial, museus e sociedade digital: políticas europeias na região mediterrânica”

Estão abertas as inscrições para o segundo workshop temático do projeto MEDHEUS – Mediterranean Cultural Heritage in EU Policies sobre “Património Cultural Imaterial, Museus e Sociedade Digital: políticas europeias na região mediterrânica”, na Universidade de Évora, em formato presencial.

Formadora: Ana Carvalho (CIDEHUS e Cátedra UNESCO em Património Imaterial – Universidade de Évora)

15 de Setembro
Módulo 1 – Património Cultural Imaterial e Museus: políticas europeias e estudos de caso na região mediterrânica, 14h-17h, Universidade de Évora

22 de Setembro
Módulo 2 – Museus e Sociedade Digital: realidades e desafios na região Mediterrânica, 14h-17h, Universidade de Évora

As inscrições estão abertas até 8 de setembro. São gratuitas mas imitadas a 15 formandos. Faça a sua inscrição através do formulário: https://forms.gle/Zme52Z1KAPdP66nx7

Para mais informações sobre o programa e os conteúdos, consulte o website do projeto MEDHEUS: https://www.medheus.uevora.pt/index.php/thematic-workshops/

Concurso aberto para bolsa de doutoramento em história e filosofia da ciência na Universidade de Évora

imagem que representa os claustros do edifício central da Universidade de Évora, antigo colégio de jesuítas

Imagem de Ana Carvalho

Está aberto concurso para uma bolsa de doutoramento na área da História e Filosofia da Ciência, no Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades (CIDEHUS) da Universidade de Évora. Neste âmbito podem incluir-se estudos de investigação incidentes sobre museus e coleções.

A bolsa financia um máximo de 4 anos e tem o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) ao abrigo do Protocolo de Colaboração para Financiamento do Plano Plurianual de Bolsas de Investigação para Estudantes de Doutoramento, celebrado entre a FCT e a Unidade de I&D CIDEHUS.

Prazo para envio de candidatura: 18 de setembro de 2023

Mais informação: https://www.uevora.pt/investigar/Oportunidades-de-Investigacao/concursos-bolsas-id?item=38173

Call for Papers para o VII Fórum Ibérico de Estudos Museológicos

VII Fórum Ibérico de Estudos Museológicos

VII Foro Ibérico de Estudios Museológicos: Por una museología sostenible a través de la educación e inclusión
Cuidad Real, Espanha, 19 e 20 de Outubro 2023

Call for papersFecha límite de presentación de propuestas: 30 de junho

El objetivo de este VII Foro Ibérico, continua con su espíritu de aportar nuevos puntos de vista, la implementación de la interseccionalidad y de perspectivas interdisciplinares, así como proporcionar un enclave para el diálogo entre museólogos en diferentes etapas académicas.

Atendiendo a estos bloques, se proponen los siguientes ejes temáticos para la llamada a contribuciones:

1. Sostenibilidad y territorio

1.1. Sostenibilidades para el museo. Diferentes estrategias en el siglo XXI.
1.2. Territorio y museos. Relación con el entorno.
1.3. El museo y su relación con el turismo. Retos para alcanzar unas buenas prácticas.

2. Educación

2.1. Públicos y comunidades. Estudios y casos de estrategias educativas en el museo.
2.2. El museo educa desde nuevas miradas. Nuevas narrativas patrimoniales en los museos.
2.3. Las colecciones revisadas. Exposiciones de ayer a hoy.
2.4. Educación y memoria. Divulgación en el museo.

3. Inclusión

3.1. Comunidades y participación de los museos.
3.2. Políticas culturales y museos. La inclusión se hace efectiva.
3.3. Museos y buenas prácticas con perspectiva de género. De la investigación a la exposición.

Organización: Universidad de Castilla-La Mancha y Universidad de Málaga.

Entidades colaboradoras: Museo Nacional del Teatro de Almagro y Museo Provincial de Ciudad Real.

Más información: https://foroiberico7.wixsite.com/foroiberico7

Congresso internacional em Évora para debater políticas e práticas para a salvaguarda do património imaterial

Cartaz congresso internacional em Évora

O Congresso Internacional “A Salvaguarda do Património Cultural Imaterial: políticas e práticas para as próximas décadas” realiza-se a 2 e 3 de novembro na Universidade de Évora.

Com a organização da Cátedra UNESCO em Património Imaterial e Saber-Fazer Tradicional: Ligando Patrimónios da Universidade de Évora, o congresso assinala os 10 anos da criação da Cátedra e os 20 anos sobre a aprovação da Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da UNESCO.

A chamada de trabalhos está aberta até ao dia 31 de maio de 2023. Mais informações em: https://www.catedraunesco.uevora.pt/congresso-internacional/ 

***

A Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da UNESCO (2003) constitui uma pauta fundamental para quantos atuam na área do Património Cultural Imaterial (PCI), seja no plano da investigação e da intervenção junto das comunidades, seja no traçado de políticas públicas, tendo desencadeado não apenas a inventariação de expressões do PCI (listas representativas) e medidas de salvaguarda, mas também a valorização social, cultural e económica dessas expressões e dos seus detentores. Mas a comemoração dos 20 anos da Convenção deve ser mais do que uma mera celebração; deverá ser, sobretudo, um momento de balanço das políticas e práticas que nela se amparam, assim como das suas repercussões nas comunidades ou nos indivíduos que viram reconhecidas as suas expressões culturais imateriais.

No artº. 2º da Convenção define-se o património cultural imaterial como “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e competências – bem como os instrumentos, objetos, artefactos e espaços culturais que lhes estão associados – que as comunidades, grupos e, eventualmente, indivíduos reconhecem como fazendo parte do seu património cultural. Este património cultural imaterial, transmitido de geração em geração, é constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função do seu meio envolvente, da sua interação com a natureza e da sua história, e confere-lhes um sentido de identidade e de continuidade, contribuindo assim para promover o respeito da diversidade cultural e a criatividade humana”, acrescentando-se, no mesmo artigo, que “para efeitos da presente Convenção, só será tomado em consideração o património cultural imaterial que seja compatível com os instrumentos internacionais relativos aos direitos humanos existentes, bem como com a exigência do respeito mútuo entre comunidades, grupos e indivíduos, e de um desenvolvimento sustentável”.

Vinte anos depois destas afirmações, considerando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, importa repensar o papel da Convenção e do PCI num mundo que, em 2023, se confronta com os problemas inerentes a binómios como “salvaguarda – sustentabilidade”, “continuidade – recriação”, “direitos – deveres”, “políticas-práticas”.

Com este congresso internacional pretende-se promover não só um balanço crítico das duas décadas da Convenção mas também uma discussão sobre os desafios das políticas e práticas em torno do PCI nas próximas décadas.

É ainda objetivo deste Congresso dar conta dos contributos da Cátedra para a implementação dos desígnios da Convenção no que tange a estudos, metodologias, intervenções no terreno, boas práticas, apoio às políticas públicas e aos detentores de expressões de saber-fazer tradicional.

#uevora #cidehus #catedraunesco #unescochair #intagibleheritage #CallForPapers

“Ciência, Tecnologia e Ambiente na História: Um Mundo em Crise” em debate na Universidade de Évora

cartaz relativo ao 7.º Encontro Nacional de História das Ciências e da Tecnologia

O 7.º Encontro Nacional de História das Ciências e da Tecnologia (ENHCT) é dedicado à “Ciência, Tecnologia e Ambiente na História: Um Mundo em Crise”. Acontece a 15 e 17 de novembro de 2023, no Colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora.

Está aberta chamada para propostas de comunicações até 30 de abril. * inclui a área dos museus

São bem-vindas propostas que explorem a variação espacial e cronológica de momentos de crise e normalidade, e abordem o papel do conhecimento e da tecnologia na emergência e/ou na resolução de crises.

Poderão ser submetidas propostas sob forma de comunicações individuais ou sessões temáticas (mínimo de três comunicações). Serão privilegiadas as propostas que abordem as temáticas do ENHCT.

O Encontro é organizado pelo Instituto de História Contemporânea – FCSH Universidade NOVA de Lisboa e pela Universidade de Évora.

Mais informações em: https://7enhct.wordpress.com/

Publicado novo número da revista MIDAS – Museus e Estudos Interdisciplinares

Performance “Ruminar o Museu”, dos artistas André Alves, Filipa Araújo e Max Fernandes. No Centro Internacional de Arte José de Guimarães, a 18 de Maio de 2022, no âmbito do Dia Internacional dos Museus. © Fotografia de Joana Mendonça. Conceção da capa: Elisa Noronha Nascimento

O mais recente número da revista MIDAS (“Varia”) – o n.º 15 – acaba de ser publicado. Encontra-se disponível em acesso aberto aqui: https://doi.org/10.4000/midas.3418

****

MIDAS 15 – “Varia”

Sob a coordenação de Ana Carvalho, Paulo Simões Rodrigues, Pedro Casaleiro e Raquel Henriques da Silva

Editorial

Artigos

Pedro da Silva e Inês Moreira
Curadoria em arte/arqueologia: processos de proto e pós-escavação

Sandra Silva
Arte espacial e arquiteturas espaciais: explorando ligações

Inês Azevedo
Reflexões sobre patrimonialização: a arte e a mediação no Museu Casa das Imagens

Notações

Ana Temudo
Victor Bandeira and the collections of the National Museum of Ethnology: notes from fieldwork

Sónia Faria
Visita virtual interativa ao Museu do Centro Hospitalar do Porto: uma proposta de mediação digital

Recensões críticas

Raquel Henriques da Silva
Isabel Falcão – Diogo de Macedo e o Museu de Arte Contemporânea: Pioneirismo e Herança na Redefinição do Museu de Arte

Maria João Fonseca
Mariana Soler – Biodiversidade Musealizada – Formas que comunicam

Beatriz Medori
Quintino Lopes – Armando de Lacerda e o Laboratório de Fonética Experimental de Coimbra (1936-1979)

Francisca Listopad
Harrison, Rodney et al. – Heritage Futures. Comparative Approaches to Natural and Cultural Heritage Practices

Lorea Ariadna Ruiz Gómez
Jesús Pedro Lorente – Reflections on Critical Museology: Inside and Outside Museums

Sandrine Simon
Hortas de Lisboa: Da Idade Média ao Século XXI [exposição]

Marta Branco Guerreiro
Planta Pedra [exposição]

****

VI Fórum Ibérico junta investigadores em Évora para debater novas perspetivas de investigação em museologia

A imagem apresenta em grande plano uma escultura grega conhecida como a danlçarina de Budapeste

Statue of a girl (the Budapeste dancer), Museum of Fine Arts, Budapeste. Foto de Ana Carvalho

A 24 e 25 de novembro realiza-se o VI Fórum Ibérico de Estudos Museológicos, na Universidade de Évora, para debater novas perspetivas de investigação na área da museologia.

Reconhecendo a pluralidade dos estudos museológicos, o Fórum pretende contribuir para a discussão de projectos de investigação recentes ou em curso, em diversas geografias e contextos do panorama ibérico. Um dos eixos de reflexão consiste em debater abordagens históricas dos museus e da museologia e, por outro lado, abordagens que contribuam para um entendimento contemporâneo da relação dos museus com a sociedade.

O programa apresenta um leque diverso de projetos de investigação e inclui duas oradoras principais: Raquel Henriques da Silva e Maria de Bolaños, ambas conhecidas pelo seu papel de relevo na museologia portuguesa e espanhola.

Conheça o programa em: https://viforumiberico.wixsite.com/2022/about-7

As inscrições podem ser feitas através do website do Fórum (até 18 de nov.): https://viforumiberico.wixsite.com/2022/general-clean-1

A 6.ª edição deste Fórum é promovida pelo CIDEHUS – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora e pelo IHA – Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa.

***

Mais sobre o Fórum Ibérico de Estudos Museológicos:

Este fórum ibérico é dedicado à museologia e realiza-se desde 2017. É um espaço de partilha de investigação e reflexão em torno da história e dos desafios atuais da museologia. Pretende facilitar o intercâmbio de conhecimentos e projectos, fortalecer redes de comunicação e de colaboração, favorecendo a aproximação entre Portugal e Espanha, incluindo o mundo iberoamericano.

I Foro Ibérico de Jóvenes Investigadores – Museologías: Teorías, Contextos, Relatos, Experiencias, Retos, 18 Nov. 2017, Museo Nacional de Escultura, Valladolid. Ver publicação aqui.

II Fórum Ibérico de Investigação em Museologia: Os Museus e a(s) Sociedade(s) – Teorias, Contextos, Histórias, Experiências, Desafios, 13-14 Dezembro 2018, Museu Nacional Arte Antiga, Lisboa. Ver publicação aqui.

III Foro Ibérico de Estudios Museológicos: Historia de los Museos. Historia de la Museología, 18-19 Outubro 2019, Museo Arqueológico Nacional, Madrid. Ver publicação aqui.

IV Fórum Ibérico de Estudos Museológicos: Estratégias de Exposição – História e Práticas Recentes, 10 Dezembro 2020, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Ver publicação aqui.

V Fórum Ibérico de Estudos Museológicos: Autores e Textos Críticos em Espanhol e Português, 21-22 Outubro 2021, IAACC Pablo Serrano, Zaragoça. Ver publicação aqui.

Nova publicação sobre o património imaterial e o digital

Intangible Cultural Heritage and Digital Media: Portugal – Slovakia Readings (2022) é a mais recente publicação com a chancela da Cátedra UNESCO “Património Imaterial e saber-fazer tradicional: ligando patrimónios” da Universidade de Évora. Disponível em acesso aberto aqui: http://hdl.handle.net/10174/32325

Esta publicação resulta do projecto BDIAS – Desenvolvendo mecanismos e formas de apresentação do Património Cultural Imaterial com recurso aos novos meios de comunicação (2019-2022). Pretendeu discutir as metodologias de salvaguarda e valorização do Património Cultural Imaterial (PCI), assim como o papel dos novos meios de comunicação nestes processos.

O BDIAS consistiu num projecto de cooperação internacional na área do PCI, das tecnologias digitais e da transferência de conhecimento, com base numa parceria entre o CIDEHUS – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades/Cátedra UNESCO em Património Imaterial e Saber-fazer Tradicional: Ligando Patrimónios/Universidade de Évora e a Comenius University (Bratislava, Eslováquia); teve financiamento da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia ao abrigo do Convénio/Acordo FCT: Cooperação Científica e Tecnológica Portugal/Eslováquia.

****

CONTENTS

Intangible Cultural Heritage and Digital Media: Portugal – Slovakia Readings
Coord. Milan Konvit, Filipe Themudo Barata, Antónia Fialho Conde e Sónia Bombico

5 | Introductory remarks, Sónia Bombico
7 | Introduction: May you live in interesting times, Milan Konvit & Antónia Fialho Conde
12 | New media and intangible cultural heritage: challenges and opportunities, Milan Konvit
29 | Intangible cultural heritage in Slovakia from an institutional perspective, Eva Capková
46 | Intangible cultural heritage and public policies in Portugal: an overview, Ana Carvalho
64 | Cultural resource management: the application of management theory and practice in cultural industry, Lukáš Vartiak
83 | Museums, intangible cultural heritage and digital technologies: exploring interactions, Ana Carvalho
98 | Transfer of Intangible Cultural Heritage using Augmented Reality Applications: A Survey on User Experience and Current Limitations of End-User Mobile Technology for Knowledge Transfer, Juraj Grečnár
112| ICH at fingertips: Dissemination and pedagogy through digital media, Shajjad Hossain
137 | Interview with Ricardo Fonseca, Sónia Bombico
143 | Interview with Peter Trnka, by Andrea Jančošková & Veronika Valovicova
147 | Conclusions, Filipe Themudo Barata
150 | About the authors

****

Konvit, Milan, Filipe Themudo Barata, Antónia Fialho Conde e Sónia Bombico. 2022. Intangible Cultural Heritage and Digital Media: Portugal – Slovakia Readings. Évora. UNESCO Chair in Intangible Heritage and Traditional Know – How: Linking Heritage, University of Évora. 153 páginas. ISBN 978-972-778-269-7. http://hdl.handle.net/10174/32325

Call for Papers para o VI Fórum Ibérico de Estudos Museológicos

A imagem apresenta em grande plano uma escultura grega conhecida como a danlçarina de Budapeste

Statue of a girl (the Budapeste dancer), Museum of Fine Arts, Budapeste. Foto de Ana Carvalho

VI Fórum Ibérico de Estudos Museológicos: Novas Perspetivas de Investigação
Universidade de Évora, 24 e 25 de Novembro 2022

Call for Papers

Reconhecendo a pluralidade dos estudos museológicos, o VI Fórum Ibérico pretende contribuir para a discussão de projectos de investigação recentes ou em curso, em diversas geografias e contextos do panorama ibero-americano.

Aceitam-se propostas com abordagens históricas dos museus e da museologia, assim como as que contribuam para um entendimento contemporâneo da relação dos museus com a sociedade. São bem-vindas apresentações que, tendo como objeto de estudo os museus, tragam novos pontos de vista, o cruzamento de olhares interdisciplinares e o diálogo entre investigadores em diferentes fases do seu percurso académico e profissional.

Convidamos académicos, investigadores e profissionais de museus a apresentar propostas de comunicação de 20 min., em formato presencial, em português ou espanhol, focando um dos tópicos do Fórum.

Organização: CIDEHUS – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora e IHA – Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa.

Entidades parceiras:
Direção-Geral do Património Cultural
Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo
ICOM Portugal
ICOM Espanha

Prazo para envio de propostas: 12 de Setembro de 2022

Mais informações em: https://viforumiberico.wixsite.com/2022

***

Sobre o Fórum Ibérico de Estudos Museológicos

Este fórum ibérico dedicado à museologia realiza-se desde 2017. É um espaço de partilha de investigação e reflexão em torno da história e dos desafios atuais da museologia. Pretende facilitar o intercâmbio de conhecimentos e projectos, fortalecer redes de comunicação e de colaboração, favorecendo a aproximação entre Portugal e Espanha, incluindo o mundo iberoamericano.

I Foro Ibérico de Jóvenes Investigadores – Museologías: Teorías, Contextos, Relatos, Experiencias, Retos, 18 Nov. 2017, Museo Nacional de Escultura, Valladolid. Ver publicação aqui.

II Fórum Ibérico de Investigação em Museologia: Os Museus e a(s) Sociedade(s) – Teorias, Contextos, Histórias, Experiências, Desafios, 13-14 Dezembro 2018, Museu Nacional Arte Antiga, Lisboa. Ver publicação aqui.

III Foro Ibérico de Estudios Museológicos: Historia de los Museos. Historia de la Museología, 18-19 Outubro 2019, Museo Arqueológico Nacional, Madrid. Ver publicação aqui.

IV Fórum Ibérico de Estudos Museológicos: Estratégias de Exposição – História e Práticas Recentes, 10 Dezembro 2020, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Ver publicação aqui.

V Fórum Ibérico de Estudos Museológicos: Autores e Textos Críticos em Espanhol e Português, 21-22 Outubro 2021, IAACC Pablo Serrano, Zaragoça. Publicação no prelo.

Novo livro dedicado à museografia dos museus de história natural

Imagem de capa do livro biodiversidade musealizada em que se vê ao centro uma fotografia a preto e branco de uma instalação

Biodiversidade Musealizada – Formas que comunicam é o mais recente livro da colecção Estudos de Museus, uma edição da Direção-Geral do Património Cultural em parceria com a editora Caleidoscópio. É o 22.º volume desta Coleção.

O livro resulta da tese de doutoramento em História e Filosofia da Ciência, especialização em Museologia, de Mariana Galera Soler, apresentada à Universidade de Évora em 2019 (orientação de Maria Fátima Nunes e Margaret Lopes).

O lançamento é no dia 27 de Abril de 2022, pelas 18h00, no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora. O livro será apresentado por Sara Albuquerque, investigadora de história da ciência da Universidade de Évora.

A Coleção Estudos de Museus prossegue, assim, com novas edições, continuando a alargar os horizontes das investigações incidentes em museus e em museologia sob diferentes visões temáticas e autorais. Esta coleção veio enriquecer o panorama editorial da área museológica em Portugal, constituindo hoje um corpus bibliográfico essencial para as pesquisas em estudos de museus, abarcando temas muito variados desde a história dos museus e das exposições, o colecionismo, a museografia, até à mediação digital, a educação e a museologia biográfica, entre outros.

Sinopse

O livro incide sobre a museografia de museus de história natural e de museus científicos como meio de registo de práticas científicas e museológicas. A autora utilizou o conceito de biodiversidade num tempo de preocupações com a perda de habitats naturais e com o esgotamento dos recursos, partindo de uma pergunta para a análise de exposições: é possível musealizar a biodiversidade? Concluiu que vemos a biodiversidade sob a lente dos investigadores que compõem as equipas dos museus e sob as suas áreas de especialização. Verificou que, como visitantes, somos convidados a ser espectadores da natureza. Contudo, como não somos sábios, como os profissionais que fazem as seleções e as ordenações dos acervos que estão presentes nas exposições, cabe-nos contemplar séries de “coisas” que têm “lições” pré-definidas para nos contar.

Sobre a autora

Mariana Galera Soler é licenciada em Ciências Biológicas e mestre em Museologia, com ambos os títulos obtidos na Universidade de São Paulo. A tese de doutoramento em História e Filosofia da Ciência, com especialização em Museologia, foi obtida na Universidade de Évora, resultando esta obra do desenvolvimento da tese. A autora possui mais de uma década de experiência profissional em museus científicos brasileiros e desde 2017 colabora em projetos em parceria com instituições portuguesas. Atualmente é investigadora integrada do Instituto de História Contemporânea – Polo da Universidade de Évora e é gestora de comunicação do Centro Interdisciplinar de História, Cultura e Sociedade (CIDEHUS) desta universidade.

Sobre a apresentadora do livro

Sara Albuquerque é investigadora em História da Ciência no IHC-FCSH-NOVA-Pólo da Universidade de Évora. Trabalhou anteriormente como investigadora de pós-doutoramento na mesma unidade de investigação, no Museu de História Natural de Londres e no Royal Botanic Gardens, Kew. Enquanto na RBG, Kew obteve “Collaborative Doctoral Award” e concluiu o seu doutoramento em História da Ciência no Birkbeck College, University of London em 2013. É “Honorary Research Associate” (RBG, Kew) e membro da Linnean Society of London. Tem especial interesse em história da ciência, coleções de história natural, museologia, cultura material, botânica, botânica económica, etnobotânica, exposições mundiais, expedições (século XIX) e encontros transculturais.

Índice

9  | INTRODUÇÃO

CAPÍTULO I – A DIVERSIDADE NORMALIZADA: PADRÕES MUSEOGRÁFICOS DE MUSEUS DE HISTÓRIA NATURAL

21 | “Infinitas formas de grande beleza” inseridas em categorias

22  | Principais referenciais

28 | Formas de organizar acervos e discursos: padrões museográficos

32 | Padrão museográfico: Centrado em Objetos

62 | Padrão museográfico: Centrado numa Narrativa

101 | Padrão museográfico: Espetacular

119 | Padrão museográfico: Retorno à Curiosidade

139 | Exposições e padrões museográficos: outras interpretações

CAPÍTULO II – ANÁLISE DAS EXPOSIÇÕES: MUSEOGRAFIA CATEGORIZADA POR PADRÕES

145 | Métodos de investigação

147 | Estudos de caso: descrição de exposições e enquadramento nos diferentes padrões museográficos

CAPÍTULO III – ENQUADRAMENTO EM PADRÃO MUSEOGRÁFICO (EPM): NÚMEROS QUE AJUDAM A EXPLICAR PADRÕES

210  | Discussão dos Padrões Identificados

249 | Entre padrões: aproximações e distanciamentos entre realidade observada, documentos e entrevistas

261 | Considerações finais

269 | Ferramenta de análise

287 | Fichas técnicas

295 | Notas

303 | Referências

313 | Índice remissivo

315 |Siglas e abreviaturas

****

A Coleção Estudos de Museus foi criada em 2015 pela Direção-Geral do Património Cultural em parceria com a editora Caleidoscópio. Os títulos da colecção Estudos de Museus são selecionados por um comité editorial constituído por Alice Semedo, Fernando António Baptista Pereira, Pedro Casaleiro, Raquel Henriques da Silva, Ana Carvalho, Marta C. Lourenço e Clara Frayão Camacho (que acumula também a função de revisão editorial das obras).

Nota: O livro está à venda nas lojas dos museus e palácios nacionais e no circuito comercial (ex. Fnac, Bertrand, Wook, etc.)

Debate da Acesso Cultura sobre os valores das organizações culturais

Quais os valores de cada organização cultural? Porque é que devem ser definidos e assumidos? De que forma se expressam? E, sobretudo, de que forma as organizações culturais identificam, cultivam e transmitem valores importantes para as comunidades em que se inserem?

Estas são as questões de partida para o debate que será promovido pela Acesso Cultura “Os nossos valores: nem tidos bem achados”. Acontece no próximo dia 15 de Fevereiro, pelas 18h30, em modo presencial, em Évora, na Direção-Regional de Cultural do Alentejo – Casa Nobre de Burgos.

O debate será moderado por Ana Carvalho, investigadora do CIDEHUS – Universidade de Évora e tem como convidadas:

Deolinda Tavares, Diretora do Museu Rainha D. Leonor
Maria de Jesus Monge, Presidente do ICOM Portugal
Marta Guerreiro, Presidente da Direção da Associação PédeXumbo
Sandra Leandro, Diretora do Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo.

A Acesso Cultura organiza debates abertos aos profissionais do sector cultural e a todas as pessoas interessadas para se poder refletir em conjunto sobre questões ligadas à acessibilidade – física, social e intelectual – que têm um impacto no seu trabalho e na relação com instituições cultuais e pessoas com variados perfis.

Este debate acontece em simultâneo em outras cidades.

Todas as informações aqui:
https://acessocultura.org/iniciativas/debates/